39.0481, -77.4728
  • ITAIPAVA

    24 e 25 de agosto

    Itaipava

    Petrópolis– RJ

    -22.903730, -43.609380 Increva-se Saiba Mais
  • ESTRADA REAL

    28 e 29 de setembro

    Estrada Real

    Tiradentes – MG

    -21.110108, -44.173202 Inscreva-se Saiba Mais
  • ILHA GRANDE

    05 e 06 de Outubro

    Ilha Grande

    Angra dos Reis – RJ

    -12.574687, -38.004731 Inscreva-se Saiba Mais
  • INDAIATUBA

    02 e 03 de Novembro

    Indaiatuba

    Indaiatuba – SP

    -23.112450, -47.216160 Inscreva-se Saiba Mais
  • BUZIOS

    30 de novembro e 01 de dezembro

    Búzios

    Armação dos Búzios – RJ

    -22.752792, -41.884151 Inscreva-se Saiba Mais
  • COSTA VERDE

    9 e 10 de Fevereiro

    Costa Verde

    Mangaratiba - RJ

    -22.949793, -44.074256 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • BRAZIL

    11 e 12 de Maio

    BRAZIL

    Ilhabela – SP

    -23.112450, -47.216160 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • OURO PRETO

    01 e 02 de Junho

    OURO PRETO

    Ouro Preto – MG

    -20.3948400, -43.5051700 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • PRAIA DO FORTE

    08 e 09 de Junho

    Praia do Forte

    Mata do São João – BA

    -12.574687, -38.004731 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • AGULHAS NEGRAS

    13 e 14 de Julho

    Agulhas Negras

    Visconde de Mauá - Resende/RJ

    Resultados Trail Run Inscreva-se Saiba Mais
  • x
  • Descontos
  • Cadastro feito com sucesso!

    OK
    x

    Cadastre-se e fique
    por dentro do mundo XTERRA!

    Quais as suas modalidades de interesse?

    x

    Fale conosco!

    Sua mensagem foi enviada com sucesso!

    Resende Águas Abertas chega à 3° colocação do ranking de assessorias

    Equipe de natação liderada por Artur Pedroza aproveitou etapa em casa para somar mais de 60 pontos, mesmo sem provas aquáticas

     

    O XTERRA Agulhas Negras foi realizado nos últimos duas 13 e 14 de julho, em Visconde de Mauá, cidade colada ao município de Resende, terra do nadador Artur Pedroza, líder da assessoria Resende Águas Abertas. Aproveitando-se da proximidade, a equipe fez bonito e somou exatos 64 pontos no ranking de assessorias esportivas 2019.

     

    Apesar de ser um grupo especializado em natação em mar aberto, os cariocas provaram que também são amantes de outras modalidades. Como não houve prova aquática em Mauá, todos os atletas da Resende Águas Abertas participaram de provas de trail run e duathlon, que é a prova que mais rende pontos ao ranking grupal.

     

    Ao todo, 308 grupos ou assessorias já participaram do XTERRA Brazil Tour 2019, marcando presença em pelo menos uma, das cinco etapas já disputadas. A próxima parada será nos dias 24 e 25 de agosto, em Itaipava, no Rio de Janeiro.

     

    Confira abaixo o Top 10 atualizado e a classificação completa em http://xterrabrasil.com.br/tour/rankings-2019/#1542914649184-27dc8ac9-81a8.


    1° – Chivunk – 393 pontos;

    2° – Sidney Pereira Team – 359 pontos;
    3° – Resende Águas Abertas – 249 pontos;

    4° – BH Trail Run – 229 pontos;

    5° – Rocksport – 198 pontos;

    6° – Bita Esportes – 189 pontos;

    7° – Angra Runners – 168 pontos;

    8° – TEO Esportes – 156 pontos;

    9° – Big Field Run RJ – 145 pontos;

    10° – OCR & Trail Viçosa – 130 pontos;

    Felipe Moletta e Laura Mira abrem vantagem na pontuação do ranking de triathlon 2019

    Com um heptacampeonato de triathlon na bagagem, Felipe Moletta é o maior campeão da história do XTERRA Brazil. Apesar de tantas conquistas e tamanho status, o paranaense de 33 anos parece ter começado 2019 ainda mais motivado, marcando presença em todas as etapas até o momento e já somando duas vitórias consecutivas, no XTERRA Ouro Preto e no XTERRA Praia do Forte. O campeão já tem 395 pontos somados, enquanto o segundo colocado, Rafael Juriti, possui 252.

