39.0481, -77.4728
  • 11 e 12 de Maio

    BRAZIL

    Ilhabela – SP

    -23.112450, -47.216160 Inscreva-se Saiba Mais
  • 01 e 02 de Junho

    OURO PRETO

    Ouro Preto – MG

    -20.3948400, -43.5051700 Inscreva-se Saiba Mais
  • 08 e 09 de Junho

    Praia do Forte

    Mata do São João – BA

    -12.574687, -38.004731 Inscreva-se Saiba Mais
  • 13 e 14 de Julho

    Agulhas Negras

    Visconde de Mauá - Resende/RJ

    Inscreva-se Saiba Mais
  • 24 e 25 de agosto

    Itaipava

    Petrópolis– RJ

    -22.903730, -43.609380 Inscreva-se Saiba Mais
  • 28 e 29 de setembro

    Estrada Real

    Tiradentes – MG

    -21.110108, -44.173202 Inscreva-se Saiba Mais
  • 02 e 03 de Novembro

    Indaiatuba

    Indaiatuba – SP

    -23.112450, -47.216160 Inscreva-se Saiba Mais
  • 30 de novembro e 01 de dezembro

    Búzios

    Armação dos Búzios – RJ

    -22.752792, -41.884151 Inscreva-se Saiba Mais
  • 9 e 10 de Fevereiro

    Costa Verde

    Mangaratiba - RJ

    -22.949793, -44.074256 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • x
  • Descontos
  • Cadastro feito com sucesso!

    OK
    x

    Cadastre-se e fique
    por dentro do mundo XTERRA!

    Quais as suas modalidades de interesse?

    x

    Fale conosco!

    Sua mensagem foi enviada com sucesso!

    Mais de 250km de pedal, melhor churrasco, banho em apê desconhecido…a trip de Arthur Reis pela Argentina e Chile

    Triatleta brasileiro viveu bons, difíceis e engraçados momentos viajando para o XTERRA Argentina e XTERRA Chile

     

    Atual vice-campeão da faixa etária 25 a 29 anos do triathlon do XTERRA Brazil, Arthur Henrique Reis é presença constante nas etapas off-road brasileiras desde 2016. Com experiência no circuito brasileiro, o triatleta, que é natural de Cajamar, na grande São Paulo, resolveu se arriscar em edições internacionais neste ano de 2019. De cara, o desafio já foi duplo, o XTERRA Argentina em 23 e 24 de março e o XTERRA Chile em 30 e 31 de março.

     

    Acompanhado apenas de sua bike, a “18 quilos”, apelido dado pelo amigo e também triatleta Daniel Pierre, Arthur Reis resolveu viajar pedalando, mas não todo o caminho. Primeiramente ele foi de avião até Mendoza e de lá, já em solo argentino, pegou uma carona com um carro de entregas até a rodoviária da cidade, onde pegou o ônibus para San Juan após desmontar a “18 kg” e guardá-la com carinho. “Quando cheguei em San Juan eu montei a bike e pedalei 30km – com uma mochila bem pesada nas costas – até o local da prova. Fiz uma prova legal, mas não foi o meu melhor, pois eu estava bem cansado fisicamente. Fiquei na sexta colocação na minha categoria”, relatou Arthur.

     

    Passado o primeiro compromisso esportivo, Arthur precisava descansar e ficar em algum lugar. Então foi acolhido pelos atletas brasileiros Laura Mira, Daniel Pierre, Rafael Juriti, Luísa Saft e Alexandre Saft em uma casa alugada. Apesar de toda a boa experiência vivida até então, esta noite do dia 24 de março passaria a ser uma das mais marcantes na vida de Arthur, porém por um motivo gastronômico. “Passei a noite com meus amigos brasileiros que também competiram no XTERRA Argentina e já fui começando a preparação para a travessia para o Chile. Mas uma coisa que preciso dizer é que nesta noite eu comi o melhor churrasco da minha vida. Sério, estava muito bom! Foi um churrasco feito pelo Alê (Alexandre Saft), no estilo gaúcho, com carne argentina. Vou sempre contar isso. Rs”, relembrou aos risos.

