39.0481, -77.4728
  • ITAIPAVA

    24 e 25 de agosto

    Itaipava

    Petrópolis– RJ

    -22.903730, -43.609380 Increva-se Saiba Mais
  • ESTRADA REAL

    28 e 29 de setembro

    Estrada Real

    Tiradentes – MG

    -21.110108, -44.173202 Inscreva-se Saiba Mais
  • ILHA GRANDE

    05 e 06 de Outubro

    Ilha Grande

    Angra dos Reis – RJ

    -12.574687, -38.004731 Inscreva-se Saiba Mais
  • INDAIATUBA

    02 e 03 de Novembro

    Indaiatuba

    Indaiatuba – SP

    -23.112450, -47.216160 Inscreva-se Saiba Mais
  • BUZIOS

    30 de novembro e 01 de dezembro

    Búzios

    Armação dos Búzios – RJ

    -22.752792, -41.884151 Inscreva-se Saiba Mais
  • COSTA VERDE

    9 e 10 de Fevereiro

    Costa Verde

    Mangaratiba - RJ

    -22.949793, -44.074256 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • BRAZIL

    11 e 12 de Maio

    BRAZIL

    Ilhabela – SP

    -23.112450, -47.216160 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • OURO PRETO

    01 e 02 de Junho

    OURO PRETO

    Ouro Preto – MG

    -20.3948400, -43.5051700 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • PRAIA DO FORTE

    08 e 09 de Junho

    Praia do Forte

    Mata do São João – BA

    -12.574687, -38.004731 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • AGULHAS NEGRAS

    13 e 14 de Julho

    Agulhas Negras

    Visconde de Mauá - Resende/RJ

    Resultados Trail Run Inscreva-se Saiba Mais
  • x
  • Descontos
  • Cadastro feito com sucesso!

    OK
    x

    Cadastre-se e fique
    por dentro do mundo XTERRA!

    Quais as suas modalidades de interesse?

    x

    Fale conosco!

    Sua mensagem foi enviada com sucesso!

    Vencedora do Endurance 2018 relembra prova e elogia Rosália Camargo

    Ana Silveira brilhou em sua estreia nos 50k em Tiradentes

     

    A prova Endurance do XTERRA é a mais desafiadora das modalidades do evento. Em 2018, com o novo formato estabelecido pela organização, os 50k passaram a ser ainda mais especiais, já que só ocorrem em um momento do calendário, na clássica etapa XTERRA Estrada Real, em Tiradentes. Mais de 170 guerreiros enfrentaram o desafio, que passou por montanhas, pedras, gramas, estradas e lama. Os vencedores foram Mércio Ferreira e Ana Silveira.

     

    Nascida e criada em Niterói, região Fluminense do estado do Rio de Janeiro, Ana Silveira, que treina diariamente com a equipe Torres Trail Run, aventurou-se pela primeira vez em um Endurance e não se arrependeu: “Eu tinha participado de trail runs do XTERRA em 2015, 2016 e 2017, então já conhecia bem e estava me preparando. Sempre quis fazer o Endurance porque é uma referência para os atletas que desejam aumentar distâncias. Agora estou na torcida para que a prova ocorra mais vezes no ano, em Costa Verde, Ilhabela e Tiradentes mesmo, as cidades são maravilhosas para ir com a família e os percursos são perfeitos”, cobiça Ana, de 33 anos.

     

    A corredora comentou também sobre a sua performance brilhante (chegou 50 minutos à frente da segunda colocada), revelou a meta individual e uma inspiração famosa. “A prova foi exatamente como planejei, eu queria completá-la abaixo de 5 horas e terminei em 4h51min. As dificuldades mesmo foram os trechos que corri sozinha, sem companhia de outras competidoras, aquilo foi um trabalho mental. Porém duas semanas depois do XTERRA Estrada Real eu fiz uma maratona trail com a Rosália (Rosália Camargo, maior vencedora da história do Endurance com 13 vitórias e integrante do Hall da Fama XTERRA) e aprendi muita coisa nos poucos trechos em que corremos juntas. Ela é certamente uma grande referência no esporte, principalmente para nós mulheres. Ela é forte mentalmente e pequena só no tamanho”, elogiou Ana Silveira.

