39.0481, -77.4728
  • 9 e 10 de Fevereiro

    Costa Verde 2019

    Mangaratiba - RJ

    -22.949793, -44.074256 Inscreva-se Saiba Mais
  • 08 e 09 de Junho

    Praia do Forte 2019

    Mata do São João – BA

    -12.574687, -38.004731 Inscreva-se Saiba Mais
  • 13 e 14 de Julho

    Agulhas Negras 2019

    Resende – RJ

    Inscreva-se Saiba Mais
  • 28 e 29 de setembro

    Estrada Real 2019

    Tiradentes – MG

    -21.110108, -44.173202 Inscreva-se Saiba Mais
  • 10 e 11 de novembro

    Camp Ilha do Mel

    Ilha do Mel – PR

    -25.517005, -48.334969 Inscreva-se Resultados Saiba Mais
  • 01 e 02 de dezembro

    PARATY

    Paraty - RJ

    -23.212859, -44.711337 Inscreva-se Resultados Saiba Mais
  • x
  • Descontos
  • Cadastro feito com sucesso!

    OK
    x

    Cadastre-se e fique
    por dentro do mundo XTERRA!

    Quais as suas modalidades de interesse?

    x

    Fale conosco!

    Sua mensagem foi enviada com sucesso!

    Vice no XTERRA Triathlon, Malagon comemora temporada e escolhe etapa preferida

     
     
    andre%e2%95%a0u_zuccolo_xterra_ilhacomprida_058
    Segundo lugar no ranking anual do XTERRA Triathlon, Diogo Malagon completou mais uma temporada do XTERRA Brazil Tour entre os principais destaques do evento. O paulista, que há muitos anos figura entre os melhores competidores do circuito, travou uma batalha acirrada com Felipe Moletta pelo título de 2016.
    O segundo lugar na temporada é motivo de orgulho para Malagon. Ciente das dificuldades que o circuito impõe entre os atletas de maior nível, ele crê que seu desempenho foi bastante satisfatório.
    “Analiso 2016 como uma boa temporada para mim. Tive alguns contratempos ao longo do circuito,
    mas mesmo assim o saldo foi bem positivo. Estar entre os cinco primeiros do ranking anual do XTERRA Brazil é algo dificílimo, ainda mais para mim que, por conta dos meu trabalho e família, não consigo ter uma vida 100% voltada para o esporte de alto rendimento”, falou.
    Brigando passada a passada com Felipe Moletta pelo lugar mais alto do pódio, Diogo elogia o adversário. Segundo ele, o fato de ter um atleta tão bom no XTERRA Triathlon faz com que ele tenha ainda mais motivação e vontade de treinar forte.
    “É legal ter um cara desse nível para competir. Isso motiva e te faz querer ser melhor. Estamos sempre lutando lado a lado pelas vitórias. É uma rivalidade bem saudável e benéfica para os dois. Quanto mais atletas desse nível tiverem disputando as etapas do XTERRA Brazil, melhor. Dá noção clara da dificuldade que é chegar entre os primeiros colocados”.
    Diogo Malagon, que nesta temporada disputou pela primeira vez a etapa mundial do XTERRA, no Havaí, e chegou entre os 25 primeiros na sua modalidade, faz um balanço das etapas e escolhe as suas preferidas.
    “As etapas que mais me marcaram foram Ilha Comprida e Ilhabela. Ilhabela por motivos óbvios. A tradição do lugar, o fato de ter uma etapa classificatória mundial e grandes atletas lutando pelas primeiras colocações. A de Ilha Comprida foi bem curiosa, até por ter acontecido no início da temporada. O pessoal esperava moleza, mas o que se viu lá foi uma dificuldade extrema e muito calor. Me diverti bastante com isso e fiz uma grande prova”, finalizou.