     

    Na 3° colocação geral encontra-se o santista Marcus Fernandes, o Markinhos, que abriu a temporada com um triunfo importante no XTERRA Costa Verde, mas depois não conseguiu repetir a boa performance em Ilhabela e ficou para trás temporariamente nesta briga pelo título nacional, com 184 pontos. Na quarta e na quinta colocações aparecem Diogo Malagon, campeão em 2015, e Hugo Amaral, com 180 e 176 pontos respectivamente.

     

    Mesmo com a diferença grande na pontuação momentânea, é totalmente possível que tenhamos um campeão inédito, já que o regulamento soma apenas as seis maiores pontuações da temporada, descartando as outras quatro. “Com certeza vou participar do circuito e irei no máximo possível de etapas que der. Vou em busca do título do ranking desta vez”, garantiu Markinhos no último mês de fevereiro, quando acabara de cruzar a linha de chegada em Mangaratiba. Parece que o maior problema para Markinhos nem será a quantidade de edições em que participará e sim a obsessão de Moletta por troféus, que parece só aumentar com o passar dos anos.

     

    Entre as mulheres, Laura Mira, aos 34 anos de idade, espera conseguir seu primeiro título na história do evento. A paulista já “bateu na trave” algumas vezes, mas 2019 parece ser o seu momento. Com 372 pontos, a embaixadora do triathlon XTERRA já possui uma confortável vantagem para a segunda mais bem ranqueada, Luiza Zanini, que tem 168. A atual pentacampeã nacional Sabrina Gobbo já havia anunciado que não competiria com o mesmo ímpeto dos últimos anos e, com isso, a loira não figura nem entre as cinco primeiras no ranking mais recente. Sabrina participou apenas do XTERRA Brazil, em Ilhabela, quando chegou em terceiro lugar, atrás da neozelandesa Samantha Kingsford e da chilena Valentina Carvallo.

     

    Mirian Damásio, estreante na elite do triathlon, surge na posição 3 com 166 pontos, seguida por Samantha Kingsford, com 115 e Valentina Carvallo, com 105.

     

    As pontuações de todas as modalidades e categorias do ranking 2019 você pode acompanhar clicando em http://xterrabrasil.com.br/tour/rankings-2019/#1493411913356-8548db37-76af6ecb-a1c5.

    Sidney Pereira Team se aproxima de Chivunk no topo do ranking de assessorias esportivas 2019

    Assessoria especializada em provas aquáticas fica a 28 pontos da atual campeã

     

    O ranking de assessorias esportivas XTERRA segue bastante movimentado. Aparenta-se que teremos uma briga ponto a ponto pelo título de 2019, já que a Sidney Pereira Team parece estar motivada em não permitir o bicampeonato da carioca Chivunk, que segue na liderança, com 28 pontos à frente.

     

    Com um desempenho avassalador em Ilhabela, a Resende Águas Abertas somou mais 87 pontos e já ocupa a 3° colocação geral.

     

    Confira abaixo o Top 10 atualizado e a classificação completa em http://xterrabrasil.com.br/tour/rankings-2019/#1542914649184-27dc8ac9-81a8


    1° – Chivunk – 359 pontos;
    2° – Sidney Pereira Team – 331 pontos;
    3° – Resende Águas Abertas – 185 pontos;

    4° – Angra Runners – 163 pontos;

    5° – Big Field Run RJ – 120 pontos;

    6° – Coletivo Outdoor – 118 pontos;

    7° – Vem Nadar – 115 pontos;

    8° – Vasco da Gama – 107 pontos;

    9° – MCP Performance – 95 pontos;

    10° – Runners da Vila Militar – 86 pontos;

    Do amadorismo à profissionalização no XTERRA: conheça a triatleta Mirian Damásio

    Após ser bicampeã em sua faixa etária, paulista passou a integrar elite do triathlon na abertura da atual temporada

     

    O primeiro XTERRA disputado foi em maio de 2017, na clássica etapa de Ilhabela. Ali, o nome Mirian Damásio entrava para o sistema eletrônico do evento, mas não seria uma mera junção de caracteres em uma prova aleatória e sim o início de uma jornada campeã. Nascida em Mogi Mirim, Mirian tem pouco tempo no mundo do triathlon – pouco mais de dois anos – porém muito empenho e talento já revelam um currículo impressionante.

