39.0481, -77.4728
  • ITAIPAVA

    24 e 25 de agosto

    Itaipava

    Petrópolis– RJ

    -22.903730, -43.609380 Increva-se Saiba Mais
  • ESTRADA REAL

    28 e 29 de setembro

    Estrada Real

    Tiradentes – MG

    -21.110108, -44.173202 Inscreva-se Saiba Mais
  • ILHA GRANDE

    05 e 06 de Outubro

    Ilha Grande

    Angra dos Reis – RJ

    -12.574687, -38.004731 Inscreva-se Saiba Mais
  • INDAIATUBA

    02 e 03 de Novembro

    Indaiatuba

    Indaiatuba – SP

    -23.112450, -47.216160 Inscreva-se Saiba Mais
  • BUZIOS

    30 de novembro e 01 de dezembro

    Búzios

    Armação dos Búzios – RJ

    -22.752792, -41.884151 Inscreva-se Saiba Mais
  • COSTA VERDE

    9 e 10 de Fevereiro

    Costa Verde

    Mangaratiba - RJ

    -22.949793, -44.074256 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • BRAZIL

    11 e 12 de Maio

    BRAZIL

    Ilhabela – SP

    -23.112450, -47.216160 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • OURO PRETO

    01 e 02 de Junho

    OURO PRETO

    Ouro Preto – MG

    -20.3948400, -43.5051700 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • PRAIA DO FORTE

    08 e 09 de Junho

    Praia do Forte

    Mata do São João – BA

    -12.574687, -38.004731 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • AGULHAS NEGRAS

    13 e 14 de Julho

    Agulhas Negras

    Visconde de Mauá - Resende/RJ

    Resultados Trail Run Inscreva-se Saiba Mais
  • x
  • Descontos
  • Cadastro feito com sucesso!

    OK
    x

    Cadastre-se e fique
    por dentro do mundo XTERRA!

    Quais as suas modalidades de interesse?

    x

    Fale conosco!

    Sua mensagem foi enviada com sucesso!

    Dobradinha neozelandesa no triathlon marca XTERRA Brazil 2019

    Triatletas Sam Osborne e Samantha Kingsford dominam e vencem pela primeira vez em solo brasileiro

     

    Ocorreu no último fim de semana (11 e 12) a 2° edição do XTERRA Brazil Tour 2019, a chamada XTERRA Brazil, em Ilhabela, região litorânea de São Paulo. O evento, que contou com patrocínio da Prefeitura de Ilhabela, atraiu mais de 2.300 atletas inscritos nas modalidades de trail run (5K, 10K, 10K noturna e 21K), swim challenge (1,5K e 3K), aquathlon (natação + corrida), corrida kids e o “carro chefe” triathlon (natação + MTB + corrida). Tido como o principal esporte do festival, o triathlon desta etapa específica rendeu 50 vagas para a disputa do XTERRA World Championship, realizado em 28 de outubro, em Maui, no Havaí.

     

    O sábado (11) do XTERRA Brazil foi marcado pela dobradinha neozelandesa no triathlon. Pela primeira vez em uma competição brasileira, o casal de amigos Sam Osborne, 3° colocado no XTERRA World Championship 2018 e Samantha Kingsford, não sentiram o incômodo do forte calor do litoral e garantiram o lugar mais alto do pódio, além da quantia de $2.300 cada um, com duas performances incontestáveis. É o segundo ano seguido em que atletas da Nova Zelândia se destacam no Brasil. Em 2018, o triatleta Kieran McPherson foi o grande vencedor.

     

    Sam, que também já havia sido o campeão do XTERRA Nova Zelândia (6 de abril), foi o segundo atleta a finalizar o trecho inicial da prova, o aquático, na formosa Praia do Perequê. Saindo da água apenas atrás de Marcus Fernandes, o oceânico “voou baixo” nos 24,5km de mountain bike e assumiu a liderança dali até o fim, com os 8,5km de corrida. “Foi a prova mais difícil que já fiz até hoje. O calor é bem complicado, muito sol mesmo, mas eu estava preparado. O trecho da bike foi muito técnico, mas consegui me sair bem também. A prova, num geral, foi excelente! Estou feliz com essa vitória e com certeza voltarei ainda mais forte em 2020”, prometeu Sam Osborne.