    Campeã inédita do XTERRA MTB Cup Pro, Fernanda Prieto vibra com a conquista

    2016_xterra_paraty-mtb-cup-134
    Entre as modalidades mais concorrida do XTERRA Brazil Tour, o XTERRA MTB Cup Pro conheceu vencedores inéditos nesta temporada. Consistente durante todo o circuito de 2016, Fernanda Prieto conseguiu angariar ótimos resultados na reta final conquistou a primeira colocação do ranking anual. Roberta Stopa e Márcia Helena de Paula completaram o pódio, com a segunda e a terceira colocação, respectivamente.
    Em êxtase após a inédita conquista para sua sala de troféus, Fernanda falou sobre os motivos que lhe fizeram campeã. Além disso, falou sobre como a parte mental foi importante no resultado final.
    “Avaliando a temporada, acredito ter aproveitado 100% dos eventos que participei. Claro que não foi fácil, pois as adversárias eram muito fortes, mas eu estava bem focada e este ano me preparei especialmente para as provas do XTERRA Brazil. Então, a cada etapa eu já chegava com o corpo e mente totalmente em sintonia para o grande desafio, pois o XTERRA Brazil sempre é uma caixinha de surpresa”, disse.
    Satisfeita com a primeira colocação do ranking, Fernanda fez questão de elogiar a organização do XTERRA Brazil. Depois de falar sobre como se apaixonou pelo evento, ela citou alguns dos motivos que fazem do festival um imenso sucesso.
    “Estou muito feliz em vencer o MTB CUP do XTERRA Brazil pela primeira vez. Este foi o primeiro ano que participei do evento disputando o ranking. Me apaixonei pelo XTERRA Brazil em 2015, quando participei de uma etapa em Ilhabela e lá eu vi o diferencial do evento. É tudo muito voltado para toda família, com um clima mágico e contagiante. Além disso, é um festival feito para todos os gostos, foi assim que consegui levar muitos amigos para participar da temporada 2016”.
    Apesar de demonstrar toda a sua alegria pelo feito obtido, Fernanda Prieto também se lembrou dos momentos mais complicados que teve de passar até chegar ao topo do pódio. Segundo ela, esses momentos também lhe deram forças para ir adiante.
    A etapa mais complicada acho que foi a de Ilha Comprida (SP). Lá, a prova não tem praticamente nada de altimetria, não tem parte técnica, com raízes e pedras, mas tem grades gigantes e bancos de areias para ser superado. É aí que a prova complica e acaba surpreendendo a todos. Foram 70km e me lembro de ter bancos de areia com mais de 2 ou 3km. É muita força, e o psicológico tem que ser trabalhado. Sem contar nos mais de 15km de praia com vento contra (risos)

    Jovadir Júnior comemora excelente marca no XTERRA Endurance 50k, em Tirandetes (MG)

    16_xterra_estrada-real_sabado_endurance_2
    O termo “voar baixo” pode ser perfeitamente aplicado a Jovadir Júnior, campeão do XTERRA Endurance, na etapa Estrada Real, em Tiradentes, no último dia 24 de setembro.  Nem mesmo o fato de ter que correr 50km sob forte sol foi suficiente para tirar a tranquilidade do paulista. Com um ritmo forte e constante, Jovadir venceu a prova com a excelente marca de 4h08m37s. A expressiva marca fez com que ele ficasse cerca de 32 minutos à frente do segundo colocado.
    Contente pela conquista, Jovadir não escondeu sua satisfação com a primeira conquista em etapas do XTERRA Brazil. Ex-maratonista profissional, ele atribui a ótima performance à sua rotina diária.
    “É minha primeira vitória no XTERRA Brazil e estou muito feliz. Eu fui maratonista profissional, mas em 2014 parei de competir. Após isso, virei professor de corrida e passei a rodar de 60 a 90km por dia. Eu moro numa região com muitas montanhas (Bragança Paulista – SP) e isso ajuda nos treinamentos e nas boas marcas que venho alcançando”.
    16_xterra-brasil_estrada_real_50km-21

    (Jovadir Júnior brilhou durante o percurso do Endurance no XTERRA Estrada Real)

    Após abandonar as maratonas profissionais, Júnior passou a dedicar-se às corridas de uma nova forma. E reencontrou, por meio de suas aulas, o prazer de correr. Com mais de 40 alunos em seu grupo, o corredor não quer parar novamente e já visa novos troféus.
    “Eu trabalho de uma forma bem personalizada. Atualmente tenho cerca de 40 alunos. Pelo fato de fazer um programa bem individualizado, isso me ajuda nos treinamentos e também me dá uma excelente base para as competições. Pretendo seguir nesse ritmo e conquistar ainda mais vitórias em provas do XTERRA Brazil”, completou.

