37.751, -97.822
  • BUZIOS

    30 de novembro e 01 de dezembro

    Búzios

    Armação dos Búzios – RJ

    -22.752792, -41.884151 Inscreva-se Resultados Saiba Mais
  • COSTA VERDE

    9 e 10 de Fevereiro

    Costa Verde

    Mangaratiba - RJ

    Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • BRAZIL

    11 e 12 de Maio

    BRAZIL

    Ilhabela – SP

    Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • OURO PRETO

    01 e 02 de Junho

    OURO PRETO

    Ouro Preto – MG

    Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • PRAIA DO FORTE

    08 e 09 de Junho

    Praia do Forte

    Mata do São João – BA

    Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • AGULHAS NEGRAS

    13 e 14 de Julho

    Agulhas Negras

    Visconde de Mauá - Resende/RJ

    Resultados Trail Run Inscreva-se Saiba Mais
  • ITAIPAVA

    24 e 25 de agosto

    Itaipava

    Petrópolis– RJ

    Resultados Increva-se Saiba Mais
  • ESTRADA REAL

    28 e 29 de setembro

    Estrada Real

    Tiradentes – MG

    Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • ILHA GRANDE

    05 e 06 de Outubro

    Ilha Grande

    Angra dos Reis – RJ

    Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • INDAIATUBA

    02 e 03 de Novembro

    Indaiatuba

    Indaiatuba – SP

    Inscreva-se Resultados Saiba Mais
  • x
  • Descontos
  • Cadastro feito com sucesso!

    OK
    x

    Cadastre-se e fique
    por dentro do mundo XTERRA!

    Quais as suas modalidades de interesse?

    x

    Fale conosco!

    Sua mensagem foi enviada com sucesso!

    XTERRA Agulhas Negras teve retornos vitoriosos de Isabella Ribeiro e Antônio Gonçalves

    Ex-embaixadora do triathlon, Bella voltou a competir no XTERRA após mais de um ano e meio; atual bicampeão nacional na trail run 21K, Antônio venceu a 1° em 2019

     

    Mais de 1.500 atletas marcaram presença na 5° etapa do circuito XTERRA Brazil Tour 2019. Chamada de XTERRA Agulhas Negras devido ao famoso Pico das Agulhas Negras, em Visconde de Mauá, no Rio de Janeiro, o evento aconteceu pela primeira vez na aconchegante Serra da Mantiqueira, entre os dias 13 e 14 de julho. Os principais destaques foram a triatleta Isabella Ribeiro e o corredor Antônio Gonçalves, que retornaram à competição após um tempo afastados e brilharam com vitórias incontestáveis em suas modalidades.

     

    Duathlon

    Em Visconde de Mauá não tem mar, sendo assim, a principal prova foi a de duathlon. Na categoria masculina Felipe Moletta confirmou o favoritismo, chegando à frente de Marcello Sebastião por pouco mais de dois minutos e meio. Foi a terceira vitória seguida de Moletta no campeonato, que está cada vez mais próximo de confirmar mais um título de ranking anual, que seria seu nono. Frederico Zacharias, Diogo Malagon e Hugo Amaral completaram o pódio profissional do duathlon.

     

    Moletta voou baixo no trecho de bike do duathlon. Foto: César Delong

     

    “Lugar sensacional! Prova no formato de duathlon com um percurso bacana, que apesar de não ser muito técnico, foi duro. Próxima parada agora é no XTERRA Itaipava”, exclamou o motivado Moletta, que aproveitou para já garantir presença na etapa de número 6 do ano.

     

    Entre as mulheres, a mineira Isabella Ribeiro, vice-campeã do ranking em 2016 e 2017, voltou a competir no XTERRA após um ano e sete meses e conquistou o primeiro lugar que tanto se acostumou em temporadas passadas.

    Bella Ribeiro voltou com força total. Foto: César Delong

    “De volta às competições com um 1°lugar. Obrigada à Specialized por estar sempre ao meu lado”, disse a sorridente Bella, como é conhecida.