     

    Em 25 de março Arthur saiu de Mendoza com destino a Uspallata. Ali começaria a verdadeira viagem puxada de bike. Percorrendo um trajeto de 94km, o jovem foi parado na estrada por um casal de argentinos, que gentilmente, ofereceu um par de frutas para que pudesse ter energia para seguir o rumo. Arthur explicou que o homem argentino já havia feito um “mochilão” no Brasil e se identificou com o ciclista brasileiro.

     

    Ao chegar em Uspallata, Arthur arranjou abrigo na casa de um senhor, porém essa estadia foi curta, já que ele ainda precisava chegar em Las Cuevas. Seriam mais 80km, mas desta vez, com uma dificuldade nunca encarada, a força do vento. “Fui pedalando por um trajeto muito bonito, com muitas montanhas, estradão limpo, mas quando faltavam mais ou menos uns 10km para chegar em Las Cuevas entrou um vento poderoso contra mim. Aquilo me judiou bastante e nunca havia pedalado com uma condição tão adversa. Foi bem complicado, mas consegui chegar com muito esforço e fiquei em um hostel, onde estavam meus amigos brasileiros de novo”, confessou.

     

    Em Uspallata Arthur parou para fazer diversas fotos

    Em seguida, o paulista percorreu 54km até Los Andes, local onde fica o Cristo Redentor, que marca exatamente a divisa entre Argentina e Chile. Todo o esforço valeu a pena ao chegar no topo do Cristo: “Foi uma das vistas mais lindas que já vi, dava para ver as montanhas cheias de neve, paisagem linda, com contraste de cor entre céu, montanha, neve…”. Dali em diante “só” faltavam cerca de 60km até chegar a Santiago, capital chilena, mas o frio era tanto que Arthur preferiu pegar uma carona de carro. Já em Santiago, Arthur montou na “18 kg” novamente e fez apenas 10km até o apê alugado por Daniel Pierre, onde ficaria até o fim do dia. Mas a sorte estava mesmo ao lado do brasileiro, que errou de porta.

     

    “Lembro que entrei, tomei banho e fiquei esperando deitado de boa até que o Pierre me ligou e perguntou onde eu estava, avisando que tinha chegado já. Eu disse que também tinha chegado e aí percebemos que eu estava num apê errado e sinceramente não sei como isso aconteceu. Guardei minhas coisas e saí para ir ao apartamento correto. Realmente não sei o que houve, mas o apê estava aberto, consegui ficar um tempo, tomar banho, desfazer a mochila, sem saber que era o errado. Rs”, relatou novamente aos risos.

     

    Arthur comemora chegada ao local da prova em San Bernardo, no Chile

     

    Dia de competir no XTERRA Chile e a experiência da viagem, após mais de 250km pedalados, só aumentou o nível de Arthur Reis. Com um 4° lugar conquistado, o jovem revelou que não atingiu o objetivo de ficar entre os três primeiros, mas garantiu que faltou bem pouco e que irá ficar no pódio no XTERRA Brazil, em 11 de maio, em Ilhabela.

     

     

     

     

     

     

     

    O triatleta fez questão de terminar o bate-papo agradecendo quem o ajudou em toda a aventura sul-americana e cogitando marcar presença em mais duas etapas gringas. “Tudo isso só foi possível graças aos amigos Laura Mira, Daniel Pierre, José Soto, Hector Tito, à academia Boa Forma Jordanesia e à grande amiga Joyce Rodrigues, que me ajuda desde que comecei no XTERRA, em 2016. Agora não é certeza, mas estou querendo ir ao XTERRA República Dominicana e ao XTERRA Utah, nos EUA, assim vou conseguir pontuar no ranking pan-americano, pois o regulamento exige participação em pelo menos cinco edições nas Américas”, explicou Arthur.