     

    A baixinha Ana no lugar mais alto do pódio em Estrada Real 2018. Foto: Bruno Meneghitti

     

    Com um triunfo em uma tentativa nos 50k do XTERRA, é natural que Ana esteja presente também na etapa XTERRA Estrada Real 2019, em 28 de setembro, defendendo seu título. Questionada sobre a possível participação, a carioca não teve dúvidas: “Pretendo ir na próxima edição, claro”, afirmou.

    Rock n’ roll, Hall da Fama e muita diversão marcam o XTERRA Estrada Real 2018

    Com oito provas diferentes de esportes off-road,
    Tiradentes tem fim de semana agitado e repleto de novidades

    O XTERRA Estrada Real fez história em Tiradentes novamente. Apresentado pelo SESI, o maior evento off-road do planeta levou mais de 4.000 pessoas à Praça da Rodoviária no último fim de semana (29 e 30). Participantes das provas de Duathlon, MTB Cup Pro e Sport, quatro tipos de Trail runs e os atletinhas da corrida Kids (1 a 13 anos) tiveram dois dias de diversão intensa e muita adrenalina pelas trilhas, ruas, montanhas e campos da cidade histórica de Minas Gerais.

    Nesta etapa, o sábado à noite foi digno de tapete vermelho. O Hall da Fama do XTERRA foi inaugurado durante a chegada da prova de Night Run (10,5 km). As estrelas dos esportes outdoor Iazaldir Feitoza (Endurance 50 km), Antônio Gonçalves e Geisla dos Santos (Trail run 21km) e Sabrina Gobbo e Felipe Moletta (Triathlon) estiveram presentes na cerimônia, que entregou presentes e o troféu de honra ao mérito do Hall da Fama XTERRA (www.xterrabrasil.com.br/tour/hall-da-fama). O show do ex-Barão Vermelho, Rodrigo Santos, no XTERRA Fest, manteve a arena lotada e borbulhante até às 23h do sábado.

    XTERRA Duathlon

    O Duathlon feminino trouxe nomes inéditos ao pódio. Em primeiro lugar, Mariana Marques, que desbancou a consagrada Sabrina Gobbo, estrela do XTERRA, atual tetra campeã (2014, 2015, 2016 e 2017) e atual líder do ranking 2018. Ana Carolina Araújo, da equipe Limite Team, ocupou o terceiro lugar. No pódio masculino, Felipe Moletta e Diogo Malagon dominaram o primeiro e segundo lugares, respectivamente. Marcelo Sebastião fechou a trinca vitoriosa e o atual líder da competição, Rafael Juriti, ficou em quarto lugar.

    Endurance 50 km

    Quem esperava ver a fenomenal Rosália Camargo dominando a prova, surpreendeu-se. Vencedora de todas as etapas do Endurance (13x) até hoje, a carioca não participou desta edição. Quem levou o ouro foi Ana Paula Silveira, da equipe Torres Trail Run. Na sequência, Nad Leite e Ana Paula dos Santos completaram o pódio da categoria feminina. No pódio masculino, novos nomes também levaram ouro, prata e bronze, sendo eles: Mércio Silva, Ernani de Souza e Sandro Arcanjo.

     

    O campeão do XTERRA Endurance 50km, segundos antes de cruzar a linha de chegada.

     

    Trail runs

    Além dos 50km de trilhas insanas na prova de Endurance, mais três corridas agitaram o sábado em Tiradentes. Nos 21km, o destaque foi para o atual campeão, o mineiro Antônio Gonçalves. Geisla dos Santos, sempre favorita, tendo mais de 15 vitórias na história do XTERRA, ficou com a quarta colocação.

    Os 8,5km diurnos levaram milhares de corredores a se aventurar pela Estrada Real debaixo de um sol inesperado pela previsão do tempo. Até a cadela atleta, Aika, correu junto com o seu dono, Giovanni Cardoso. A Night Run 10,5km fechou com chave de ouro o dia de provas no maior evento off-road do planeta.

     

    O XTERRA é para todo mundo e cadela atleta Aika representou!