     

    Trail Run 21K

    Na corrida longa o atual bicampeão nacional, Antônio Gonçalves, voltou após três edições ausente. Na edição de abertura de 2019, o mineiro ficou com a segunda colocação geral, em Mangaratiba. Faltava, portanto, o primeiro triunfo da temporada. Triunfo este que veio após uma dura batalha com o macaense Joseilton Santos, que chegou 50 segundos depois. Com a consagração, Antônio voltou a somar pontos importantes na disputa do ranking e passa a ser um forte candidato ao tricampeonato. Completaram o pódio geral masculino da trail run 21K: André Luiz Mapa, Cristiano Andrade e Cássio Garcia.

     

    Já na categoria feminina, uma vencedora inédita: Ízis Machado, corredora da equipe carioca Chivunk, que costuma levar dezenas de atletas às etapas do XTERRA e sempre é bem representada. Ízis impôs um ritmo forte desde o início da prova e soube curtir cada momento único do percurso, sempre pousando para fotos com muita energia e felicidade. Ana Paula de Oliveira, Maria José da Silva, Isabela Marchiori e Carla Bissotto foram as atletas que também subiram ao pódio e ganharam seus troféus.

     

    Ízis curtiu todo o percurso de 21K e posou para todas as fotos com muita felicidade. Foto: Foco Radical

     

    MTB Cup Pro

    A etapa Agulhas Negras teve um diferencial na competição de mountain bike. Foi o maior percurso da história do evento, com 77km para os profissionais e 43,5km na versão reduzida, para atletas amadores. Bella Ribeiro, que já havia vencido o duathlon, também participou do MTB Cup Pro e ficou com a vice colocação, atrás somente de Sofia Subtil, atual bicampeã nacional da modalidade. Foi a segunda vitória de Sofia em três edições com a modalidade até o momento. Roberta Stopa ficou em terceiro e segue na luta pelo título. Márcia Helena Matos, que também havia participado e ficado em segundo no duathlon no dia anterior (13), ficou em 4° na bike. A paulista Suelen Couto fechou o pódio feminino.

     

    Glauber Cunha foi o mais rápido entre os homens, com um tempo muito bom de 03:11:13. Na sequência chegaram Rafael Juriti, que é triatleta, mas não pôde competir no duathlon devido a uma lesão e o veterano Edivando de Souza, embaixador XTERRA de mountain bike.

     

    O pódio feminino do MTB Cup Pro teve Sofia Subtil no topo

     

    O XTERRA Agulhas Negras foi apresentado pelo Sesi e contou com o apoio da Prefeitura de Resende, além da produção local da Maiss Entretenimento. Os três primeiros colocados (masculino e feminino) no duathlon e no MTB Cup Pro receberam também uma premiação em dinheiro (R$ 1.400,00, R$ 900,00 e R$ 500,00 respectivamente). Veja os resultados completos em http://xterrabrasil.com.br/tour/resultados-xterra-agulhas-negras-2019-trail-run/#.

    XTERRA define campeões de 2018 após etapa lotada em Paraty

    3.200 pessoas prestigiaram última edição do ano, onde mais de 2.500 atletas competiram e decidiram suas colocações finais no Triathlon, Trail Run, MTB e Swim

     

    Os dias chuvosos que antecederam o XTERRA Paraty, disputado nos dias 1 e 2 de dezembro, na Praia do Pontal, deixaram o solo da região bem pesado e enlameado, porém isso tornou as provas mais divertidas para os amadores e mais técnicas para os profissionais. Mais de 2.500 atletas participaram de um festival bem descontraído no litoral do Rio de Janeiro, com um fechamento de temporada empolgante principalmente nas disputas do triathlon masculino e do MTB feminino e masculino, que ainda não tinham campeões definidos.

     

    O clima familiar e bem-humorado tomou conta da Arena XTERRA já na sexta-feira (30/11) durante a entrega de kits e o simpósio de triathlon. Cerca de 3.200 pessoas estiverem presentes durante os dois dias de competições, seja participando ou assistindo. Alguns até se impressionaram com o desempenho dos profissionais, como o português Bruno Valente, que realizou a trail run diurna e a noturna, ambas com 6,5 km de distância, mas teve sua atenção voltada mesmo para a prova de 21 km.