    “Brazucas” brilharam no XTERRA Chile após experiência na Argentina

    Grupo de triatletas brasileiros se destacou em San Bernardo no último fim de semana; Felipe Moletta, Laura Mira e Rafael Juriti subiram ao pódio da elite

     

    É cada vez mais frequente a presença de triatletas brasileiros nas edições internacionais do XTERRA, sobretudo em território sul-americano. Após o XTERRA Argentina, disputado em San Juan, nos últimos dias 23 e 24 de março, foi a vez do XTERRA Chile receber oito “brazucas” em San Bernardo, Santiago, no último fim de semana (30 e 31).

     

    O heptacampeão brasileiro Felipe Moletta, que já havia ficado em terceiro na Argentina, voltou a repetir a posição, aliás, os três primeiros colocados no Chile foram os mesmos das terras “hermanas”. O costa-riquenho Rom Akerson foi o vencedor, chegando à frente do neozelandês Kieran McPherson. Completaram o pódio masculino o norte-americano Will Ross e o brasileiro Rafael Juriti, que conseguiu sua primeira premiação fora do país natal.

     

    Juriti com seu troféu de 5° lugar geral

     

    “Prova com um start list de altíssimo nível e muita disputa no trajeto. Agradeço ao meu time Sense Factory Racing, a todos os parceiros, a todos que torcem por mim e à minha linda família. Bora que o ano está só começando”, comemorou o confiante Juriti.

     

     

     

     

     

     

     

    Entre as mulheres profissionais, a paulista Laura Mira, que havia ficado com a 2° colocação na Argentina, foi a 3° colocada no Chile. O pódio das meninas teve a chilena Valentina Carvallo em primeiro, a sul-africana Johandri Leicester em segundo e outra triatleta local em quarto, Javiera Gainza.

     

    Homens e mulheres se uniram no pódio comemorar os resultados

     

    Os cinco amadores brasileiros que competiram no XTERRA Chile não decepcionaram. Allan Luiz Nogueira ficou com a 4° colocação em sua categoria (35 a 39 anos), enquanto Marcelo Crestani foi o vice-campeão em sua faixa etária (40 a 44 anos). Arthur Reis, o mais jovem do grupo, foi o 4° na categoria 25 a 29 anos e o casal Saft, que já tinha conquistado um título na Argentina, voltou a repetir o sucesso, com Luísa em primeiro nos 50 a 54 anos e Alexandre em terceiro na mesma faixa etária, só que masculina, obviamente.

     

    A equipe do XTERRA Brazil parabeniza nossos atletas por representarem tão bem as nossas cores mundo afora e por honrarem e incentivarem a prática do triathlon. A próxima edição do XTERRA no Brasil é a qualificatória para o mundial de Maui, no Havaí  e esperamos ter todos presentes em Ilhabela, entre os dias 10, 11 e 12 de maio.

    Brasileiros “invadem” XTERRA Argentina

    Nove triatletas estiveram na etapa “hermana” em San Juan; Felipe Moletta ficou com o 3° lugar entre os profissionais

     

    Disputado nos últimos dias 23 e 24 de março, na cidade de San Juan, o XTERRA Argentina recebeu nove triatletas brasileiros. Foi a quarta edição consecutiva dos nossos “hermanos”, que realizam uma etapa anual somente. Com cerca de 800 competidores presentes, o evento contou com presenças ilustres, como o campeão mundial do XTERRA Rom Akerson, o campeão Panamericano Kieran McPherson e o heptacampeão do Brasil Felipe Moletta, por exemplo.