    Ao lado do filho, Vinicius Flores comemora bom desempenho na XTERRA Half Trail Run, em Ilhabela

    2
    Ao lado do filho, Vinicius Flores comemora bom desempenho na XTERRA Half Trail Run, em Ilhabela (SP) A poucos metros de cruzar a linha de chegada do XTERRA Brazil, em Ilhabela (SP), Vinicius Flores teve uma grata surpresa ao. Seu maior fã o esperava para completar junto os 21,3 km da XTERRA Half Trail Run. O “acompanhante” em questão não era um qualquer, mas sim seu filho Eduardo Miguel, que aguardou ansiosamente por quase duas horas até ter seu pai no campo visual. O exemplo de companheirismo e amor de pai para filho emocionou a todos os presente no XTERRA Village e serviu para comprovar que o maior evento de esportes off-road do mundo é muito mais do que um evento esportivo e preza muito pelas relações interpessoais e familiares.
    Orgulhoso pela participação e pela iniciativa do filho, Vinicius fez questão de elogiar a organização do evento por mais uma prova bem-sucedida. Líder da Vida Sports, o paulista também falou sobre sua experiência no XTERRA Brazil e disse que tem o objetivo de levar cada vez mais alunos às etapas da competição.
    “Primeiramente, gostaria de parabenizar a toda organização do XTERRA Brazil. Foi uma prova top, sem dúvidas. É o terceiro ano que venho e faço questão de trazer meus alunos. Esse ano trouxe mais de 60 atletas. Tenho como objetivo trazer ainda mais atletas para vivenciarem toda essa estrutura, É uma experiência enriquecedora em todos os aspectos.Foi uma prova sensacional”, disse.
    Tímido, Eduardo fez questão de reiterar seu carinho pelo pai/atleta. Empolgado com o que viu, ele promete seguir os passos do paizão nas corridas: “Eu fico feliz por ter corrido com o meu pai. Gosto muito de acompanhar ele em todas as provas. Ele corre muito bem. É meu herói. Meu sonho quando crescer é também poder correr e ganhar muitas medalhas”, encerrou.

    Líder do ranking em sua categoria, Luiz Escudero busca mais uma vitória em Ilhabela (SP)

    XTERRA COSTA VERDE_II_THIAGO DIZDSC_3097
    Aos 54 anos, Luiz Escudero é tido e avido como um dos principais triatletas off road do país. A vivência em competições de alto nível e as ótimas performances nos últimos anos comprovam sua fama. Em preparação para o XTERRA Ilhabela II, que acontece entre os dias 27 e 28 de agosto, o paulista segue folgado na liderança do ranking anual de sua categoria – 50 a 54 anos – no XTERRA Triathlon.  Apesar da boa vantagem, ele não quer dar brechas aos oponentes e visa garantir mais um prêmio em sua coleção de troféus.
    Reconhecido por sua grande contribuição aos esportes off road no Brasil, Escudero também tem brilhado em âmbito internacional. Prova disso, são suas excelentes participações nas etapas do XTERRA Pan American Tour 2016.
    “O XTERRA Pan American Tour tem um nível muito forte, até por encontrarmos adversários de diversos países e muito bem preparados. Os circuitos são duríssimos e técnicos. Apesar disso, julgo que o XTERRA Brazil não deve em nada, pelo contrário, conta como uma organização ainda melhor”, disse.
    Na expectativa por mais uma boa participação em Ilhabela (SP), Luiz vê a prova como uma boa forma de aumentar ainda mais sua distância no ranking brasileiros e se preparar para novas experiências no XTERRA Pan American Tour.
    “Nesta etapa de Ilhabela, teremos o Short XTERRA – versão reduzida do XTERRA triathlon – e isso vai ser importante para usar como preparação para última etapa do XTERRA
    Pan American Tour em Utah, no dia 17 de setembro. Também estou liderando o ranking da competição e se conseguir um bom resultado, serei campeão Pan-Americano”.
    Os expressivos resultados não chegaram “de graça” para Luiz Escudero. Por isso, ele pega firme nos treinamentos e visa uma contínua melhora em seus tempos “Tenho treinado bem com assessoria do Ivan Albano, que é um expert. Com isso, venho melhorando muito meus tempos nas provas e tendo ótimos resultados, como, por exemplo, na prova da República Dominicana, quando fiquei em primeiro na minha categoria e no amador geral”, concluiu.
    Serviço:
    XTERRA Brazil 2016
    Local: Ilhabela (SP)
    Datas: 27 e 28 de agosto
    Modalidades: XTERRA Enduro, XTERRA Night Swim Challange 2k ,Short XTERRA Triathlon, XTERRA Half Trail Run, XTERRA Short Trail Runs e XTERRA Kids Mini Corrida
    Inscrições: https://www.x3mbrasil.com/inscricoes/inscricoes/xterra-ilhabela-ii-2016