     

    MTB Cup Pro e Sport

    Com uma largada lotada às 8h30 de domingo, o MTB Cup teve chegadas acirradas, astros nos pódios e novatos surpreendendo. O primeiro lugar da elite masculina teve Daniel Grossi como campeão. Atual vice-campeão de 2017, Grossi se recuperou de fratura no pulso esquerdo e voltou a mil em busca de seu primeiro título no XTERRA. Carlos Alberto Fernandes e Rodrigo Silva completaram os primeiros lugares. Lembram da campeã do Duathlon no dia anterior? Mariana Marques, não satisfeita com o ouro do sábado, levou para casa o cobre do quinto lugar no MTB Cup Pro. Nos três primeiros lugares, Letícia Jaqueline, Sofia Subtil e Roberta Stopa formaram, respectivamente, o pódio mineiro. Sofia e Roberta brigam ponto a ponto pelo caneco de 2018.

     

    Pódio masculino do MTB Cup Pro com grandes nomes levando ouro, prata e bronze para casa.

     

    Todos os resultados do XTERRA Estrada Real 2018 podem ser conferidos em: http://xterrabrasil.com.br/tour/estrada-real/

    “Treino de luxo” para o XTERRA Endurance 2018

    Visando aprimorar seu condicionamento físico para etapa de Tiradentes em setembro, Pedro Crespo se inscreve em duas Half Trail Runs anteriores

     

    Uma das modalidades consideradas mais extremistas do circuito XTERRA é a Endurance, uma corrida de 50 km e percurso desafiador passando por estradas, pedras, subidas, rios, poças de lama, gramados, etc. Tanta adversidade soa apenas como diversão para o carioca Pedro Crespo, de 23 anos, que não se assusta com os percalços e busca exatamente chegar ao limite do cansaço e desenvolver ao máximo o seu nível de corredor.

     

    Em 2018 haverá apenas uma edição do Endurance, na clássica e histórica cidade de Tiradentes, em Minas Gerais. O XTERRA Estrada Real promete aumentar a competitividade da prova, já que além de ser única, também dará premiação em dinheiro pela primeira vez. A mudança serviu para motivar os competidores que adiavam suas participações, já que a próxima oportunidade será somente em 2019.

     

    Foi pensando desta forma que Pedro não hesitou na atual temporada. “Ano passado corri os 21km de Costa Verde, mas me encantei com o Endurance. Ainda não tinha a coragem de me inscrever, mas comecei a me preparar para 2018 e aí vi que só teria uma, então não tive como pensar duas vezes. Estou inscrito e meu principal objetivo será realizar uma boa prova, do início ao fim. Meu treinador diz que o pior da competição são os treinamentos e que o segredo da corrida é manter a sequência e a constância, então estou determinado a evoluir cada vez mais para buscar uma boa colocação na faixa etária primeiramente. No geral, em breve, por que não? Surpresas boas são sempre bem-vindas”, cogita o estudante de História pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

     

    Além dos 50 km, o carioca se inscreveu em outras duas etapas, que servirão de treino para o seu real objetivo e nova paixão. “Vai ser um desafio grande! Se uma maratona no asfalto já é sofrida, imagina uma ultramaratona nas montanhas? Deve ser coisa de louco, e é desse tipo de loucura que tiro minha motivação. A força e a resistência que a prova exige é triplicada, é evidente que os atletas do Endurance são diferenciados, até psicologicamente, pois é preciso saber suportar e se acostumar com a dor. Por tudo isso vou fazer também as Half Trail Runs do XTERRA Camp Ouro Preto e do XTERRA Lagoa dos Ingleses, pois me darão um preparo maior, vou me acostumar melhor com esse tipo de prova”, afirma.

     

    Nascido em Niterói e morando no Rio de Janeiro há 5 anos, Pedro Crespo faz questão de mencionar a importância de seu treinador, que é também seu pai, Pedro Lima, o popular Professor Pedrinho. “Meu pai é ex-atleta, professor de educação física há mais de 25 anos no complexo da Maré e meu maior exemplo, ao lado da minha mãe. Ele foi maratonista profissional. Então, desde criança, nossa casa era um dos pontos de encontro para o famoso ‘longão’ de domingo. Já naquela época eu convivia com atletas jovens e que, hoje em dia, são tops nas provas de montanha e cabeças no XTERRA, como o Marcinho e o Gleiciomar”, revela Pedro, citando os últimos campeões do ranking Endurance do XTERRA, Márcio Souza (campeão em 2015 e 2017) e Gleiciomar Pereira (campeão em 2016).