     

    Moletta foi, inclusive, o brasileiro de maior destaque, terminando todo o percurso de 1,5K de natação, 30K de MTB e 9,5K de trail run em 02h54min35seg, o que lhe rendeu a terceira colocação geral. O paranaense festejou o resultado e a possibilidade de dividir o pódio com a estrela mundial de Costa Rica, Akerson, que foi o vencedor. Entre ambos, ficou o neozelandês Kieran McPherson. “3° lugar na Argentina em um dia muito duro de triathlon e estar no pódio simplesmente com o campeão mundial do XTERRA é uma honra”, revelou Felipe Moletta.

     

    Moletta saiu na foto do pódio ao lado de Rom Akerson, o Top 1 mundial do triathlon off-road

     

    Atual vice-campeã do ranking 2018 do triathlon brasileiro, a paulista Laura Mira ficou com a 2° colocação na categoria elite feminina, onde competiu com a campeã Erika Simon. Os demais brasileiros foram Daniel Pierre, Arthur Reis, Rafael Juriti, Pedro Rodrigues, Allan Luiz Nogueira e o casal Alexandre Saft e Luisa Saft. A experiência certamente aumentou a popularidade dos esportistas em solo sul-americano.

     

    Daniel Pierre ficou em 10° lugar em sua faixa etária (40 a 44 anos), Arthur Reis ficou em 6° nos 25 a 29 anos, Pedro Rodrigues ficou com a 5° colocação na categoria 45 a 49 anos, Allan Luiz Nogueira foi o 3° nos 35 a 39 anos e o casal Luisa e Alexandre Saft conseguiu a 1° colocação feminina e a 2° colocação masculina nos 50 a 54 anos. O mineiro Rafael Juriti ficou em 8° na elite dos triatletas. Veja todos os resultados do XTERRA Argentina em https://xterraargentina.com/resultados/.

     

    A próxima parada de quase toda a turma canarinho é em Ilhabela, para a nossa etapa mundial, o XTERRA Brazil, nos dias 11 e 12 de maio. Não é para todos porque Arthur Reis , Allan Luiz Nogueira, Felipe Moletta, Rafael Juriti, Laura Mira e o casal Saft já estão garantidos no XTERRA Chile, que acontece em 30 e 31 de março, na cidade de Santiago.

    Edição do XTERRA na Praia do Rosa teve cenário paradisíaco e dois dias de competições acirradas

    Realizado pela primeira vez no Sul de Santa Catarina, maior festival de esportes off-road do mundo reuniu 700 atletas; Felipe Moletta e Laura Mira venceram no Triathlon  

     

    A expectativa era grande desde o início da temporada e o inédito XTERRA Camp Praia do Rosa, 8° edição do circuito nacional do maior evento de esportes off-road do mundo, não decepcionou. Foram dois dias (20/10 e 21/10) de muita adrenalina, suor e diversão em um dos principais pontos turísticos de Santa Catarina, onde 700 atletas amadores e profissionais competiram nas provas de TriathlonTrail Run (22,5 km), Night Run (9,5 km), Swim Challenge (1,5km e 3km), MTB Cup Pro (40,6 km) e a Corrida Kids (para crianças de 1 a 13 anos de idade).

     

    Triathlon

    Atual hexacampeão do XTERRA brasileiro, o paranaense Felipe Moletta venceu a terceira etapa seguida e entrou na briga de vez pelo hepta campeonato. Agora, Moletta ocupa a segunda colocação com 443 pontos, atrás somente de Rafael Juriti, que tem 538 pontos e concluiu a prova na Praia do Rosa em segundo lugar. Entre as mulheres, Laura Mira, atual vice-líder do ranking, diminuiu a distância para Sabrina Gobbo com a boa vitória no Sul do país. 135 pontos ainda separam as atletas a duas etapas do fim do circuito. Os triatletas comentaram sobre o percurso e o visual de Imbituba.

     

    “A Praia do Rosa tem um potencial muito grande. É paradisíaco mesmo, talvez o mais lindo do circuito inteiro, com vários locais a serem explorados na região. Enfim, o Sul merece uma prova do XTERRA por ano”, sugeriu Felipe Moletta.