     

    “Sou bicampeã (17 e 18) da minha faixa etária (25 a 29 anos) no XTERRA. Comecei a praticar os esportes quando terminei a faculdade de fisioterapia, em 2015, a fim de cuidar da saúde. Eu fazia natação, corrida e pedalava também, porém tudo separadamente. No fim de 2016, um amigo chamado Paulo Borges me convidou para participar do triathlon no XTERRA de maio de 2017, então eu tive cerca de cinco meses para treinar e me apaixonei pela modalidade. Atualmente treino com planilha cerca de seis vezes por semana, sempre no período noturno e duas vezes semanais no funcional quase de madrugada”, explica Mirian.

    Em ação em Ilhabela, quando ainda usava o número de peito na cor de atleta amador

     

    Apesar de bons resultados em tão pouco tempo e à dedicação ferrenha aos treinamentos, a mogi-miriana ainda sofre desconfianças. Mesmo assim, ela mantém o sonho de um dia ser campeã do ranking nacional do XTERRA. Pensando isso, a morena já se profissionalizou em 2019, seguindo as normas exigidas pelo evento (ter concluído o ranking de triathlon como amador nos dois últimos anos), e já competiu na 1° etapa do ano, em Costa Verde. O desempenho ainda foi abaixo do esperado, mas o nervosismo era tão grande que a triatleta relevou.

     

    “Meus familiares estão se acostumando com a ideia. Ainda me questionam bastante sobre gastos, ausência em alguns finais de semana, treinamentos sem companhia, mas aos poucos vão aceitando porque sabem que é uma paixão enorme em minha vida. Faço pelo que me proporciona física e mentalmente, além da vibe e as ótimas experiências. Enfim, ainda preciso melhorar a parte da bike e resgatar meus melhores tempos na água, mas usar a touca preta (referência à cor do acessório aquático dos profissionais no XTERRA) é foda! Tive uma sensação de responsabilidade maior e acho que pensar que algo poderia dar errado me fez diminuir o ritmo. Poderia ter baixado o tempo em sete minutos”, analisou.

     

    Questionada sobre o motivo que a fez se profissionalizar, Mirian, que ficou em 3° lugar (1h59min29seg) no XTERRA Costa Verde (disputado em 09/02), não pestanejou: “Fui atrás de um desafio maior! Em breve espero ser campeã na elite também”. A atleta de Mogi já confirmou presença na 2° etapa do circuito de 2019, o XTERRA Brazil, em Ilhabela, SP, que acontecerá nos próximos dias 11 e 12 de maio.

     

    Mirian Damásio, em 3°, no pódio feminino do triatlhon no XTERRA Costa Verde

     

    Ranking de assessorias esportivas 2019 começa com atual campeã na liderança

    O ranking de assessorias esportivas XTERRA começou sua terceira edição em 2019. Cada vez atraindo mais interesse dos grupos Brasil afora, a competição já consagrou duas campeãs: Master Fit de Paraty (2017) e Chivunk (2018). Com a abertura da temporada atual em Mangaratiba, nos últimos dias 9 e 10 de fevereiro, no tradicional XTERRA Costa Verde, o ranking computou seus primeiros pontos. Atual vencedora, a carioca Chivunk largou na frente das demais, porém com uma vantagem curta, de apenas 34 pontos.

     

    Ao todo foram 132 grupos, clubes ou assessorias inscritas na primeira etapa do ano. Entre as dez primeiras destacam-se, além da já citada Chivunk, a Sidney Pereira Team, que ocupa a segunda colocação e pinta como forte concorrente ao título de 2019, a sempre poderosa Angra Runners e o crescimento das aquáticas, como a Vem Nadar e a Resende Águas Abertas, do multicampeão Artur Pedroza. Quem também aparece no top 10 pela primeira vez é o Club de Regatas Vasco da Gama, que ocupa a honrosa sexta colocação com 101 pontos, graças à forte equipe de natação que “invadiu” o mar de Mangaratiba.

     

    Confira abaixo o Top 10 atualizado e a classificação completa em http://xterrabrasil.com.br/tour/rankings-2019/#1542914649184-27dc8ac9-81a8

    1° – Chivunk – 336 pontos;

    2° – Sidney Pereira Team – 302 pontos;
    3° – Angra Runners – 158 pontos;

    4° – Big Field Run RJ – 120 pontos;

    5° – Vem Nadar – 106 pontos;

    6° – Vasco da Gama – 101 pontos;

    7° – Resende Águas Abertas – 98 pontos;

    8° – MCP Performance – 95 pontos;

    9° – Runners da Vila Militar – 86 pontos;

    10° – Triathlon para Todos – 71 pontos;

     

     

    As três assessorias que somarem a maior pontuação pelo mix de modalidades ganharão troféus. Além do título, a campeã será premiada com 20 camisas personalizadas + 7 cortesias em 2020 (na modalidade com mais inscritos em 2019). A vice-campeã receberá ainda 10 camisas personalizadas + 3 cortesias em 2020 (na modalidade com mais inscritos em 2019). Já a terceira terá cinco utilizações de um cupom de 40% de desconto em 2020 (na modalidade com mais inscritos em 2019).

