39.0481, -77.4728
  • AGULHAS NEGRAS

    13 e 14 de Julho

    Agulhas Negras

    Visconde de Mauá - Resende/RJ

    Inscreva-se Saiba Mais
  • ITAIPAVA

    24 e 25 de agosto

    Itaipava

    Petrópolis– RJ

    -22.903730, -43.609380 Inscreva-se Saiba Mais
  • ESTRADA REAL

    28 e 29 de setembro

    Estrada Real

    Tiradentes – MG

    -21.110108, -44.173202 Inscreva-se Saiba Mais
  • INDAIATUBA

    02 e 03 de Novembro

    Indaiatuba

    Indaiatuba – SP

    -23.112450, -47.216160 Inscreva-se Saiba Mais
  • BUZIOS

    30 de novembro e 01 de dezembro

    Búzios

    Armação dos Búzios – RJ

    -22.752792, -41.884151 Inscreva-se Saiba Mais
  • COSTA VERDE

    9 e 10 de Fevereiro

    Costa Verde

    Mangaratiba - RJ

    -22.949793, -44.074256 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • BRAZIL

    11 e 12 de Maio

    BRAZIL

    Ilhabela – SP

    -23.112450, -47.216160 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • OURO PRETO

    01 e 02 de Junho

    OURO PRETO

    Ouro Preto – MG

    -20.3948400, -43.5051700 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • PRAIA DO FORTE

    08 e 09 de Junho

    Praia do Forte

    Mata do São João – BA

    -12.574687, -38.004731 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • x
  • Descontos
  • Cadastro feito com sucesso!

    OK
    x

    Cadastre-se e fique
    por dentro do mundo XTERRA!

    Quais as suas modalidades de interesse?

    x

    Fale conosco!

    Sua mensagem foi enviada com sucesso!

    XTERRA encerra temporada 2018 com nova etapa em Paraty, RJ

    Edição irá definir os campeões dos rankings gerais e de faixa etária de cada modalidade; Cerimônia de premiação será em festa no Empório Mercante

     

    A 14° temporada do XTERRA Brazil Tour será encerrada após a última edição do ano, a chamada XTERRA Paraty, disputada em 01 e 02 de dezembro, no litoral do Rio de Janeiro. A cidade deve receber mais de 2.000 atletas amadores e profissionais para competirem nas modalidades de Triathlon, Trail Run 6,5 km, Trail Run 21 km, Night Run 6.5 km, MTB Cup Sport (27,5 km), MTB Cup Pro (38 km), Swim Challenge 1,5 km e 3 km e a corrida Kids para a criançada. As inscrições estão abertas e podem ser realizadas em https://goo.gl/yUrJWZ.

     

    A Praia do Pontal será a sede das competições, onde ficará montada a arena do evento, com o palco principal, tendas de parceiros e food trucks, por exemplo. No fim da tarde de sábado (01) ocorrerá a entrega da honraria de Hall da Fama XTERRA a dois triatletas que ainda não receberam a homenagem, Alexandre Manzan e Rodrigo Altafini. Às 22h, no Empório Mercante, localizado na Vila Colonial, começará a cerimônia de premiação do ranking de 2018, ou seja, os grandes campeões da temporada 2018 receberão seus troféus e cheques (apenas para as modalidades Triathlon e MTB Cup Pro, que possuem premiação também em dinheiro).

     

    Quatro atletas já garantiram seus canecos por antecipação. São eles: Daniel Costa Cunha (bicampeão do Swim Challenge 1,5 km – 2017 e 2018) Artur Pedroza (tetracampeão do Swim Challenge 3 km – 2015, 2016, 2017 e 2018), Geisla dos Santos (pentacampeã da Trail Run 21 km – 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018) e Sabrina Gobbo, que entrou para a história do evento quebrando um recorde no Triathlon. A paulista é a primeira mulher pentacampeã na modalidade (2014, 2015, 2016, 2017 e 2018).

     

    Sabrina Gobbo entra para a história do XTERRA de vez, sendo a primeira mulher pentacampeã de triathlon. Foto: Thiago Lemos

     

    O ponto alto para os fãs de esportes off-road será a disputa do triathlon masculino, onde Rafael Juriti, Felipe Moletta e Diogo Malagon chegam com chances de título. Juriti, atual líder do ranking com 463 pontos, pelo regulamento, só poderá somar mais 40 pontos, mesmo que vença em Paraty. Com isso, Moletta (atualmente com 443 pontos) fica muito próximo de conquistar seu heptacampeonato no XTERRA, já que uma segunda colocação, por exemplo, renderá 90 pontos a mais. Malagon tem 431 pontos e aparece também com boas condições de ganhar o seu bicampeonato (foi campeão em 2015), porém precisará ficar pelo menos duas posições à frente de Moletta no XTERRA Paraty. Além de troféus e descontos para a próxima temporada, o   triathlon   do   XTERRA    tem premiação em dinheiro para os três primeiros colocados do ano, onde os valores são de R$ 5.940,00, R$ 3.780,00 e R$ 2.160,00 respectivamente.