     

    Pódio feminino do triathlon

    O paranaense Felipe Moletta, maior campeão da história do XTERRA no Brasil, ficou com a 2° colocação. O alemão Sebastian Neef, o paulista Diogo Malagon e o santista Marcus Fernandes completaram o pódio masculino. Entre as mulheres, Sabrina Gobbo, atual pentacampeã do ranking XTERRA e vencedora da edição em Ilhabela nos últimos cinco anos, não conseguiu repetir o sucesso máximo e ficou com a 3° colocação, sendo superada pela estreante Samantha Kingsford e pela chilena Valentina Carvallo. Laura Mira e Mirian Damásio ficaram com o 4° e o 5° lugar respectivamente.

     

    Markinhos brilhou no aquathlon, mas não conseguiu o resultado esperado no triathlon

     

    Vencedor do triathlon na 1° etapa do ano, em Mangaratiba, Marcus Fernandes, o Markinhos, ficou em 5° lugar em Ilhabela, mas também participou da prova de aquathlon por diversão e terminou na primeira colocação. No feminino Ana Carla Prade foi a grande campeã da modalidade que une corrida e natação em águas abertas.

     

     

     

     

     

     

     

     

    Trail run 21K

    Na trail run 21K, que também foi qualificatória para o Mundial no Havaí, porém a ser disputado em dezembro, tivemos uma grande surpresa na categoria feminina. Geisla dos Santos, natural de Ilhabela e pentacampeã nacional da modalidade, ficou “apenas” com a 5° colocação geral. A corredora jamais havia perdido em sua terra natal. “Eu comecei bem, mas senti uma dor forte na região lombar durante o percurso e preferi não forçar, então andei por um tempinho e depois voltei a correr. Estou me preservando para o mundial, lá no Havaí, então não preciso me sacrificar quando sinto algum desgaste ou dor. É melhor não agravar nada para chegar em dezembro 100%”, explicou Geisla.

     

    Erika Maria Vieira foi a grande campeã da prova, com um tempo de 02h07min55seg. Em 2° ficou Jéssica dos Reis, em 3° Vanessa Alonso e em 4° Michelle Alves. Na categoria masculina o campeão foi Raphael Valverde, dono da equipe Valverde Personal. O corredor já havia vencido os 21K também na 1° etapa do ano, em Costa Verde, no último mês de fevereiro e abriu vantagem considerável rumo ao título do ranking de 2019. Completaram o pódio: André Ferreira, Eduardo de Brito, Manoel de Jesus Filho e o carismático macaense Joseilton Santos.

     

    Érika Maria Vieira venceu a Trail 21K

     

     

    Swim Challenge (1,5km e 3km) 

    Artur Pedroza

     

    Nas duas distâncias de natação, o carioca Artur Pedroza, sempre ele, foi o rei! Vencedor nos 3K, onde já é tetracampeão nacional (2015, 2016, 2017 e 2018), e vencedor também nos 1,5K. Na prova mais curta tivemos uma disputa entre Arthur e Patrick Winckler, membros Hall da Fama XTERRA. A batalha dos dois nadadores de alta performance e muita história dentro do evento foi aplaudida e muito elogiada pelo público presente.

     

     

     

    O reinado de Artur entre os homens foi o mesmo conquistado pela jovem Vitória Farabulini entre as mulheres. A prodígio de apenas 15 anos ganhou as duas provas aquáticas com muita autonomia e segurança, superando (nos 1,5 km) inclusive a campeã e a vice-campeã do ranking de 2018, Patrícia Lima e Clarissa Brito respectivamente. “Hoje é só felicidade! Dedico essa conquista à minha mãe, que está sempre comigo e é minha melhor amiga”, disse Vitória, lembrando da mãe na véspera do Dia das Mães.