     

    Pedro ao lado do pai, mentor e treinador, Professor Pedrinho

     

    Apesar da experiência em maratonas, corridas de rua e de ter incentivo para correr desde a infância, Pedro só participou do XTERRA pela primeira vez em 2017, onde pôde vivenciar todas as fases do festival. “Adorei a etapa em que participei, foi um cenário de matas, praias e rios que criaram uma atmosfera bastante agradável. O evento como um todo é bacana, pois a energia é muito latente, é palpável o clima de ansiedade e apreensão por parte dos atletas antes das largadas. Só tenho elogios, tudo é bem sinalizado, um pós-prova que acolhe bem seus competidores, a hidratação crucial, a premiação, tudo ótimo”, afirmou.

     

    O XTERRA Estrada Real acontece em 29 e 30 de setembro, em Tiradentes. As inscrições para o Endurance e para outras modalidades já estão abertas e podem ser realizadas através do link https://goo.gl/CMYf5w.

    Irmãos de ouro

    Carlos Alberto Olimpio e Karen Olimpio conquistaram títulos no MTB Cup Pro no XTERRA Estrada Real

    No último dia 1° de outubro foi disputada, em Tiradentes, Minas Gerais, a competição de MTB Cup Pro (42,4 km) do XTERRA Estrada Real, principal etapa do evento no Brasil. Os vencedores da elite masculina e feminina possuem uma coisa em comum, o sangue. Os irmãos Carlos Alberto Olimpio e Karen Olimpio fizeram bonito na cidade onde moram e chegaram com minutos à frente dos segundos colocados.

     

    O sucesso da família Olimpio, no entanto, não se resume ao casal de irmãos. O pai, José Eudoxio Olimpio foi o primeiro a começar no esporte sobre duas rodas e, atualmente, aos 53 anos, ainda compete. Em Estrada Real ele terminou na 49° posição geral e foi o campeão de sua categoria. A mãe, Lucia Helena Olimpio, se arriscou pela primeira vez no mundo off-road e participou da Short Night Run (9 km) no dia anterior. E tem mais! A filha do meio, Kelly Olimpio competiu no Duathlon e ficou com a terceira colocação geral, atrás somente dos fenômenos Isabella Ribeiro e Sabrina Gobbo.

     

    Karen garante que o amor pelo ciclismo vem de berço e sem pressão de José Eudoxio. A caçula da família também comentou sobre a prova. “Nunca fomos obrigados a pedalar, mas como nosso pai era competidor, acabávamos tomando gosto pela coisa e treinávamos sempre. O XTERRA Tiradentes foi complicado, mas eu já conheço bem esse terreno e aqui eu não posso perder. Quase não participei da prova porque caí durante uma competição há duas semanas e bati de cabeça, foi até algo meio preocupante, meu treinador não me liberou, mas como ficaria fora da etapa no meu quintal? ”, indagou a atleta, que é bicampeã brasileira sub-23.

     

    Karen pedalou tranquila no último km e chegou com cinco minutos de vantagem. Foto: Thiago Lemos

    Para Carlos Alberto, o evento foi especial. “Minhas duas irmãs no pódio, uma vencendo, meu pai campeão na categoria dele e a mãe iniciando a caminhada na trail run. Só isso já me deixaria feliz, imagine então com minha vitória? Foi um fim de semana perfeito para nós e graças a Deus estou em uma ascensão. Tenho mais duas provas agora até o final do mês e quero competir também no XTERRA Paraty para encerrar a temporada em grande estilo, quem sabe vencendo também”, almeja.

     

    E na hora em que os irmãos se encontram durante o percurso, engana-se quem pensa que um faz “corpo mole” para o outro. Carlos, de 25 anos, explica que encara a irmã de igual para igual e isso ajuda na evolução dela. “Não tem isso não! Eu ultrapasso ela mesmo, ela me ultrapassa, mas sempre conversamos muito e um ajuda o outro”, afirma.