    Henrique Lugarini se firma como revelação no XTERRA Triathlon

    Passadas 5 etapas do circuito XTERRA 2016 o funil do ranking começa a mostrar os seus potenciais campeões. Entre os profissionais do XTERRA Triathlon um nome chama a atenção: Henrique Lugarini. Triatleta de 26 anos e natural de Curitiba/PR figura entre os TOP 3, atrás apenas do supercampeão XTERRA Felipe Moletta, também de Curitiba, e do atual campeão 2015 XTERRA, Diogo Malagon. Estreante no circuito, Lugarini realizou o seu primeiro XTERRA no final de 2015, na etapa de Ilha Comprida. Foi ali então que decidiu correr o restante do circuito em 2016.
    Extremamente satisfeito com o desempenho no ranking e também em conhecer os diversos percursos que compõe o circuito XTERRA, Henrique, que também é surfista nas horas vagas, sonha e planeja alto, aproveitando da sua idade e disposição para correr atrás de novas conquistas. Confira um bate-papo com uma das revelações do ano:
    1) Quando começou a competir no XTERRA?
    Comecei a competir o XTERRA no final de 2015 em Ilha Comprida conquistando a quarta colocação em minha estreia. Desde pequeno gostava de praticar Mountain Bike. Com 23 anos iniciei nas provas de Triathlon e provas de Mountain Bike conquistando bons resultados. Encontrei no esporte a oportunidade de crescer como pessoa e me motivar frente aos desafios. O esporte é uma potente ferramenta de transformação pessoal, auxiliando na busca pelo equilíbrio físico e mental/emocional e na superação dos limites.
    2) Em 2016 você está em 3º no ranking, atrás de campeões como Moletta e Malagon, qual a sensação de ser uma das revelações do ano?
    Fico muito feliz com a minha rápida evolução no Cross Triathlon atrás de excelentes campeões como Moletta e Malagon. A sensação de ser umas das revelações do ano é saber que meu esforço está valendo a pena! Isso me motiva a crescer cada vez mais no esporte. Venho treinando focado com muita determinação e disciplina.
    3) No que você pretende evoluir para alcançar os primeiros lugares?
    Para alcançar essas feras não é fácil. Atualmente intensifiquei meus treinos e conto com a assessoria de treinamento especializada de Guilherme Manocchio e Ricardo Poli, meu instrutor do DeRose Method, para uma melhor performance nos treinos e competições.
     