     

    Vitória Farabulini, a prodígio do mar, ficou no topo do pódio feminino de natação

     

    Os resultados das outras modalidades (trail run 5K, trail run 10k, trail run 10K noturno e aquathlon) podem ser conferidos em www.xterrabrazil.com.br. O XTERRA Brazil 2019 foi apresentado pelo SESI e teve patrocínio da Prefeitura de Ilhabela. A próxima etapa do maior festival de esportes off-road do mundo no Brasil será o XTERRA Ouro Preto, em Minas Gerais, nos dias 1 e 2 de junho. Inscrições também no site.

    Confira cinco momentos femininos marcantes no mundo XTERRA

    Em pleno Dia Internacional das Mulheres, vale relembrarmos cinco momentos especiais de atletas que ajudaram e ainda ajudam a engrandecer o XTERRA no Brasil e no mundo. Tratam-se de mulheres que superaram trilhas, dores, quedas e até doenças em busca da consagração esportiva, colocando seus nomes na história do maior festival de esportes off-road do planeta. Destacamos apenas cinco, mas os parabéns se estendem para todas que já participaram ou participam do XTERRA de alguma forma.

     

    1- Vitória de Jamie Whitmore na primeira edição brasileira e última participação nos EUA, livre do câncer

    Natural de Sacramento, na Califórnia, Jamie Whitmore (42) é um verdadeiro caso de superação e admiração. A ex-triatleta ainda é a profissional feminina de maior sucesso na história do XTERRA, com seis títulos nacionais, um título mundial em 2004 e dois vices (2002 e 2003). Ao todo, são 37 vitórias em etapas diversas pelo mundo, uma delas em Ilhabela, na estreia do evento em solo brasileiro, em julho de 2005.

     

    Mas J-Dawg, como é conhecida, tem um currículo esportivo pequeno se comparamos com o triunfo mais importante de sua vida. Em 2008, ela foi diagnosticada com um sarcoma no nervo ciático, um tipo raro de tumor, maligno, que compromete os tecidos conjuntivos entre a pele e os órgãos internos. Desta forma, J-Dawg perdeu a maior parte dos movimentos da perna esquerda e, após três graves cirurgias, terapia de radiação e antibióticos diários por cerca de dez meses, tornou-se atleta paralímpica de mountain bike. Jamie foi informada que não poderia ter filhos e provou que o prognóstico foi equivocado, dando à luz aos gêmeos Christian e Ryder, em 2010. Na Rio-2016, Jamie foi ouro na modalidade em estrada e prata na pista, no Mundial Paralímpico do Rio, em 2018, a norte-americana faturou três medalhas de bronze. No XTERRA, sua última participação foi em Utah, em 2012, já curada do câncer, mas ainda contando com o auxílio de muletas para completar o trecho de trail run.

     

    2- 10° vitória nos 50K de Rosália Camargo

    A carioca Rosália Camargo é um dos maiores fenômenos das corridas de montanha do mundo e, possivelmente, o maior nome no cenário brasileiro. Com 12 vitórias em 13 participações no Endurance do XTERRA, Rosália é ainda a única mulher com mais de 10 conquistas na modalidade mais “casca-grossa” do evento. Foram 11 triunfos nos 50K e um nos 80K. A imagem mostra a 10° vitória nos 50K, que coincidiu em uma das chegadas mais icônicas da corredora, em Costa Verde 2017, sua penúltima participação no XTERRA, quando cruzou a linha de chegada acompanhada da filha Maria, de apenas 2 anos à época.