     

    Atleta faz viagem surreal para competir no XTERRA Rota Imperial 2017

    Arthur Henrique Reis recebe ajuda de desconhecidos, pedala em plena Marginal Tietê e carrega 14kg para participar da prova de Duathlon

    Ao conhecer a história do paulista Arthur Henrique, de 25 anos, você irá repensar quando falar que não participará de alguma edição do XTERRA devido à distância ou a falta de verba para a logística da viagem. Natural do pequeno município de Cajamar, na grande São Paulo, Arthur, que é técnico de sistemas, possui os esportes off-road como hobby. E não é apenas um, o jovem pedala, nada e corre, é um tri atleta completo e disposto a confirmar sua meta em 2017: ser o líder do ranking da categoria 25 a 29 anos do XTERRA Triathlon.

     

    Apoiado pela Academia Boa Forma, pela Comet, pela Bárbaros Suplementos, pela AP Performance e Endurance e sob supervisão nutricional de Rodrigo Vale, Arthur Henrique treina seis vezes por semana. Como se não bastasse o treinamento intenso, as viagens para as competições do XTERRA parecem ajudá-lo no preparo físico. Para competir na etapa de Rota Imperial, na região de Pedra Azul, no Espírito Santo, no final de agosto, ele passou por uma saga digna de filme hollywoodiano e diz que todo o “perrengue” valeu a pena.

    “Saí de Jundiaí um dia antes do evento e eu não tinha passagem nem nada, só estava inscrito na prova de Duathlon mesmo. Estava sem grana, com apenas R$ 5,00 no bolso e pedi um apoio a um patrocinador para me ajudar comprando a passagem de ida para Vitória. Aí um amigo me deu carona até São Paulo e o ônibus sairia às 16h, mas estávamos presos no engarrafamento na rodovia Marginal Tietê e o GPS já informava que chegaríamos às 15h30, mas esse tempo previsto ia aumentando, então desci do carro e fui pedalando pela Marginal, driblando o perigo até a rodoviária e com uma mochila de 14 kg nas costas, mas era preciso. O XTERRA vale essas loucuras”, revela.

     

    Totalizando uma distância de 5km até a rodoviária, Arthur conseguiu embarcar para Vitória, mas ainda faltava chegar em Pedra Azul. E a compreensão de terceiros se fez presente para tal. “Expliquei a situação a um funcionário da rodoviária e ele se solidarizou me dando uma passagem até Domingos Martins, mas era um bilhete errado e quando cheguei ainda estava a 44 km do local da competição. Sorte que achei uma bicicletaria, a Montanhas Bike, e fui ‘chorar’ uma ajuda lá. O dono da loja, Ivan, entendeu meu drama e me deu um dinheiro de passagem e para comer alguma coisa. Ele foi muito gente boa, assim como o motorista do ônibus, que me deu um pacote de biscoito e depois de tudo isso, enfim, cheguei e ainda fiquei num quartinho de uma senhora lá. Sou grato a Deus por ter colocado essas pessoas em meu caminho, pois graças à elas eu sigo na liderança do ranking”, agradece.

     

    Em Rota Imperial, o paulista terminou em 6° lugar geral e foi o 2° colocado em sua categoria. Posteriormente disputou o Duathlon na etapa de Estrada real, em Tiradentes e, dessa vez, fez uma viagem planejada e tranquila. Porém a tranquilidade não esteve presente durante a prova, já que Arthur teve a gancheira de sua bicicleta quebrada durante o quilômetro 12 do circuito de bike e precisou concluir os outros 15 a pé, com a bicicleta nas costas. O resultado, obviamente, não foi o esperado e a sua vantagem para o segundo e para o terceiro colocados do ranking, Guilherme Villas Boas e Kaydson Rabello, respectivamente, foi encurtada. Agora ele sabe que não poderá faltar em nenhuma etapa até o fim do ano e que, provavelmente, o campeonato só será decidido na última edição de 2017, em Paraty.

     

    “Vou ter um custo consertando a bike agora, mas preciso acelerar isso para chegar forte em Ponta Grossa e Ilhabela. Com certeza a competição será decidida em Paraty, mas para isso acontecer eu não poderei perder nenhuma etapa até lá. Guilherme e Kaydson são meus amigos, a gente se dá muito bem e isso torna tudo ainda mais legal, mas ninguém quer perder”, afirma Arthur Henrique Reis, com muito bom humor e um riso espontâneo.