     

    “O Antônio teve um desempenho extraordinário, com um pace monstruoso, ao nível de um maratonista da elite mundial. É incrível ver uma performance assim no meio do mato”, afirmou Bruno, aproveitando para elogiar o XTERRA Brazil: “Gostei muito do evento brasileiro, achei bem melhor que o de Portugal, que nunca participei apesar da vontade, mas já assisti e não passa a mesma energia”, comparou.

     

    Antônio Gonçalves, bicampeão do ranking XTERRA teve performance em Paraty comparada a de um maratonista.

     

    Trail Run 21km

    Como o “gajo” antecipou, a trail run 21 km foi um verdadeiro espetáculo para os amantes de corrida. O mineiro Antônio Gonçalves precisava chegar em primeiro lugar para ser campeão do ranking de 2018 e não tomou conhecimento da chuva, dos adversários e do solo escorregadio. Com uma sensacional média de 3:50 a cada km, o atual campeão de 2017 deu um show e se sagrou bicampeão. Entre as mulheres a campeã foi a ilhabelense Geisla dos Santos, que já havia conquistado o título por antecipação e não esteve presente em Paraty porque estava representando o Brasil no XTERRA World Championship, no Havaí, disputado no domingo (2/12). Geisla, que é pentacampeã de trail run 21 km do XTERRA nacional, ficou em 9° lugar geral no mundial e em 2° em sua faixa etária. A vencedora em Paraty foi Lúcia Sousa, da RA Assessoria Esportiva.

     

    “O resultado no Havaí foi ótimo, consegui atingir meu objetivo de ficar no top 10 do mundo e já garanti minha vaga para 2019. Ainda coloquei o Brasil no pódio ficando em segundo em minha categoria. Tudo maravilhoso”, comentou Geisla.

     

    Geisla fez bonito no Havaí, com um 9° lugar geral e 2° em sua categoria de 20 a 29 anos.

     

    Triathlon

    A prova mais esperada era a de triathlon e o motivo era simples: três competidores tinham chances de título. Felipe Moletta, atual hexacampeão do circuito (2011, 2012, 2013, 2014, 2016, 2017) era o único que dependia apenas de si próprio. Usando toda sua experiência e frieza, o paranaense não deu chance ao azar e manteve seu lugar no topo, com uma vitória sobre os rivais Diogo Malagon e Rafael Juriti, que terminaram em 2° e 4° lugares respectivamente. Agora heptacampeão, Moletta foi o segundo a sair da água, atrás de Hugo Barbosa somente, mas na parte do pedal, como sempre, o campeão mostrou sua força, completando o percurso três minutos mais rápido que o segundo ciclista mais veloz, Rodrigo Altafini. Moletta completou a prova em 02:03:10 e comemorou com seu filho João Moletta.

     

     

    Já na categoria feminina, a fenomenal Sabrina Gobbo já havia garantido seu pentacampeonato em agosto, mas voltou a vencer em Paraty. A segunda colocada na etapa e no ranking foi Laura Mira. Além de troféus e descontos para a próxima temporada, o triathlon  do XTERRA tem premiação em dinheiro para os três primeiros colocados do ano, onde os valores são de R$ 5.940,00, R$ 3.780,00 e R$ 2.160,00 respectivamente.

     

    MTB Cup Pro

    O ranking de mountain bike teve apenas Edivando de Souza (2015) e Sidnei Fernandes (2016 e 2017) como campeões até hoje. Na atual temporada, tivemos um campeão inédito, o mineiro Daniel Grossi, que dominou a prova paritiense, chegando 13 segundos à frente de Sidnei, que ficou com o vice-campeonato também. Edivando ficou com a 3° colocação. No feminino, a “guerra” entre Sofia Subtil e Roberta Stopa se fez desde a primeira etapa do ano, em março. Desde então, ambas foram vencendo alternadamente, com a rival e amiga chegando sempre em segundo. Sendo assim, quase empatadas, as ciclistas decidiriam o ano em Paraty. Deu Sofia, que conquistou o bicampeonato com uma performance segura e tranquila, chegando com 01:33:40, em seguida vieram Sabrina Gobbo (3° geral em 2018) com 01:36:25 e Stopa (vice-campeã 2018), com 01:43:15. O ranking de MTB tem a mesma premiação em dinheiro que o triathlon.