     

    Felipe Moletta comemorou mais uma vitória abraçando os filhos. Foto: Foco Radical

     

    “Foi uma prova muito acelerada, muito intensa e rápida. Tiveram pequenos trechos de single track, o que sempre gera boa diversão, descidas com double track, dowhill com pedras soltas, bastante erosão e esta parte foi a mais técnica. Imbituba com sua paisagem de praia, alguns bosques, então deixou tudo perfeito. O trecho da corrida foi lindo, com uma costeira, uma subida grande que dava para avistar outras praias, como a de Ibiraquera por exemplo. Já estou torcendo para que a etapa fique no calendário de 2019, pois quero voltar para esta cidade maravilhosa, que tem uma vibe muito legal, vários atletas de surfe e kite surfe, tem tudo a ver com o XTERRA”, opinou Laura.

     

    Como de costume, Laura Mira, subiu ao pódio com sua bike.

     

    Trail run 22,5 km

    Atual campeão em 2017, o mineiro Antônio Gonçalves parece estar decidido a defender seu título com unhas e dentes, ou melhor, com muita velocidade e preparo físico. O corredor da equipe Apuã Vertical ficou fora de quatro etapas de 2018 por conta de uma lesão na coxa direita, mas voltou com tudo e emplacou a sua segunda vitória seguida (Estrada Real e Praia do Rosa), o que já o coloca na vice-liderança do ranking. Nesta reta final de temporada, Antônio vem com força total!

     

    Com uma vitória tranquila entre os homens, na categoria feminina não foi diferente. Silvia Durigon levou o troféu de ouro e conseguiu uma performance avassaladora, com 6 minutos de folga para a segunda melhor posicionada.

     

    MTB Cup Pro

    Daniel Grossi e Wolfgang Felipe travaram uma verdadeira batalha sobre duas rodas. Os ciclistas animaram os fãs do esporte com uma reta final espetacular. Grossi, nos últimos metros, acabou abrindo uma leve vantagem que lhe rendeu o lugar mais alto do pódio. Apenas quatro segundos separaram os profissionais, que pedalaram mais de 40 km pelas trilhas, dunas, matas e estradas de Imbituba. Com um percurso de baixa altimetria e muito estradão, a competição acabou sendo um pouco diferente das habituais no mundo XTERRA, porém comemorada por todos os que desejam acelerar em espaço plano.

     

    Entre as moças, Karoline Meyer, Aline de Almeida e Rosemeri Peirão integraram o pódio respectivamente. As três atletas participaram do XTERRA pela primeira vez em 2018.

     

    A prova de MTB Cup Pro foi muito elogiada pela possibilidade de aceleração, sem tantos trechos técnicos. Foto: Foco Radical

     

    Swim Challenge 1,5 km e 3 km

    Na parte aquática, o lindo mar da Praia do Rosa foi o palco do show dos nadadores XTERRA. Nos 1,5 km, Rafael Berra, João Vitor Vitorino, Alexandre Groeler, Diego Dunzer e Lorenzo Netto travaram uma competição bem emocionante. Os cinco terminaram na ordem respectiva citada e agitaram o público presente, que não desgrudava os olhos da água, esperando quem seria o primeiro a cruzar a linha de chegada. Entre as mulheres, a curitibana Anna Júlia Hatschbach sobrou e venceu sem dificuldades, com exatos dois minutos à frente da segunda colocada.

     

    Nos 3 km, Regina Feldmann e Gabriel Fragomi foram os grandes vencedores.

     

    A competição aquática foi bem acirrada nos 1,5 km masculino. Foto: Foco Radical

     

    Todos os resultados do XTERRA Camp Praia do Rosa 2018 podem ser conferidos em:
    http://xterrabrasil.com.br/tour/praia-do-rosa/

    MENU