     

    3- 4° título mundial de Flora Duffy

    No mundo do triathlon é impossível não conhecer Flora Duffy. Natural de Bermudas, a triatleta é multicampeã no asfalto e no mundo off-road. Em outubro de 2017, após vencer pela quarta vez consecutiva o XTERRA World Championship, no Havaí, a bermudense se tornou a maior campeã mundial da história do evento. Em 2018 Flora não participou, mas com apenas 31 anos de idade é inegável que ela ainda possa aumentar seu recorde.

     

     

     

    4- Geisla dos Santos no Mundial de Trail Run 21K 2018 – melhor colocação feminina do Brasil

    Geisla dos Santos já participou de mais de 25 etapas na história do XTERRA e possui um aproveitamento superior a 90%. Atual pentacampeã do ranking nacional, a ilhabelense competiu pela primeira vez no World Championship em 2017 e terminou sem pódio, em 16° no geral. Em 2018, no entanto, Geisla voltou para a Ilha de Maui destinada a ficar entre as 10 melhores gerais e conseguir uma boa posição em sua faixa etária (30 a 34 anos). Os treinamentos mais intensos deram resultado e a paulista terminou na 9° colocação geral e foi vice-campeã em sua categoria, melhor desempenho feminino brasileiro da história do mundial.

     

    5- O pentacampeonato de Sabrina Gobbo, a maior no triathlon brasileiro

    Sabrina Gobbo parece só melhorar com o decorrer do tempo. Sedenta por vitórias e maiores desafios, a paulista de 41 anos se tornou a primeira mulher pentacampeã (14, 15, 16, 17 e 18) no triathlon do XTERRA brasileiro no último mês de dezembro, em Paraty. Com o título assegurado, ela até chegou a cogitar aposentadoria do evento, mas a decisão ainda não foi tomada. O fato é que os fãs do esporte off-road torcem logo para o retorno da “Imbatível Gobbo”, que não participou da primeira etapa de 2019 por causa de uma lesão.

    Brasileiros se destacam no XTERRA Trail Run World Championship 2018

    11° mundial teve Douglas Gouveia, Joseilton Santos e Geisla dos Santos no pódio; Norte-americanos Joe Gray e Dani Moreno foram campeões pelo segundo ano seguido

     

    O trail run é cada vez mais praticado no Brasil e com a ascensão do esporte, os brasileiros de elite começam a surgir e mostrar ao mundo suas capacidades. É o caso de Douglas Gouveia, Joseilton Santos e Geisla dos Santos, que são consagrados em território canarinho e já apresentaram suas credenciais em terras internacionais.

     

    No último domingo, 2 de dezembro, aconteceu o XTERRA Trail Run World Championship no Kualoa Ranch, em Kaneohe, no Havaí.  O trio brazuca havia conseguido índice para participar do mundial após a etapa XTERRA Brazil, em Ilhabela. Pela primeira vez disputando uma prova internacional, o nervosismo era natural.

     

    “Fui um pouco tensa, porém confiante ao mesmo tempo. Meu objetivo era ficar entre as 10 melhores atletas do mundo e estou muito feliz por ter conseguido”, revelou a ilhabelense Geisla dos Santos, que ficou em 9° lugar geral e em 2° em sua categoria (30 a 34 anos).

     

    Além das conquistas no Havaí, Geisla foi pentacampeã de trail run 21 km no Brasil. De forma antecipada, a atleta da G-Ilhabela, ganhou pelo quinto ano consecutivo o ranking XTERRA, e, receberá sua merecida premiação na primeira etapa da temporada de 2019.

     

    Geisla dos Santos posou com sua medalha no Havaí

     

    Já Douglas Gouveia, foi o melhor brasileiro na corrida geral. Terminou em 5° lugar, atrás de atletas super consagrados como o tetracampeão mundial Joe Gray e o campeão norte-americano Brett Hales, por exemplo. Douglas largou na linha de frente e logo acelerou o passo para garantir sua honrosa posição, igualando assim o feito do mineiro Antônio Gonçalves, quinto colocado no mundial de 2017.