     

    Bastante sujo de lama, Grossi comemorou o título de 2018 empenando sua bike.

     

    OBS: O percurso do MTB Cup Pro em Paraty precisou sofrer uma alteração por questões de segurança devido à chuva, que triplicou a dificuldade do trajeto. Ao invés de 44km, os atletas pedalaram 22 km.

     

    Swim Challenge 1,5 km e 3 km

    Na parte aquática, o famoso Swim Challenge do XTERRA, já estava tudo resolvido entre os homens. Na categoria de 1,5 km, Daniel Costa Cunha, campeão em 2017, manteve o título com um bicampeonato perfeito no primeiro semestre (3 vitórias consecutivas). Nos 3km, o ex-atleta da seleção brasileira de natação, Artur Pedroza, voltou a ser campeão por antecipação. Foi o 4° título consecutivo da “fera dos mares”, que além de ser multicampeão, é embaixador XTERRA e membro do Hall da Fama XTERRA. Artur não esteve presente em Paraty e Daniel competiu na prova dos 3km, onde foi vice-campeão geral. Os vencedores da etapa foram Renato Donha (1,5km) e Pedro Paz (3km).

     

    Já entre as nadadoras, Clarissa Brito venceu a distância mais curta superando Patrícia de Oliveira, mas não foi o suficiente para superá-la no ranking. Patrícia foi a campeã de 2018 e Clarissa foi a vice-campeã novamente (já tinha sido em 2017). Nos 3km, vitória de Laura Poli na etapa e troféu dourado de ranking 2018 para Mirella Salomon.

     

    O XTERRA Paraty foi apresentado pelo SESI e teve apoio da Speedo e da Maçãs Turma da Mônica.

     

    O ranking de todas as modalidades do XTERRA Brazil Tour 2018 pode ser conferido em http://xterrabrasil.com.br/tour/rankings-2018/#1542912027959-e9d0d1b1-76bb .

    XTERRA Costa Verde 2018 teve lotação em nova modalidade e surpresas nos resultados

    O XTERRA Costa Verde foi a centésima etapa do evento no Brasil e recebeu mais de 2.500 atletas no Portobello Resort & Safári, em Mangaratiba

    A largada da Trail Run 21 km em Mangaratiba contou com atletas de todas as idades. Foto: Thiago Lemos

    A centésima etapa do XTERRA no Brasil também foi a primeira da temporada 2018. Em dois dias ensolarados de competições na área externa do Portobello Resort & Safári, em Mangaratiba, no Rio de Janeiro, o XTERRA Costa Verde contou com mais de 2.500 atletas amadores e profissionais. O festival contou com a modalidade de Aquathlon (1 km de natação + 5 km de corrida) pela primeira vez na sua história e teve resultados inesperados, com favoritos sendo superados no Triathlon, na Trail Run 21 km e no Swim Challenge 1,5 km.

    Triathlon

    A principal modalidade do XTERRA teve sua primeira prova do ano lotada e com resultado surpreendente entre os homens. Na categoria feminina a atual tetracampeã Sabrina Gobbo começou a nova jornada vencendo com facilidade, com mais de 9 minutos de diferença para a segunda colocada, Brisa Melcop. O paranaense Felipe Moletta, que já ganhou o ranking em seis oportunidades (2011, 2012, 2014, 2015, 2016 e 2017), travou uma disputa acirrada com o paulista Fernando Toldi, que debutou no mundo off-road com uma vitória marcante e significativa. O objetivo era diversão somente, mas agora Toldi passa a sonhar também com o título anual.

    Fernando Toldi foi o grande vencedor do Triathlon em Costa VerdeFernando Toldi foi o campeão do triathlon no XTERRA Costa Verde. Foto: Thiago Lemos

    “Foi divertido demais, adorei a prova e o clima do XTERRA. Agora eu vou tentar também competir pelo título, pois percebi que é possível. Obviamente não vou conseguir ir em todas as etapas porque tenho outro foco no momento, mas gostaria bastante de ser campeão, assume. “Acredito que venci no percurso de MTB, pois ali eu realmente me superei e consegui chegar bem parelho com o Moletta, tinham trechos muito escorregadios e técnicos. Como não tive o treinamento específico fiquei meio inseguro, mas me saí até melhor do que esperava. Depois eu sabia que dificilmente ficaria para trás na parte da corrida”, completa Toldi, analisando a prova.