     

    Relembrando o modelo de pontuação:

     

    • Trail 5K e Trail 10K – 1 ponto por atleta;
    • Trail 21K – 2 pontos por atleta;
    • Swim Challenge 1,5K – 2 pontos por atleta;
    • Swim Challenge 3K – 3 pontos por atleta;
    • MTB Cup Sport e MTB Cup Pro – 3 pontos por atleta;
    • Triathlon / Duathlon/ Aquathlon – 5 pontos por atleta;
    • Endurance – 7 pontos por atleta;
    • MTB X6 – 7 pontos por atleta;

    XTERRA define campeões de 2018 após etapa lotada em Paraty

    3.200 pessoas prestigiaram última edição do ano, onde mais de 2.500 atletas competiram e decidiram suas colocações finais no Triathlon, Trail Run, MTB e Swim

     

    Os dias chuvosos que antecederam o XTERRA Paraty, disputado nos dias 1 e 2 de dezembro, na Praia do Pontal, deixaram o solo da região bem pesado e enlameado, porém isso tornou as provas mais divertidas para os amadores e mais técnicas para os profissionais. Mais de 2.500 atletas participaram de um festival bem descontraído no litoral do Rio de Janeiro, com um fechamento de temporada empolgante principalmente nas disputas do triathlon masculino e do MTB feminino e masculino, que ainda não tinham campeões definidos.

     

    O clima familiar e bem-humorado tomou conta da Arena XTERRA já na sexta-feira (30/11) durante a entrega de kits e o simpósio de triathlon. Cerca de 3.200 pessoas estiverem presentes durante os dois dias de competições, seja participando ou assistindo. Alguns até se impressionaram com o desempenho dos profissionais, como o português Bruno Valente, que realizou a trail run diurna e a noturna, ambas com 6,5 km de distância, mas teve sua atenção voltada mesmo para a prova de 21 km.

     

    “O Antônio teve um desempenho extraordinário, com um pace monstruoso, ao nível de um maratonista da elite mundial. É incrível ver uma performance assim no meio do mato”, afirmou Bruno, aproveitando para elogiar o XTERRA Brazil: “Gostei muito do evento brasileiro, achei bem melhor que o de Portugal, que nunca participei apesar da vontade, mas já assisti e não passa a mesma energia”, comparou.

     

    Antônio Gonçalves, bicampeão do ranking XTERRA teve performance em Paraty comparada a de um maratonista.

     

    Trail Run 21km

    Como o “gajo” antecipou, a trail run 21 km foi um verdadeiro espetáculo para os amantes de corrida. O mineiro Antônio Gonçalves precisava chegar em primeiro lugar para ser campeão do ranking de 2018 e não tomou conhecimento da chuva, dos adversários e do solo escorregadio. Com uma sensacional média de 3:50 a cada km, o atual campeão de 2017 deu um show e se sagrou bicampeão. Entre as mulheres a campeã foi a ilhabelense Geisla dos Santos, que já havia conquistado o título por antecipação e não esteve presente em Paraty porque estava representando o Brasil no XTERRA World Championship, no Havaí, disputado no domingo (2/12). Geisla, que é pentacampeã de trail run 21 km do XTERRA nacional, ficou em 9° lugar geral no mundial e em 2° em sua faixa etária. A vencedora em Paraty foi Lúcia Sousa, da RA Assessoria Esportiva.

     

    “O resultado no Havaí foi ótimo, consegui atingir meu objetivo de ficar no top 10 do mundo e já garanti minha vaga para 2019. Ainda coloquei o Brasil no pódio ficando em segundo em minha categoria. Tudo maravilhoso”, comentou Geisla.

     

    Geisla fez bonito no Havaí, com um 9° lugar geral e 2° em sua categoria de 20 a 29 anos.