     

    Por fim, o macaense Joseilton Santos estava na liderança do ranking nacional e bastava chegar na quarta colocação em Paraty para ser o campeão brasileiro. Porém, o sonho de fazer história nos Estados Unidos o fez abdicar de um título praticamente certo. O que ele não sabia é que o destino te daria uma glória em troca. Joseilton finalizou a corrida havaiana em 1:38:00, o que lhe rendeu a 7° colocação e o título em sua categoria (40 a 44 anos).

     

    Joseilton aproveitou para estampar seu amor pela cidade de Macaé, no Rio de Janeiro (bandeira de Macaé)

     

    “Gratidão a Deus por mais um sonho realizado. Estou feliz demais com meu resultado e por ter representado bem o meu querido povoado de Macaé. Agora é treinar para 2019 e tentar garantir o ranking nacional também”, relatou Joseilton.

     

    Os grandes campeões mundiais foram novamente Joe Gray e Dani Moreno, ambos norte-americanos de boa história no mundo off-road. Ele levantou seu quarto título mundial, enquanto ela foi bicampeã seguida.

     

    Confira os melhores momentos do XTERRA Trail Run World Championship 2018:

    XTERRA define campeões de 2018 após etapa lotada em Paraty

    3.200 pessoas prestigiaram última edição do ano, onde mais de 2.500 atletas competiram e decidiram suas colocações finais no Triathlon, Trail Run, MTB e Swim

     

    Os dias chuvosos que antecederam o XTERRA Paraty, disputado nos dias 1 e 2 de dezembro, na Praia do Pontal, deixaram o solo da região bem pesado e enlameado, porém isso tornou as provas mais divertidas para os amadores e mais técnicas para os profissionais. Mais de 2.500 atletas participaram de um festival bem descontraído no litoral do Rio de Janeiro, com um fechamento de temporada empolgante principalmente nas disputas do triathlon masculino e do MTB feminino e masculino, que ainda não tinham campeões definidos.

     

    O clima familiar e bem-humorado tomou conta da Arena XTERRA já na sexta-feira (30/11) durante a entrega de kits e o simpósio de triathlon. Cerca de 3.200 pessoas estiverem presentes durante os dois dias de competições, seja participando ou assistindo. Alguns até se impressionaram com o desempenho dos profissionais, como o português Bruno Valente, que realizou a trail run diurna e a noturna, ambas com 6,5 km de distância, mas teve sua atenção voltada mesmo para a prova de 21 km.

     

    “O Antônio teve um desempenho extraordinário, com um pace monstruoso, ao nível de um maratonista da elite mundial. É incrível ver uma performance assim no meio do mato”, afirmou Bruno, aproveitando para elogiar o XTERRA Brazil: “Gostei muito do evento brasileiro, achei bem melhor que o de Portugal, que nunca participei apesar da vontade, mas já assisti e não passa a mesma energia”, comparou.

     

    Antônio Gonçalves, bicampeão do ranking XTERRA teve performance em Paraty comparada a de um maratonista.

     

    Trail Run 21km

    Como o “gajo” antecipou, a trail run 21 km foi um verdadeiro espetáculo para os amantes de corrida. O mineiro Antônio Gonçalves precisava chegar em primeiro lugar para ser campeão do ranking de 2018 e não tomou conhecimento da chuva, dos adversários e do solo escorregadio. Com uma sensacional média de 3:50 a cada km, o atual campeão de 2017 deu um show e se sagrou bicampeão. Entre as mulheres a campeã foi a ilhabelense Geisla dos Santos, que já havia conquistado o título por antecipação e não esteve presente em Paraty porque estava representando o Brasil no XTERRA World Championship, no Havaí, disputado no domingo (2/12). Geisla, que é pentacampeã de trail run 21 km do XTERRA nacional, ficou em 9° lugar geral no mundial e em 2° em sua faixa etária. A vencedora em Paraty foi Lúcia Sousa, da RA Assessoria Esportiva.