    XTERRA Estrada Real 2017: dois dias de competições emocionantes

    Lotado, festival de esportes off-road voltou a ter Rosália Camargo e Isabella Ribeiro como campeãs e surpreendeu em modalidades masculinas

    As Night Runs iluminaram a bela cidade de Tiradentes com as milhares de lanternas dos competidores

    A principal etapa do XTERRA Brazil aconteceu neste fim de semana. O XTERRA Estrada Real, patrocinado pelo SESI FIEMG, na histórica cidade de Tiradentes, em Minas Gerais, foi marcado pela chuva e voltou a bater recordes de inscrições, com cerca de 4.500 atletas distribuídos nas oito modalidades. A Endurance (50 km), com 250 competidores, foi uma das maiores da história do evento em território nacional e contou, inclusive, com a oração do combatente da montanha, que foi comandada pelo cabo Laurent, do 11° Batalhão de Infantaria de Montanha. A tradicional buzina de largada foi substituída por tiros (ao céu) de fuzil do militar e ajudou a animar ainda mais o público e os competidores.
    No primeiro dia de competições, as sempre favoritas Rosália Camargo e Isabella Ribeiro voltaram a dominar suas respectivas provas, Endurance e Duathlon. Com mais esta conquista, a 13° no XTERRA, Rosália garantiu o título do ranking anual, enquanto a mineira Isabella ainda segue travando um duelo emocionante, prova a prova, com a paulista Sabrina Gobbo, que terminou em segundo lugar em Tiradentes.

    Isabella Ribeiro deu um sorriso aliviado em sua linha de chegada

    Entre os homens o inesperado aconteceu. Campeão do ranking de 2016 sem vencer nenhuma etapa, Gleiciomar dos Santos conquistou sua primeira vitória no XTERRA Endurance, superando favoritos. Após um período de inatividade, o atleta voltou bem, mas não conseguirá repetir o feito da última temporada, pois Márcio Souza chegou na quarta colocação da prova e confirmou o título do ranking 2017. Tales Camargo – o único com chances matemáticas de superar Marcinho – desistiu da prova por contusão.

    Gleiciomar e toda a sua emoção verdadeira ao saber que foi o vencedor

    “Tive um problema na panturrilha e fiquei muito tempo sem poder correr oficialmente. Vim para Tiradentes querendo vencer, claro, mas não esperava. Ano passado fui o líder do ranking, mas havia chegado sempre em segundo lugar. Venci pela primeira vez agora e por isso chorei demais na chegada, a emoção foi grande, lembrei das minhas filhas e as dedico essa vitória, inclusive. Ano que vem quero voltar mais forte e reconquistar o topo do ranking, livre de lesões. O XTERRA está de parabéns por tudo! ” Exclamou Gleiciomar dos Santos.
    No Duathlon masculino, o vencedor também foi inédito no XTERRA Brazil. Sérgio Henrique Pereira desbancou os “cascas-grossas” Marcello Sebastião e Diogo Malagon e mostrou-se surpreso com o resultado. “O Marcello Sebastião estava bem à frente, mas ele cometeu um erro no circuito da bike e abriu uma brecha para os outros. Eu aproveitei melhor, apesar da dificuldade com a chuva, e ganhei. Não esperava vencer e, principalmente, não esperava o equívoco do Marcello”, declarou o atleta de 29 anos de idade. 
     
    MTB Cup Sport, Cup Pro e Enduro
    No segundo dia do XTERRA Estrada Real foi a vez dos mountain bikers mostrarem suas habilidades. No MTB Cup Sport (36,2 km) os vencedores foram Erick Eduardo de Resende e Camila de Oliveira, mas o destaque foi na prova Cup Pro (42,4 km), que mais uma vez, teve os irmãos Carlos Alberto Olimpio e Karen Olimpio dominando do início ao fim. Residentes em Tiradentes, campeões admitem que conhecer o terreno faz a diferença, mas também lembram de todo o empenho.
    “Conheço bem o percurso, a estrada, o tipo de solo e isso me dá uma vantagem, claro. Mas os treinamentos são diários e muito duros, então é o que me deixa mais competitivo a cada dia”, garantiu Carlos Alberto, enquanto sua irmã Karen, fez referência ao momento família. “Foi especial, a mãe na Short Trail Run por diversão, a outra irmã (Kelly) em terceiro no Duathlon, o pai venceu na faixa etária dele no MTB e essa dobradinha dos irmãos para encerrar. Foi um evento sensacional para todos nós”, disse.
    A modalidade mais veloz e mais demorada do XTERRA, a Enduro, reservou grandes performances dos atletas. Durante os dois dias do festival, os ciclistas desta prova tiveram que superar limites para conseguirem realizar os deslocamentos nos tempos limites e abusarem da técnica para pedalar em dois climas e solos diferentes. No sábado a chuva, a temperatura mais baixa, os ventos “cortantes” e o solo enlameado, no domingo o sol escaldante, as bikes mais pesadas com a lama grudada nos pneus e o desgaste ainda maior. A “fera” Leonardo Mattioli venceu sua segunda etapa seguida e se consagrou na cidade em que havia perdido em 2016. Entre as mulheres, Patrícia Loureiro superou Lucy Onodera e Suelen Couto.