     

    Triathlon

    A prova mais esperada era a de triathlon e o motivo era simples: três competidores tinham chances de título. Felipe Moletta, atual hexacampeão do circuito (2011, 2012, 2013, 2014, 2016, 2017) era o único que dependia apenas de si próprio. Usando toda sua experiência e frieza, o paranaense não deu chance ao azar e manteve seu lugar no topo, com uma vitória sobre os rivais Diogo Malagon e Rafael Juriti, que terminaram em 2° e 4° lugares respectivamente. Agora heptacampeão, Moletta foi o segundo a sair da água, atrás de Hugo Barbosa somente, mas na parte do pedal, como sempre, o campeão mostrou sua força, completando o percurso três minutos mais rápido que o segundo ciclista mais veloz, Rodrigo Altafini. Moletta completou a prova em 02:03:10 e comemorou com seu filho João Moletta.

     

     

    Já na categoria feminina, a fenomenal Sabrina Gobbo já havia garantido seu pentacampeonato em agosto, mas voltou a vencer em Paraty. A segunda colocada na etapa e no ranking foi Laura Mira. Além de troféus e descontos para a próxima temporada, o triathlon  do XTERRA tem premiação em dinheiro para os três primeiros colocados do ano, onde os valores são de R$ 5.940,00, R$ 3.780,00 e R$ 2.160,00 respectivamente.

     

    MTB Cup Pro

    O ranking de mountain bike teve apenas Edivando de Souza (2015) e Sidnei Fernandes (2016 e 2017) como campeões até hoje. Na atual temporada, tivemos um campeão inédito, o mineiro Daniel Grossi, que dominou a prova paritiense, chegando 13 segundos à frente de Sidnei, que ficou com o vice-campeonato também. Edivando ficou com a 3° colocação. No feminino, a “guerra” entre Sofia Subtil e Roberta Stopa se fez desde a primeira etapa do ano, em março. Desde então, ambas foram vencendo alternadamente, com a rival e amiga chegando sempre em segundo. Sendo assim, quase empatadas, as ciclistas decidiriam o ano em Paraty. Deu Sofia, que conquistou o bicampeonato com uma performance segura e tranquila, chegando com 01:33:40, em seguida vieram Sabrina Gobbo (3° geral em 2018) com 01:36:25 e Stopa (vice-campeã 2018), com 01:43:15. O ranking de MTB tem a mesma premiação em dinheiro que o triathlon.

     

    Bastante sujo de lama, Grossi comemorou o título de 2018 empenando sua bike.

     

    OBS: O percurso do MTB Cup Pro em Paraty precisou sofrer uma alteração por questões de segurança devido à chuva, que triplicou a dificuldade do trajeto. Ao invés de 44km, os atletas pedalaram 22 km.

     

    Swim Challenge 1,5 km e 3 km

    Na parte aquática, o famoso Swim Challenge do XTERRA, já estava tudo resolvido entre os homens. Na categoria de 1,5 km, Daniel Costa Cunha, campeão em 2017, manteve o título com um bicampeonato perfeito no primeiro semestre (3 vitórias consecutivas). Nos 3km, o ex-atleta da seleção brasileira de natação, Artur Pedroza, voltou a ser campeão por antecipação. Foi o 4° título consecutivo da “fera dos mares”, que além de ser multicampeão, é embaixador XTERRA e membro do Hall da Fama XTERRA. Artur não esteve presente em Paraty e Daniel competiu na prova dos 3km, onde foi vice-campeão geral. Os vencedores da etapa foram Renato Donha (1,5km) e Pedro Paz (3km).

     

    Já entre as nadadoras, Clarissa Brito venceu a distância mais curta superando Patrícia de Oliveira, mas não foi o suficiente para superá-la no ranking. Patrícia foi a campeã de 2018 e Clarissa foi a vice-campeã novamente (já tinha sido em 2017). Nos 3km, vitória de Laura Poli na etapa e troféu dourado de ranking 2018 para Mirella Salomon.

     

    O XTERRA Paraty foi apresentado pelo SESI e teve apoio da Speedo e da Maçãs Turma da Mônica.

     

    O ranking de todas as modalidades do XTERRA Brazil Tour 2018 pode ser conferido em http://xterrabrasil.com.br/tour/rankings-2018/#1542912027959-e9d0d1b1-76bb .