    2016_xterra_Paraty_Triathlon_Sabado (24)
    Lugarini na enlameada prova de Paraty.
    4) Fale mais sobre o centro de treinamento de Cross Triathlon que você montou no Paraná e como enxerga essa transição do asfalto para o off-road.
    O Centro de Treinamento de Cross Triathlon é um projeto que eu tenho já faz alguns anos. Estou planejando com bastante calma para atender os atletas amantes do Off-Road. No momento estou utilizando o Centro para meus treinamentos e mapeando percursos.
    A migração: Acredito que o que motiva as pessoas a migrarem do Triathlon tradicional para o Off-Road é a busca pelo contato com a natureza e a superação dos limites em uma prova onde os percursos são de nível técnico mais apurado que o tradicional. Eu vejo que muitos atletas do Triathlon tradicional estão experimentando o Cross Triathlon e se surpreendendo com a qualidade dos eventos e o estilo das provas. Aqueles que amam a natureza tendem naturalmente a migrar para o Cross.
    5) Como você planeja o restante do ano no XTERRA?
    Estou bastante motivado para as próximas disputas. Em Ilhabela já estou mais confiante por ter participado da etapa do XTERRA Brazil. XTERRA Duathlon Tiradentes e o XTERRA Camp Paraná serão uma novidade e estou empolgado para competir. O nível continuará alto mas estou treinando focado e vou dar o meu melhor.
    6) Próximos objetivos como atleta:
    Meu objetivo deste ano é completar as etapas do XTERRA garantindo a melhor colocação. Para o ano que vem meu objetivo é ser campeão do XTERRA e num futuro próximo disputar o Mundial no Hawaii lutando sempre pela melhor colocação.
     
    16_XTERRA_BRAZIL_Chegada_Sabado_triathon-10

    Destaque em Costa Verde, "Paraíbolt" comemora colocação no XTERRA Short Trail Run

    paraibolt
    Apelidos engraçados e personagens folclóricos estão presentes em todos os segmentos da sociedade no Brasil. No esporte, essas características tornam-se ainda mais afloradas. Participante do XTERRA Short Trail Run, disputado em Mangaratiba (RJ), no último fim de semana, Ginaldo de Freitas é um bom exemplo da fértil imaginação brasileira. Após bons resultados e dedicação às corridas, ele virou simplesmente “Paraíbolt” – homenagem a Usain Bolt, corredor hexacampeão olímpico e 11 vezes campeão mundial.
    O apelidado dado por seus amigos de bairro – Ginaldo é morador do Jardim América, na Zona Norte do Rio de Janeiro, mas nasceu em João Pessoa, capital da Paraíba – pegou e fez com que ele se tornasse conhecido nas provas que são disputadas ao redor do Rio de Janeiro, principalmente. Satisfeito, ele fez elogios ao percurso montado pela organização.
    “O apelido pegou mesmo (risos). Acho legal poder homenagear um atleta tão importante. Em relação à prova, achei o percurso bem difícil, mas isso que deu graça ao evento. Sou especialista em provas de média distância e fiquei satisfeito com o trajeto planejado pela organização. É a segunda vez que corri uma etapa do XTERRA Brazil e estou muito feliz por ter conseguido um lugar no pódio. É uma competição muito disputada, chegar em segundo pode ser comemorado como uma grande vitória”, disse.

    paraibolt (1)

    (Paraíbano recebeu o troféu do XTERRA Brazil pela segunda colocação em sua modalidade)

    Entusiasmado pelo troféu conquistado com o vice-campeonato no XTERRA Short Trail Run, Paraíbolt, que fez apenas sua segunda aparição no maior festival de esportes off road do planeta, quer correr no maior número de etapas possível. Além disso, ressaltou a importância de seus rígidos treinamentos na busca por resultados expressivos.
    “Já havia chegado na terceira colocação no ano passado, então é uma prova que gosto bastante de fazer. Vou ficar atento ao calendário do evento e me inscrever no máximo de etapas que puder. Meus treinamentos são bem puxados. Costumo mesclar bastante os treinos de volume com os de tiro de curta distância. Além disso, complemento os exercícios com a musculação. É preciso abrir mão de muitas coisas, mas, no fim, tudo vale a pena. Minha vida é a corrida”, finalizou com o um largo sorriso no rosto.