    Aquathlon
    A prova inédita de 2018, o Aquathlon, teve inscrições esgotadas, com 200 atletas competindo na praia particular do Portobello. A competição foi dominada pelo carioca Eduardo Gonzalez e pela paulista Clarissa Brito, que entraram para a história do XTERRA como os primeiros vencedores. Nadadores há mais de 20 anos, Dudu e Clarissa abriram vantagem no trecho da natação e aceleraram na corrida, que teve o caminho bem escorregadio devido à quantidade de lama oriunda das chuvas em dias anteriores.
    “O percurso estava muito difícil, choveu bastante nessa semana e a distância de 5 km pareceu ser 10 km na verdade. Estava bem deslizante e tive que explorar bastante a técnica. Mas foi tudo excelente, o XTERRA está de parabéns e é sempre uma viagem maravilhosa por evento. Não são 100 etapas à toa”, explicou Dudu Gonzalez, aproveitando para elogiar o formato XTERRA.

    Largada do Aquathlon Costa Verde 2018A primeira prova de Aquathlon do XTERRA teve vagas esgotadas e muita festa. Foto: Thiago Lemos

    Trail Runs (10 km e 21 km)

    Nas Trails Runs o percurso estava extremamente desafiador, um dos mais difíceis até hoje segundo depoimento de vários corredores, que contavam aos risos a quantidade de escorregões. E o inesperado aconteceu. O atual campeão do ranking Antônio Gonçalves perdeu os 100% de aproveitamento na história do XTERRA Trail Run 21 km. Agora com 8 vitórias em 9 participações, o mineiro natural de Piau correu no sacrífico, com uma lesão por estresse na coxa direita e um tratamento prévio à base de muita injeção. Apesar da contusão, ele chegou atrás somente de Raphael Valverde. Entre as mulheres nada mudou, Geisla dos Santos, campeã de 2017, venceu com sobras e permanece sendo a candidata ao título de 2018.
    Na menor distância, a Trail Run 10 km, os destaques foram Nilton dos Santos e Solange Mariano, que dominaram do início ao fim. O XTERRA Kids contou com mais de 150 crianças de até 13 anos de idade correndo em pequenos percursos de 50m a 1km. A prova finalizou o XTERRA Costa Verde num clima descontraído e familiar.

    Pódio da Trail Run 21 km teve Raphael Valverde superando Antônio GonçalvesRaphael Valverde superou o sempre favorito Antônio Gonçalves nos 21 km de Trail Run. Foto: Thiago Lemos

    Swim Challenge (1,5 m e 3 km)
    Nas provas de natação em mar aberto os atuais detentores dos títulos entre os homens permaneceram nos lugares mais altos do pódio. Daniel Cunha (1,5 km) e Artur Pedroza (3 km) seguem sem dar chance ao azar e dominantes em suas respectivas modalidades. Nas categorias femininas, a atual vice-campeã da distância de 1,5 km, Clarissa Brito, não obteve o sucesso constante de 2017. A paulista, que triunfou no Aquathlon, chegou em terceiro lugar em sua especialidade. “Ah, fiquei um pouco triste porque tive um imprevisto com a roupa de natação e aí não pude aquecer direito. Não sei se venceria a prova, mas gostaria de ter competido com a preparação prévia de sempre”, lamentou Clarissa Brito.
    A grande campeã foi a atleta profissional do Club de Regatas Vasco da Gama, Gabriela Alves, que posou sorridente com seu 1° troféu XTERRA e deu o primeiro passo rumo ao título do ranking.

    Gabriela Alves, a campeã do Swim Challenge 1,5 kmA vascaína Gabriela Alves posou com seu primeiro troféu XTERRA. Foto: Divulgação vasco.com.br

    O XTERRA Costa Verde, que foi apresentado pelo SESI, tem todos os resultados disponíveis no link https://goo.gl/UT7ZcC. A próxima edição do XTERRA Brazil Tour 2018 será a etapa qualificatória para o Mundial do Havaí, o XTERRA Brazil, em Ilhabela, nos próximos dias 12 e 13 de maio.