    Sem alterações na linha de frente, ranking de assessorias esportivas segue com Chivunk, TEO Esportes e Mova Assessoria no pódio

    O cenário do XTERRA Camp Praia do Rosa roubou a cena. Foto: Foco Radical

     

    Aconteceu no último fim de semana (20 e 21) o XTERRA Camp Praia do Rosa, em Imbituba, SC. A edição foi a 8° da temporada de 2018 e ficou marcada pelo ineditismo e pelo visual encantador. Ao todo, 30 assessorias esportivas estiveram presentes com pelo menos um atleta as representando. Destaque para a Hub 375, Riders Team, Clube Curitibano, New Pace e Mooving Treinamento Esportivo, que levaram mais de 15 participantes cada uma. Sem grandes alterações na classificação do campeonato à parte, a carioca Chivunk já “colocou as duas mãos na taça”.

     

    Após o XTERRA Camp Praia do Rosa, a classificação atualizada dos primeiros 15 colocados do ranking é a seguinte:

     

    1° – Chivunk – 326 pontos;
    2° – TEO Esportes – 136 pontos;
    3° – Mova Assessoria – 116 pontos;
    4° – Correbom BD – 103 pontos;
    5° – Tri Caipiras – 102 pontos;
    6° – Bita Esportes – 101 pontos;
    7° – Rocksport– 94 pontos;
    8° – Life 4 Fun – 84 pontos;
    9° – Studio Saúde – 81 pontos;
    10° – Sidney Pereira Team – 80 pontos;
    11° – OCR & Trail Viçosa – 70 pontos;
    12° – Vem Nadar – 67 pontos;
    13° – Master Fit – 66 pontos;
    14° – Angra Runners – 64 pontos;
    15° – Rua Assessoria Esportiva – 63 pontos.

     

    As três assessorias que somarem a maior pontuação pelo mix de modalidades ganharão troféus. Além do título, a campeã será premiada com 20 camisas XTERRA, 30 cupons de 20% de desconto e 5 inscrições cortesia (na modalidade com mais inscritos). A vice-campeã receberá 10 camisas XTERRA e 20 cupons de 20% de desconto, enquanto que a terceira colocada levará 10 cupons de 20% de desconto.

     

    Relembrando o modelo de pontuação:

    •   Triathlon / Duathlon / Aquathlon – 3 pontos por atleta (de cada assessoria) que largar efetivamente;
      • MTB Cup – 3 pontos por atleta (de cada assessoria) que largar efetivamente;
      • Endurance – 2 pontos por atleta (de cada assessoria) que largar efetivamente;
      • Trail Runs (10 km ou 21 km) – 1 ponto por atleta (de cada assessoria) que largar efetivamente;
      • Swim Challenge – 1 ponto por atleta (de cada assessoria) que largar efetivamente.

     

    Chivunk abre vantagem no ranking de assessorias esportivas

    Equipe carioca atinge 321 pontos em duas etapas do circuito XTERRA 2018 e lidera classificação com sobras

    A dois dias de iniciar a 3° etapa do XTERRA Brazil Tour 2018, o ranking de assessorias esportivas continua movimentando uma disputa saudável entre as equipes espalhadas pelo Brasil. Após o XTERRA Brazil, disputado nos últimos dias 12 e 13 de maio, em Ilhabela, o campeonato já contou com a participação de mais de 150 assessorias especializadas na prática esportiva e uma em especial, “rouba a cena”, a carioca Chivunk.
    Com apenas duas etapas válidas até o momento, a Chivunk já levou 193 atletas às provas off-road do grande festival e, por isso, lidera o ranking com 321 pontos, mais de 200 à frente da segunda colocada, a Tricaipiras, maior equipe de triathlon do estado de São Paulo, que computa 99 pontos até o momento. Completando o pódio vem a Sidney Pereira Team, com 70 pontos.
    Confira abaixo as primeiras colocadas:
    1° – Chivunk – 321 pontos;
    2° – Tricaipiras – 99 pontos;
    3° – Sidney pereira Team – 70 pontos;
    4° – Angra Runners – 64 pontos;
    5° – Studio Saúde – 52 pontos;
    6° – Master Fit – 48 pontos;
    7° – Freak Swimmers – 47 pontos;
    7° – Runners da Vila Militar – 47 pontos;
    9 ° – Life 4 Fun – 46 pontos;
    10° – Vem Nadar – 42 pontos;
    11° – WS Consultoria – 35 pontos;
    12° – Equipe G-Ilhabela- 34 pontos;
    13° – Jujuba Radical – 32 pontos;
    14° – Ademir Paulino – 30 pontos;
    14° – Levanta e Vem Treinar – 30 pontos;
    14° – Resende Águas Abertas – 30 pontos;
    As três assessorias que somarem a maior pontuação pelo mix de modalidades ganharão troféus. Além do título, a campeã será premiada com 20 camisas XTERRA, 30 cupons de 20% de desconto e 5 inscrições cortesia (na modalidade com mais inscritos). A vice-campeã receberá 10 camisas XTERRA e 20 cupons de 20% de desconto, enquanto que a terceira colocada levará 10 cupons de 20% de desconto.
    Relembrando o modelo de pontuação:

    • Triathlon / Duathlon / Aquathlon – 3 pontos por atleta (de cada assessoriaa) que largar efetivamente;
    • MTB (Cup ou Enduro) – 3 pontos por atleta (de cada assessoria) que largar efetivamente;
    • Endurance – 2 pontos por atleta (de cada assessoria) que largar efetivamente;
    • Trail Runs (10 km ou 21 km) – 1 ponto por atleta (de cada assessoria) que largar efetivamente;
    • Swim Challenge – 1 ponto por atleta (de cada assessoria) que largar efetivamente;

    Confira a classificação do ranking de assessorias esportivas 2018

    Chivunk dispara, Sidney Pereira Team e Angra Runners quase empatadas em segundo e campeã de 2017 ainda discreta

    O ranking de assessorias esportivas do XTERRA em 2018 começou com tudo! A primeira etapa do circuito, na Costa Verde, no Rio de Janeiro, reuniu milhares de atletas amadores e profissionais, dentre os quais, 804 faziam parte de algum grupo ou assessoria de esportes.

    Com uma premiação ainda maior para as melhores ranqueadas do ano, o número de inscrições feitas por assessorias já representou 43% do total de inscritos na primeira edição da nova temporada do festival de esportes off-road. Atual campeã, a Master Fit de Paraty, de Tales Camargo, embaixador XTERRA, ainda teve um desempenho discreto e ocupa a 12° colocação momentânea. A liderança provisória é da carioca Chivunk, que levou 155 atletas distribuídos nas modalidades de triathlon, aquathlon e trail run, rendendo assim incríveis 221 pontos. O pódio ainda é composto pela Sidney Pereira Team e pela Angra Runners.
    Confira abaixo as 15 primeiras colocadas:
    1° – Chivunk – 221 pontos
    2° – Sidney Pereira Team – 70 pontos
    3° – Angra Runners – 61 pontos
    4° – Freak Swimmers – 47 pontos
    4° – Runners da Vila Militar – 47 pontos
    6° – Vem Nadar – 42 pontos
    7° – WS Consultoria – 35 pontos
    8° – Resende Águas Abertas – 30 pontos
    9° – Levanta e Vem Treinar – 29 pontos
    10° – Desbravadores Mar e Terra – 27 pontos
    11° – Jujuba Radical – 26 pontos
    12° – Master Fit – 25 pontos
    13° – Love Running – 24 pontos
    14° – Gladiadores – 22 pontos
    15° – Triathlon Para Todos – 19 pontos
    As três assessorias que somarem a maior pontuação pelo mix de modalidades ganharão troféus. Além do título, a campeã será premiada com 20 camisas XTERRA, 30 cupons de 20% de desconto e 5 inscrições cortesia (na modalidade com mais inscritos). A vice-campeã receberá 10 camisas XTERRA e 20 cupons de 20% de desconto, enquanto que a terceira colocada levará 10 cupons de 20% de desconto.
    Relembrando o modelo de pontuação:

    • Triathlon / Duathlon / Aquathlon – 3 pontos por atleta (de cada assessoriaa) que largar efetivamente;
    • MTB Cup – 3 pontos por atleta (de cada assessoria) que largar efetivamente;
    • Endurance – 2 pontos por atleta (de cada assessoria) que largar efetivamente;
    • Trail Runs (10 km ou 21 km) – 1 ponto por atleta (de cada assessoria) que largar efetivamente;
    • Swim Challenge – 1 ponto por atleta (de cada assessoria) que largar efetivamente;

    Clarissa Brito foca no título de Swim Challenge 1,5 km 2018

    Apesar de abatimento pela derrota na primeira etapa do circuito, embaixadora XTERRA garante que o objetivo do ano é ser campeã

    Clarissa Brito posa com seus dois troféus conquistados em Costa Verde: ouro no Aquathlon e bronze no Swim