    A prova de Enduro reuniu atletas de várias idades e cidades

    Todos os resultados podem ser conferidos no link https://goo.gl/SgFejL.
    A próxima edição do XTERRA Brazil Tour 2017 será o Camp Paraná, nos dias 14 e 15 de outubro. Em seguida, nos dias 28 e 29 do mesmo mês é a vez de mais uma bela etapa XTERRA Ilhabela, em São Paulo.

    XTERRA Estrada Real promete repetir sucesso em Minas Gerais

    Maior festival de esportes off-road do mundo chega à nona edição em 2017 com vários atletas de elite; Rosália Camargo vai defender o título na Endurance (50 km)

    16_Xterra_Estrada_Real_50Km (11)A prova de 50 km, mais uma vez, será lotada de competidores de alto nível. Foto: Thiago Lemos

    Tida por muitos como a etapa mais charmosa do Brazil Tour, o XTERRA Estrada Real está de volta. Nos próximos dias 30 de setembro e 1° de outubro, o evento reunirá, em Tiradentes, Minas Gerais, cerca de 5.000 atletas competindo em provas desafiadoras e bastante exigentes, como a Short Night Run (9,7 km) e a Half Night Run (21,7 km), que serão disputadas à noite e tendem a apresentar um espetáculo luminoso com às lanternas acesas dos corredores. As inscrições ainda podem ser feitas através do link https://goo.gl/QkkLKJ.
    Na difícil Endurance (50 km), a carioca Rosália Camargo, atual campeã do XTERRA Estrada Real e de outras 11 etapas do evento até hoje, tem presença garantida novamente e, dessa vez, ela vem ainda mais forte. O motivo são lembranças, porém nem sempre triunfais, segundo a própria.
    “Estou desde 2012 participando dessa modalidade em Tiradentes, então nem preciso dizer o quanto gosto da cidade, do percurso e da organização. Estou animada para mais uma largada ao lado de grandes atletas e foi lá que tive os momentos mais emocionantes da carreira. Em 2013 tive a chegada mais incrível da minha vida, que foi à noite, após descer a ladeira de pedras da Praça da Rodoviária, com o público iluminando meu caminho com várias lanternas e celulares, gritando que eu era a campeã. No ano seguinte eu caí em uma pedra, abri o joelho direito e foi uma luta para concluir o trajeto. Ano passado sofri com o calor, mas venci outra vez e vi minha filha na reta final, então realmente o XTERRA Estrada Real é especial para mim”, revela Rosália.

    16_Xterra_Estrada_Real-298Rosália Camargo, com a filha Maria, cruzando a linha de chegada em 2016. Foto: Thiago Lemos

    Mas o XTERRA Estrada Real, que é patrocinado pelo SESI FIEMG, não é composto apenas pelas corridas a pé. O XTERRA Duathlon, o MTB Cup Sport e MTB Cup Pro, além da modalidade Kids para a criançada e a nova MTB Enduro também terão vez em Minas Gerais. A prova de Enduro no XTERRA é relativamente nova no cronograma. Esta será apenas a terceira edição da competição empolgante de mountain bike, que teve Diego Knob e Leonardo Mattioli como únicos campeões profissionais.