    A campeã voltou: Rosalia Camargo confirma presença nos 50K da etapa Costa Verde

    A etapa de Costa Verde prepara uma grande emoção: retorno da multicampeã Rosalia Camargo, mais de um ano afastada das competições para cuidar de uma gestação e dos primeiros meses da pequena Maria.
    A atleta de Endurance ganhou a maioria das provas de longas distâncias nas quais ela participou. Com uma UTMB no currículo e grandes vitórias, a expectativa da atleta é pelo retorno às trilhas e em especial em uma etapa XTERRA.
    rosalia_1
    Batemos um papo rápido sobre as expectativas da prova e como é a rotina da Rosalia,  confira:
    Qual a sensação de voltar ao XTERRA na prova de 50k de Costa Verde? Estou curtindo muito essa fase de voltar às competições. Cada uma em que volto está me trazendo sensações diferentes. Costa Verde é uma prova especial pra mim porque foi minha estreia nos 50k, uma distância que já foi “fácil” pra mim… e que hoje com essa nova rotina vai me trazer muita ansiedade na hora da largada!
    Você ficou ausente para ter uma filha. Como foi esse período fora das competições, que tipo de cuidados você teve?  O ano em que descobri que estava grávida da Maria foi repleto de competições, eu vinha do UTMB, do XTERRA Tiradentes… e por isso resolvi aproveitar para descansar das corridas e da rotina de treinamento que marcou o ano de 2014. Continuei a caminhar e a nadar só para manter o corpo ativo e curti muito minha gravidez!
    Qual foi o principal foco do seu treinamento para voltar às competições? Eu sonhava em voltar a correr! Estava com saudades de sair e me deslocar pela cidade ao ar livre. Meu foco era só arrumar tempo para conseguir cuidar um pouco de mim.
    Você já fez essa prova anteriormente, quando? Qual dica você daria para quem está indo pela primeira vez? Fiz o primeiro ano da competição e os três seguintes. Venci todas as etapas em que competi. O XTERRA Costa Verde é uma prova maravilhosa, minha dica é curtir bastante cada trecho. É uma prova em que a subida é longa, mas não é muito técnica e por isso é uma competição que recomendo para quem está iniciando no trail run
    Você está acostumada com este tipo de prova. Entre físico e psicológico, qual fator é determinante para conquistar a famosa camisa ´Survivor´? Com certeza o psicológico! É importante e essencial saber aproveitar a prova e não ficar contando a distância que falta para cruzar a linha de chegada. Saber respeitar seu próprio corpo e não inventar nada que fuja muito do treinamento.
    Deixe um recado para galera que está indo para o XTERRA Costa Verde! Boa prova galera!! Nos vemos na chegada !!
     

    Após completar quatro provas, atleta local comemora resultado no XTERRA Paraty

    Liderada por Tales Camargo, embaixador do XTERRA Brazil, a população paratiense esteve em peso em todas as provas do XTERRA Brazil. Entre esses atletas locais, estava Adam Moraes que não se contentou em se inscrever em apenas uma prova. Com disposição e força de vontade de sobra, Adam competiu em quatro modalidades e comemorou bastante o seu feito.

    “No sábado, eu participei do XTERRA Swim Challange, do XTERRA Half Trail Run e do XTERRA Short Night Run. Ao todo, percorri no sábado aproximadamente 30km. Para encerrar o fim de semana maravilhoso, no domingo, eu resolvi participar do XTERRA MTB Sport, um trajeto de 29,5km. Foi uma experiência maravilhosa, é muito bom estar participando de um evento como esse e desafiando sempre os próprios limites. Indico para todos os esportistas que gostam de aventura e natureza”, festejou.