    Uma das novas embaixadoras do XTERRA para 2018, a paulista Clarissa Brito, ex-nadadora profissional, se destacou nas duas únicas provas que realizou na última temporada (Ilhabela e Paraty). Com ambas vitórias incontestáveis, a atleta chamou a atenção da organização e de outras competidoras, que passaram a tê-la como uma grande adversária. Com um desempenho fantástico, comprometimento com o evento e apelo digital, o convite não demorou e Clarissa celebrou, porém já pensa que o título do ano será a melhor forma de corresponder à confiança depositada.
    “Ah, fiquei muito feliz com isso. Passei a adorar o XTERRA quando participei ano passado e me chamarem para ser embaixadora foi muito legal! Queria ter vencido já daquela vez (2017), mas agora vou ser campeã. É meu maior objetivo para este ano e sou muito competitiva, então preciso ganhar por mim e para retribuir a organização do evento”, almeja Clarissa.
    Se em 2017 Clarissa Brito, a “Pandinha” para os mais íntimos, manteve 100% de aproveitamento, em 2018 o gráfico de desempenho começou abaixo do considerado ideal em sua especialidade, o Swim Challenge 1,5 km. No XTERRA Costa Verde, a atleta teve um imprevisto com sua roupa de natação, acabou não conseguindo aquecer e terminou em terceiro lugar, atrás da nadadora do Club de Regatas Vasco da Gama Gabriela Alves e de Priscilla Magalhães. Apesar do pódio, ela não conseguiu disfarçar a decepção e nem mesmo a vitória na inédita modalidade de Aquathlon, a fez se conformar com a falta de sorte.
    “Fiquei triste demais porque tive muito azar! A roupa rasgou e tive que nadar de sunkini, que faz muita diferença. A derrota faz parte, mas se era para perder gostaria de ter perdido competindo da forma que sempre faço, nem aquecer eu consegui porque perdi muito tempo resolvendo como nadaria. A prova, mesmo assim, foi boa e as meninas foram ótimas, mérito delas, mas terei que tirar a desvantagem nas próximas edições”, relatou.
    Nadando desde os 7 anos, Brito revela que a escolha pelo esporte veio por causa de uma complicação no aparelho respiratório da irmã Marysol. “Comecei na natação por causa da minha irmã. Aos 9 anos ela teve problema de adenoide, precisou operar e praticamente precisou reaprender a respirar. Aí minha mãe tirou a gente do ballet e nos inscreveu na natação, por ser o melhor esporte para trabalhar a parte respiratória. Aí o tempo foi passando, percebi que me destacava no colégio, ganhava todos os campeonatos e me federei, depois me profissionalizei e cheguei até à seleção paulista de natação”, conta com orgulho.
    Atualmente com 27 anos de idade, Clarissa Brito não se dedica exclusivamente ao esporte como em outros tempos. A paulistana é apresentadora e repórter do programa “Silvio Brito em Família”, transmitido às 21h30 dos sábados, pela Rede Vida de Televisão. Ela explica que entrou para o jornalismo motivada pela vontade de mudar o enfoque da grande mídia esportiva brasileira (revelando uma certa “birra” com o futebol) e pela convivência no mundo das câmeras, já que seu pai, o cantor Silvio Brito, sempre a inseriu no meio artístico.
    “Sempre convivi entre artistas, meus pais nunca me incentivaram muito a ser atleta profissional. E entrei no jornalismo porque é algo que gosto muito, me satisfaz, mas também sempre tive aquela coisa de querer mudar. A grande mídia só dá espaço para o futebol e isso eu descobri que não é somente no Brasil, pois quando fiz intercâmbio em Madri percebi que também era tudo voltado para o futebol lá. Sempre fui revoltada com isso na natação, pois ninguém sabe quem participa do campeonato brasileiro de natação! Uma menina como a Ana Marcela, tem também a Poliana e não é de agora. Elas tiveram uma trajetória bacana, o treino delas é pesadíssimo, então sempre acho que o esporte deveria ter mais visibilidade”, explica Clarissa, aproveitando para fazer uma crítica à imprensa esportiva em geral e fazendo menção às maratonistas aquáticas Ana Marcela Cunha e Poliana Okimoto, suas inspirações.

    Clarissa Brito 2Quando não está no mar, lá está a Pandinha mastigando alguma coisa

    Clarissa Brito encerra o bate-papo bem-humorado revelando um segredo de todo nadador, que até então era desconhecido pelo restante das pessoas. “Quando volto de férias, volto bem cheia, pois é só nutella, brigadeiro, muito pão. Eu como muito, aliás todo nadador come muito, isso é um fato”, assume aos risos.

     

    MENU