    16_Xterra_Estrada_Real_Enduro (23)O XTERRA Enduro promove muita adrenalina em suas descidas íngremes. Foto: Thiago Lemos

    XTERRA Estrada Real – MG

    Data: 30 de setembro e 1° de outubro – Temporada 2017
    Local: Rua Ovídio de Abreu, 12 – Tiradentes, MG
    Inscrições:  https://goo.gl/QkkLKJ

    Cronograma: http://www.xterrabrasil.com.br/tour-2017/wp-content/uploads/docs/cronograma/10_cronograma_Estrada_Real.pdf

    Léo Mattioli, atleta de elite do MTB Enduro, se prepara para o XTERRA Estrada Real

    Tido como um dos principais propagadores da modalidade no Brasil, mineiro elogia evento e quer atrair ainda mais atletas para a competição

     

    As bicicletas voam? Pode parecer uma pergunta paradoxal, mas na cidade de Belo Horizonte, terra natal de Léo Mattioli, um dos maiores talentos do esporte sobre duas rodas, é possível que haja a confusão. Basta olhar em direção às áreas montanhosas que irá avistar e registrar as “magricelas” bailando pelo ar, conduzidas por aventureiros imitando o mentor, que apesar de jovem, já lhes serve de exemplo e, em muitos casos, de professor.

     

    “Essa questão de ser referência eu acredito e espero de coração que meu trabalho possa inspirar os novatos a começarem no esporte que só cresce no Brasil. Inclusive eu venho fazendo algumas pistas profissionais e um dos meus maiores desejos é que elas se tornem novos ninhos para que haja cada vez mais um maior número de ciclistas”, almeja Mattioli, que aos 32 anos, já foi campeão pan-americano master de Downhill (2014), é o atual detentor do título Super Enduro Brasil (2017) e representa marcas como a Yeti Cycles Brasil, a Off Camber Bike Shop, a Maxxis e outras tantas.

     

    Há 25 anos pedalando por todo tipo de território mundial e em diversos pisos, o mineiro revela que sua paixão é pedalar em busca de desafios e novas trilhas com belos cenários. Sendo assim, a participação no XTERRA Brazil, o maior festival de esportes off-road do mundo, passou a ser lógica. Sua primeira aparição foi na etapa de Tiradentes 2016, onde ficou com a segunda colocação na modalidade Enduro, que era novidade à época. No último mês de maio, em Ilhabela, na principal etapa de 2017, o mineiro não deu chances ao azar e conquistou o ouro, o que o faz chegar como favorito no próximo dia 1° de outubro, novamente em Tiradentes, no XTERRA Estrada Real, onde foi superado inicialmente.

     

    “Estou animado para esta corrida, que é uma das melhores do Brasil e espero manter a liderança do campeonato, mas em Enduro não dá para ter nenhum tipo de sentimento de favoritismo. Tem que ir lá e fazer o melhor na hora sem se preocupar com os outros”, revela.

    Léo Mattioli

     

    Aproveitando os prazeres que só uma competição de Enduro pode oferecer, Léo deixa um recado para os fãs de mountain bike: “Essa modalidade é incrível! Tem que cumprir o tempo de deslocamento para estar na largada de cada percurso e no final da corrida o que vale é a soma dos trechos cronometrados. A Enduro vem crescendo muito e está buscando muita gente do Cross Country e do Downhill, pois não precisa de tanta estrutura para treinar. Além disso, as bicicletas estão cada vez mais evoluídas e permitem descer com velocidade e segurança. Disputar nessa modalidade traz um prazer máximo. Todo mundo tem que experimentar”, garante Léo Mattioli.

     

    Do começo

    Com tradição no esporte na família, porém no mundo aquático, já que é sobrinho do nadador Marcus Mattioli, que é medalhista olímpico (bronze no revezamento dos Jogos de 1980, em Moscou), Léo sempre contou com o incentivo de familiares, com a ressalva de não abandonar os estudos. Como é comum na vida de vários esportistas, Léo descobriu a sua vocação ainda muito jovem, logo aos 7 anos, por sugestão dos primos em Belo Horizonte. Pedalar logo virou um hábito e a rotina de quedas passou a ser realidade, mas nada que influenciasse a sua decisão de seguir praticando o esporte off-road. “Sempre gostei muito de me aventurar com a bike e os capotes são inevitáveis até hoje, mas não me impedem de fazer o que amo”, finaliza o atleta e engenheiro civil Leonardo Mattioli.

    MENU