     

    “O resultado no Havaí foi ótimo, consegui atingir meu objetivo de ficar no top 10 do mundo e já garanti minha vaga para 2019. Ainda coloquei o Brasil no pódio ficando em segundo em minha categoria. Tudo maravilhoso”, comentou Geisla.

     

    Geisla fez bonito no Havaí, com um 9° lugar geral e 2° em sua categoria de 20 a 29 anos.

     

    Triathlon

    A prova mais esperada era a de triathlon e o motivo era simples: três competidores tinham chances de título. Felipe Moletta, atual hexacampeão do circuito (2011, 2012, 2013, 2014, 2016, 2017) era o único que dependia apenas de si próprio. Usando toda sua experiência e frieza, o paranaense não deu chance ao azar e manteve seu lugar no topo, com uma vitória sobre os rivais Diogo Malagon e Rafael Juriti, que terminaram em 2° e 4° lugares respectivamente. Agora heptacampeão, Moletta foi o segundo a sair da água, atrás de Hugo Barbosa somente, mas na parte do pedal, como sempre, o campeão mostrou sua força, completando o percurso três minutos mais rápido que o segundo ciclista mais veloz, Rodrigo Altafini. Moletta completou a prova em 02:03:10 e comemorou com seu filho João Moletta.

     

     

    Já na categoria feminina, a fenomenal Sabrina Gobbo já havia garantido seu pentacampeonato em agosto, mas voltou a vencer em Paraty. A segunda colocada na etapa e no ranking foi Laura Mira. Além de troféus e descontos para a próxima temporada, o triathlon  do XTERRA tem premiação em dinheiro para os três primeiros colocados do ano, onde os valores são de R$ 5.940,00, R$ 3.780,00 e R$ 2.160,00 respectivamente.

     

    MTB Cup Pro

    O ranking de mountain bike teve apenas Edivando de Souza (2015) e Sidnei Fernandes (2016 e 2017) como campeões até hoje. Na atual temporada, tivemos um campeão inédito, o mineiro Daniel Grossi, que dominou a prova paritiense, chegando 13 segundos à frente de Sidnei, que ficou com o vice-campeonato também. Edivando ficou com a 3° colocação. No feminino, a “guerra” entre Sofia Subtil e Roberta Stopa se fez desde a primeira etapa do ano, em março. Desde então, ambas foram vencendo alternadamente, com a rival e amiga chegando sempre em segundo. Sendo assim, quase empatadas, as ciclistas decidiriam o ano em Paraty. Deu Sofia, que conquistou o bicampeonato com uma performance segura e tranquila, chegando com 01:33:40, em seguida vieram Sabrina Gobbo (3° geral em 2018) com 01:36:25 e Stopa (vice-campeã 2018), com 01:43:15. O ranking de MTB tem a mesma premiação em dinheiro que o triathlon.

     

    Bastante sujo de lama, Grossi comemorou o título de 2018 empenando sua bike.

     

    OBS: O percurso do MTB Cup Pro em Paraty precisou sofrer uma alteração por questões de segurança devido à chuva, que triplicou a dificuldade do trajeto. Ao invés de 44km, os atletas pedalaram 22 km.

     

    Swim Challenge 1,5 km e 3 km

    Na parte aquática, o famoso Swim Challenge do XTERRA, já estava tudo resolvido entre os homens. Na categoria de 1,5 km, Daniel Costa Cunha, campeão em 2017, manteve o título com um bicampeonato perfeito no primeiro semestre (3 vitórias consecutivas). Nos 3km, o ex-atleta da seleção brasileira de natação, Artur Pedroza, voltou a ser campeão por antecipação. Foi o 4° título consecutivo da “fera dos mares”, que além de ser multicampeão, é embaixador XTERRA e membro do Hall da Fama XTERRA. Artur não esteve presente em Paraty e Daniel competiu na prova dos 3km, onde foi vice-campeão geral. Os vencedores da etapa foram Renato Donha (1,5km) e Pedro Paz (3km).