    XTERRA Rota Imperial teve disputa acirrada, dobradinha e campeão prodígio no MTB

    Felipe Moletta e Marcelo Sebastião empolgaram o público, Antônio Gonçalves obteve dupla vitória e o capixaba Arthur Assumpção, de 16 anos, surpreendeu na competição de mountain bike

     

    Após seis anos o estado do Espírito Santo voltou a sediar uma edição do maior festival de esportes off-road do mundo. O XTERRA Rota Imperial, que foi disputado no último sábado (26) e no último domingo (27), não decepcionou o público capixaba. Com cerca de 1.000 inscritos em provas diversas, o evento terminou com as esperadas vitórias de Antônio Gonçalves (Trail Runs), Isabella Ribeiro (Duathlon), Sidnei Fernandes (MTB Pro), Márcio Souza (Endurance) e Felipe Moletta (Duathlon), que ultrapassou Marcelo Sebastião a um segundo da reta final e cruzou em primeiro por centímetros, resultando em uma das chegadas mais emocionantes e acirradas de todos os tempos. No MTB Cup Sport o destaque foi o jovem Arthur Assumpção, que apesar dos 16 anos de idade, não se intimidou e desbancou os experientes, em sua primeira participação no XTERRA Brazil.

    O festival foi aberto no sábado com as provas de Duathlon. Isabella Ribeiro triunfou entre as mulheres, enquanto Moletta e Sebastião deram um show de competitividade do início ao fim no masculino, já que lideraram a parte inicial de corrida (3km) e a parte de bike (27km). No último trecho da prova – mais 6km corridos – a disputa foi uma das mais equilibradas da história do XTERRA. Os competidores se mantinham lado a lado, alternando as lideranças por breves momentos, até que no percorrer do último quilômetro, Marcello Sebastião abriu vantagem e parecia já ter garantido o triunfo, porém Moletta, atual segundo colocado do ranking de 2017, tirou forças de outras gerações para conseguir a ultrapassagem no momento da chegada.

     

    “Chegamos praticamente juntos, mas parecia que ele ia me vencer com facilidade em alguns momentos. Até que ia se afastar quando quisesse mesmo. Foi meio pé que definiu a vitória e foi a primeira vez que competi com o Marcello. Posso dizer que sou fã dele, é um cara muito batalhador e foi a prova mais disputada que já fiz. Isso é muito bom, porque todo atleta gosta de desafios. Espero encontrá-lo novamente em Tiradentes”, relatou o vencedor Felipe Moletta.

     

     “Barba, cabelo e bigode” nas Trail Runs e volta ao topo na Endurance
    O mineiro Antônio Gonçalves já é considerado um fenômeno nas provas de corrida e garantiu o heptacampeonato em 2017. Mais uma vez se manteve no topo do pódio nos 21km, mantendo os 100% de aproveitamento. Não satisfeito e ainda sedento por endorfina, o corredor de 27 anos também competiu na Short Night Run (6km) e confirmou a dobradinha. Na categoria feminina, a capixaba Viviane Motta quase repetiu o feito de Antônio, já que venceu com facilidade a Half Trail Run, e chegou em segundo lugar na Short, apenas a quatro segundos da campeã Michelle Rezende.

     

    Na dura prova de 54km, a chamada Endurance, o carioca Márcio Souza, o Marcinho, de 42 anos, voltou a encontrar o caminho da vitória após ter sido o primeiro do ranking de 2015. A vitória foi incontestável, com 14 minutos de sobra para o segundo colocado Rafael Sodré. “Felicidade, muita felicidade. É o que posso dizer nesse momento”, exclamou Marcinho.