    Contente com sua performance, Adam ressaltou que o XTERRA Brazil também foi primordial em uma mudança de rotina há cerca de três anos:”Eu comecei em 2014, aqui mesmo em Paraty (RJ). Na época corri 7km e tinha aproximadamente 97kg. Isso representou uma mudança muito grande na minha vida. Em 2015, eu participei do XTERRA Triathlon para comemorar um ano da minha estreia e agora resolvi participar dessas quatro provas para testar meus limites. Nada melhor do que realizar essa missão dentro de casa. Me sinto muito satisfeito com o resultado e vou seguir tentando ultrapassar os meus tempo dentro do XTERRA Brazil”, concluiu.
    adammoraes
    Adam posa orgulhoso com as medalhas conquistadas

    Robson Careca vence limitações, desafia limites e é destaque no XTERRA Brazil Tour, em Ilhabela (SP)

    Há 18 anos, um acidente automobilístico em Ubatuba, no litoral de São Paulo, interrompeu a carreira do, até então, surfista e triatleta profissional Robson Careca. Paralisado da cintura para baixo, ele foi desenganado pelos médicos e viu sua vida virar do avesso em um curto espaço de tempo. À primeira vista, essa história tem contornos de dramaticidade e sofrimento. No entanto, o amor ao esporte e a vontade de superar seus limites fizeram com que Robson desafiasse todos os prognósticos. Foi no Stand Up Paddle que o paulista, acostumado a viver dentro da água, renasceu para a prática esportiva. Destaque por onde passa, ele deu mostras de sua capacidade durante o XTERRA Brazil Tour 2016, disputado nas areias de Ilhabela (SP).
    Aos 47 anos, Robson não se entrega às dificuldades do dia a dia de um deficiente físico no Brasil. Sempre de alto astral, ele dá a receita para as pessoas com algum tipo de deficiência construírem uma vida saudável e alegre. Segundo o atleta, a vontade de sair de casa para praticar qualquer esporte é o primeiro passo rumo à recuperação completa.
    “Pratico esportes há 40 anos. Isso sempre foi a minha vida. Sofri o acidente, mas consegui me recuperar e mostrei para todos que vale a pena estar promovendo o esporte e acessibilidade para todos. É muito melhor sair de casa para praticar alguma atividade física do que ficar enclausurado reclamando da vida. Esse contato com a natureza é fundamental para seguir minha vida normalmente. Por isso, faço questão de me desenvolver em diversas modalidades aquáticas, como o SUP, surf adaptado, remada oceânica, dentre outras”, explicou.
    sup
    Referência dentro do circuito nacional do Stand Up Paddle, Careca relata sua experiência com a modalidade e como isso o ajudou a sair do marasmo. Além disso, faz questão de elogiar os organizadores do XTERRA Brazil pela chance de competir no maior festival de esportes outdoor do planeta.
    “Já pratico o esporte há 17 anos. Quando entro na água, quero mostrar para todos que o limite está na cabeça de cada um. Sempre fui um grande incentivador da modalidade, mesmo quando ela possuía poucos adeptos. Viajo o Brasil inteiro com o objetivo de fomentar o Stand Up Paddle e também mostrar que é um esporte possível às pessoas que possuem qualquer tipo de deficiência. Tudo é possível quando temos força de vontade. Queria parabenizar o XTERRA Brazil por esse bonito trabalho de inclusão social. É fundamental um evento deste porte ajudar nesse processo”.
    O trabalho de Robson Careca é reconhecido em diversos pontos do país. Ao todo, ele já inseriu mais de 60 pessoas com diversos tipos de deficiência em modalidades aquáticas. Dividindo-se entre Caraguatatuba e Ilhabela, o paulista não pretende parar por aí e conta com uma boa estrutura para seguir transformando vidas.
     
    “Falo para todos que Deus nos deu uma segunda chance e temos que aproveitá-las. Todos podem reverter qualquer quadro, desde que tenham empenho e força de vontade. Caso tenham dificuldades, podem me procurar nas redes sociais (Robson Surfista Especial). Tenho um projeto itinerante que leva o esporte até essas pessoas. O objetivo é colocar essas pessoas no céu, na terra e no ar, mostrando que não existem limites quando acreditamos naquilo que fazemos. Estou de coração aberto para ajudar todos e fazer com que os deficientes também possam se desenvolver como atleta. Temos profissionais especializados que são fundamentais nesse processo de reabilitação”, concluiu.

    MENU