     

    Rafael Juriti é o atual líder do ranking de triathlon. Foto: Thiago Lemos

     

    No MTB, a disputa feminina está acirrada desde o início do ano, com o topo do ranking revezando entre Sofia Subtil e Roberta Stopa. Para o último capítulo desta “novela”, ambas chegam com confiança e precisando apenas superar a outra. Quem chegar à frente, independentemente da posição, será a campeã de 2018, já que apenas 10 pontos as separam momentaneamente. Entre os homens, o embaixador do XTERRA   Edivando de Souza está com uma “mão na taça” (269 pontos, 56 à frente do vice Mauro Átila e 96 à frente do terceiro, o atual campeão, Sidnei Fernandes) e só um desastre poderá tirar seu bicampeonato. Ele foi campeão em 2015.

     

    O ciclista Edivando de Souza está próximo de ser bicampeão do circuito XTERRA. Foto: Thiago Lemos

     

    Famosa por suas praias, pela importância histórica e pela tradicional Rua das Pedras, Paraty é uma etapa popular e muito comemorada por todos. “Paraty é uma cidade muito querida e vem ganhando cada vez mais força entre os atletas. É um lugar muito rico de história, com uma diversidade grande de solo e um visual magnífico, com aquele clima tropical que todo mundo adora. Acredito que seja um destino único de viagem e o XTERRA é isso: mais que esporte e lazer, nós oferecemos a oportunidade de realizar uma miniférias em família com direito a conhecer pessoas, gastronomias e culturas diversas”, comenta Gabriela Corrêa, gerente do XTERRA no Brasil.

     

    O XTERRA Paraty é apresentado pelo SESI e tem apoio da Speedo e da Maçãs Turma da Mônica.

    XTERRA realiza edição inédita neste fim de semana, na Praia do Forte

    O cenário da Praia da Forte é um dos mais lindos do Brasil. Foto: Divulgação XTERRA

    Praia do Forte, no Litoral Norte da Bahia, foi o destino escolhido no Nordeste, para sediar, pela primeira vez, uma etapa do maior festival de esportes off-road do mundo, o XTERRA, que é apresentado pelo SESI e será realizado nos dias 09 e 10 de junho. A iniciativa em terras baianas leva a assinatura da DIVA Entretenimento – produtora com 20 anos de experiência, nos mais variados segmentos, que agora inova, e debuta no segmento esportivo.
    “Será um evento para se desafiar e cuidar da saúde, cercado de uma natureza deslumbrante, no maior evento do planeta, no gênero. O XTERRA não para de se reinventar e tem no seu DNA a inovação e criatividade, trazendo sempre novidades. Tenho certeza que o público baiano vai abraçar o festival e colocar a Bahia no calendário”, afirma Guiga Sampaio, diretor da Diva Entretenimento. As inscrições para participar do evento já estão abertas, através do site http://xterrabrasil.com.br/tour-2018/xterra-camp-praia-do-forte.
    A etapa Praia do Forte contará com oito provas, e entre as modalidades, estão: Triathlon, Trail Runs (7,5 km e 21 km), Swim Challenge (1,5 km e 3 km), MTB Cup Sport (19,4 km), MTB Cup Pro (37,7 km) e a Corrida Kids, para a criançada de até 13 anos de idade. “Sempre é uma emoção a mais quando realizamos uma etapa em um local inédito. Praia do Forte reúne todos os elementos que caracterizam o XTERRA: natureza, desafios e um lugar turístico. Estamos ansiosos para este evento”, comenta Wanise Plischke, gerente do XTERRA no Brasil.
    O atleta Diogo Malagon, campeão do Triathlon no XTERRA Camp Bahia 2017, atual vice-campeão do ranking da modalidade, e campeão do ranking em 2015, está ansioso com a possibilidade de participar da competição: “Tenho uma sequência de provas agora, mas quero muito ir para a Bahia novamente. Ainda preciso decidir, mas a prova já está no meu radar desde o início do ano. Em 2017 eu venci o Camp na Bahia e tive uma experiência incrível. Eu fui achando que a prova seria plana, só areia e tal, mas foi super bem organizada, trajetos maravilhosos, o lugar foi lindo. Já vi fotos da Praia do Forte e acho que será uma etapa tão boa e tão bela quanto a do ano passado. Lugar inédito sempre é mais atrativo também”.