     

    Surpresa capixaba no MTB Cup Sport e favoritismo confirmado no MTB Cup Pro  
    O domingo do XTERRA Rota Imperial foi composto pelas modalidades de mountain bike. Na categoria Cup Sport (27km) o resultado foi inesperado até mesmo para o primeiro colocado. Arthur Assumpção tem 16 anos e é natural de Domingos Martins, no Espírito Santo. Atual bicampeão estadual de XCO, o prodígio não deu chances aos oponentes e, em sua primeira aparição no XTERRA, já garantiu o troféu de ouro.

    “Não esperava vencer! Adorei a organização da prova, o percurso com bastante subida e a vista lá de cima é ‘coisa de louco’, magnífica! Estou muito feliz, até porque competi em casa, diante de amigos e familiares. Essa vitória vai me inspirar para participar de outras edições do XTERRA
    Entre os pros, não houve surpresa. O líder do ranking 2016, Sidnei Fernandes, dominou os 54 km de percurso e segue forte rumo ao bicampeonato anual. Entre as mulheres, as sempre bem preparadas Sabrina Gobbo e Isabella Ribeiro foram superadas por Ana Luiza Siqueira em um embate marcado pelo equilíbrio.

    Todos os resultados podem ser conferidos no link https://goo.gl/x65yxr.
    A próxima edição do XTERRA Brazil Tour 2017 será o Camp Rota do Sol em Parnamirim, no Rio Grande do Norte, no dia 2 de setembro. Em seguida, nos dias 31 de setembro e 1° de outubro é a vez da clássica etapa Estrada Real, em Tiradentes, Minas Gerais.

    5° edição do XTERRA em 2017 premia atletas consagrados em Ouro Preto

    XTERRA Ouro Preto 2Antônio Gonçalves foi o primeiro na Half Trail Run a cruzar a linha de chegada

    No último final de semana (22 e 23) o XTERRA, maior festival de esportes off road do mundo, esteve em Ouro Preto para a disputa de sua quinta edição em 2017. Famoso por suas provas radicais, que provocam alto grau de endorfina, o evento contou com vitórias de atletas já conhecidos na cena esportiva e acostumados à primeira colocação. Destaques para Antônio Gonçalves da Silva, que pela sexta vez, foi o grande campeão da categoria mais popular, a Half Trail Run (25,8 km), enquanto a paulista Sabrina Gobbo tornou a vencer a disputa MTB Cup Pro (46 km). Todos os resultados finais podem ser conferidos no link https://goo.gl/xnH9sx.
    Centenas de competidores estiveram presentes e puderam viver a experiência única de uma etapa XTERRA, presenciando as belezas naturais e a admirável arquitetura colonial da cidade mineira. Para Sabrina Gobbo, a prova foi de seu gosto peculiar. “A etapa foi bem bacana, no estilo que eu gosto, com bastante subida e dificuldade. Os dois singles tracks que tiveram no percurso valeram para a diversão do meu dia, relatou a atleta de 40 anos, que terminou quinze minutos à frente da segunda colocada.
    O campeão da Half Trail Run, que consiste em correr uma distância de 25,8 km, foi o favorito Antônio Gonçalves, de 27 anos. O mineiro, natural da cidade de Piau, conquistou sua sexta vitória seguida nas etapas XTERRA e, revelou ter tido um gosto especial nesta última, já que não esperava o triunfo. “Tive um estiramento na coxa direita há quinze dias e achei que não iria conseguir dar o meu melhor, então não esperava ficar em primeiro. Essa conquista merece ser comemorada em dobro”, confessou.
    Antônio tem uma fazenda própria e cria dezenas de animais ao lado de sua mãe e namorada e garante que não se considera imbatível e ainda revela seu segredo. “Sempre me cuido bastante para fazer boas provas e acho que isso reflete no meu desempenho, mas eu gosto de ficar leve, então corro sem camisa e não levo água. Eu me hidrato bastante até a hora da disputa, engordo 4 kg propositalmente também, pois é o peso que perco em média durante uma prova”, contou.
    O XTERRA voltou para Ouro Preto após dois anos e realizou a terceira edição na cidade histórica. A próxima edição do festival, que é apresentado pelo SESI, será realizada em 12 e 13 de agosto, na região de Costa Verde, em Mangaratiba, no Rio de Janeiro. As inscrições estão abertas e podem ser feitas através do link https://goo.gl/zNknLR.

    MENU