     

    Já entre as nadadoras, Clarissa Brito venceu a distância mais curta superando Patrícia de Oliveira, mas não foi o suficiente para superá-la no ranking. Patrícia foi a campeã de 2018 e Clarissa foi a vice-campeã novamente (já tinha sido em 2017). Nos 3km, vitória de Laura Poli na etapa e troféu dourado de ranking 2018 para Mirella Salomon.

     

    O XTERRA Paraty foi apresentado pelo SESI e teve apoio da Speedo e da Maçãs Turma da Mônica.

     

    O ranking de todas as modalidades do XTERRA Brazil Tour 2018 pode ser conferido em http://xterrabrasil.com.br/tour/rankings-2018/#1542912027959-e9d0d1b1-76bb .

    Tetracampeã do ranking de Trail Run, Geisla dos Santos traça meta para 2018

    Paulista tem como principal objetivo melhorar o desempenho no XTERRA World Championship; em 2017 terminou em 16° lugar no Havaí

    Faltam dez dias para a principal etapa do XTERRA no Brasil, a qualificatória para o XTERRA World Championship, tradicionalmente disputada em Ilhabela, região litorânea de São Paulo. Entre os mais de 600 atletas inscritos para realizar a prova Night Trail Run (22 km), que terá 24 vagas concedidas para o Mundial, está a paulista Geisla dos Santos, natural da própria Ilhabela. Com sete vitórias em sua terra e quatro títulos do ranking XTERRA, a corredora não tem como não ser considerada novamente a favorita absoluta.

     

    Apesar de tantos feitos e conquistas significativas, Geisla ainda garante querer mais. Sua maior obsessão passou a ser um pódio mundial, já que o XTERRA Planet passou a realizar também o campeonato internacional de Trail Run (antes de 2017 era apenas para a modalidade de triathlon). Para realizar o sonho, a atleta patrocinada pela Prefeitura de Ilhabela já tem o planejamento construído e revela também a importância de vencer em casa para iniciar o plano com o pé direito.

     

    “Prova em casa é sempre uma pressão, mas minhas expectativas são as melhores possíveis. Tem o lado bom de poder contar com a torcida e isso é sempre confortante. A corrida noturna é uma aventura, mas saber onde pisar é a melhor parte e eu conheço o percurso com a palma da minha mão. Preciso vencer para começar correspondendo a confiança dos que torcem por mim e para me motivar ainda mais. Aí meu treinamento vai seguir a todo vapor visando a prova no Havaí. Em 2017 eu fui a 16° colocada lá, foi sensacional a experiência, mas já tracei a meta desse ano, que é focar nos treinos para chegar ainda melhor em dezembro. Dessa vez já irei conhecendo melhor o percurso então o segredo é seguir com treinos intensivos. Fazendo isso e mantendo as vitórias nas etapas do XTERRA tenho certeza que terei um resultado melhor lá, talvez com pódio”, explica Geisla de 32 anos de idade.

     

    Geisla 2Geisla reconhece o percurso de Ilhabela até com os olhos fechados. Foto: Thiago Lemos

     

    O XTERRA World Championship de Trail Run acontece em 2 de dezembro, no Kualoa Ranch, em Kaneohe, no Havaí. Geisla dos Santos e Antônio Gonçalves, que ficou em 5° lugar no Mundial 2017, são os atuais campeões nacionais e principais apostas brasileiras. As 24 vagas são distribuídas de acordo com o quadro abaixo:

    Faixa Etária Vagas Masculinas Vagas Femininas
    Geral 5 5
    15 a 19 anos 1 1
    20 a 29 anos 1 1
    30 a 39 anos 1 1
    40 a 49 anos 1 1
    50 a 59 anos 1 1
    60 a 69 anos 1 1
    70 a 79 anos 1 1
    TOTAL 12 12
    MENU