    _XTERRA_BAHIA_TRIATHLON_SABADO_ALTA-5Diogo Malagon venceu a etapa baiana em 2017. Foto: Divulgação XTERRA

    Serviço:
    XTERRA – Etapa Praia do Forte
    Praça de São Francisco, Praia do Forte, Bahia
    09 e 10 de junho de 2018
    Informações e inscrições: http://xterrabrasil.com.br/tour-2018/xterra-camp-praia-do-forte.
    Organização: Diva Entretenimento: Av. Tancredo Neves, 3133, Caminho das Árvores, Salvador Shopping, L2 (Mezanino Loja Chez Cohen).
    Informações: (71) 3334-1530 ou 9 8136-7184 (WhatsApp)

    Após grave lesão, Diogo Malagon chega confiante para o XTERRA Brazil Tour 2018

    Triatleta teve a clavícula fraturada em quatro partes em fevereiro, mas garante presença no XTERRA Brazil, em Ilhabela, em maio

    Diogo Malagon é um dos mais experientes triatletas no XTERRA

    O paulista Diogo Malagon é um dos atletas mais antigos do XTERRA brasileiro. Sua estreia, ainda como amador, aconteceu na segunda edição do evento no país, em 2006. Desde então já são mais de 30 participações como profissional, histórias, vitórias, um título do circuito (2015) e muita experiência adquirida. Vice-campeão em 2017, o triatleta esperava começar a nova temporada já em Costa Verde, porém um grave acidente precisou adiar seu início.
    No último dia 3 de fevereiro, Malagon foi pedalar em sua cidade natal, Cosmópolis, em São Paulo, ao lado de um amigo e um iniciante no esporte, mas o inesperado aconteceu. “Meu amigo e eu estávamos entrando em uma estrada com cautela porque não sabíamos se vinha carro, então é preciso ir com cuidado, mais devagar mesmo. O outro atleta é novato e estava distante de nós, mas quando chegou na estrada ele veio sem noção, entrou a milhão e quando me viu já estava muito em cima e não conseguiu desviar. Conclusão, ele me atropelou e eu caí com força no chão, bati com o ombro e já levantei com dor, colocando a mão e sentindo tudo mole, ali eu já sabia que tinha fraturado”, explica.
    WhatsApp Image 2018-04-04 at 14.16.29 (1)

    Malagon mostra como ficou seu capacete após a queda e lembra a importância do acessório: “Salva muitas vidas”.

    Diogo Malagon fraturou a clavícula em quatro partes e precisou fazer uma cirurgia que lhe rendeu uma placa de metal e nove parafusos no ombro esquerdo. A previsão dos médicos era de pelo menos três meses afastado dos esportes e logo veio a preocupação com sua forma física, sua rotina de treinamentos e as competições que perderia, como o XTERRA Costa Verde em março e o XTERRA Brazil em 12 e 13 de maio, em Ilhabela. Pensando isso, o paulista de 33 anos de idade focou em sua recuperação para conseguir, pelo menos, participar da segunda etapa, que é a mais importante do ano e qualificatória para o mundial no Havaí.

    WhatsApp Image 2018-04-04 at 14.16.29“No sexto dia eu comecei a pedalar só no rolo, no sétimo eu já havia sido liberado para fazer mais alguns movimentos e em duas semanas comecei a correr para manter a condição física mesmo. Fui tendo uma melhora impressionante e os médicos me liberaram para nadar levemente depois de 22 dias do acidente. Então nadei pensando em ganhar amplitude, ter o movimento completo de volta e não deixar atrofiar. Mas peguei forte no tratamento justamente para estar apto a competir no XTERRA Brazil, que é uma das minhas principais metas de 2018”, assume.

    WhatsApp Image 2018-04-04 at 14.16.30Malagon pedalou apenas no rolo da bike por alguns dias

    Apesar da ausência na 1° edição do ano, Malagon, que é atleta Specialized Racing Br, diz que ainda é possível brigar pelo título anual: “Tem o campeonato inteiro pela frente e a pontuação não é mais tão desproporcional em relação às etapas regionais. Isso deixa tudo mais disputado e acredito que dê para brigar pelo ranking sim”. Ele aproveita também para afastar a hipótese de medo de uma nova queda. “Nos primeiros treinos de MTB eu fiquei com medo de cair sim, mas hoje em dia, dois meses depois do acidente, já não tenho medo, apenas um cuidado maior, até porque o osso ainda não cicatrizou completamente. Estou treinando normalmente já, sem sentir dores, mas não vou chegar na prova do jeito que eu gostaria, até porque estarei fora do ritmo de competição ideal. A recuperação está sendo muito mais rápida do que se esperava, então em breve estarei no nível que estava antes da fratura”, afirma com confiança.

    MENU