39.0481, -77.4728
  • 11 e 12 de Maio

    BRAZIL

    Ilhabela – SP

    -23.112450, -47.216160 Inscreva-se Saiba Mais
  • 01 e 02 de Junho

    OURO PRETO

    Ouro Preto – MG

    -20.3948400, -43.5051700 Inscreva-se Saiba Mais
  • 08 e 09 de Junho

    Praia do Forte

    Mata do São João – BA

    -12.574687, -38.004731 Inscreva-se Saiba Mais
  • 13 e 14 de Julho

    Agulhas Negras

    Visconde de Mauá - Resende/RJ

    Inscreva-se Saiba Mais
  • 24 e 25 de agosto

    Itaipava

    Petrópolis– RJ

    -22.903730, -43.609380 Inscreva-se Saiba Mais
  • 28 e 29 de setembro

    Estrada Real

    Tiradentes – MG

    -21.110108, -44.173202 Inscreva-se Saiba Mais
  • 02 e 03 de Novembro

    Indaiatuba

    Indaiatuba – SP

    -23.112450, -47.216160 Inscreva-se Saiba Mais
  • 30 de novembro e 01 de dezembro

    Búzios

    Armação dos Búzios – RJ

    -22.752792, -41.884151 Inscreva-se Saiba Mais
  • 9 e 10 de Fevereiro

    Costa Verde

    Mangaratiba - RJ

    -22.949793, -44.074256 Resultados Inscreva-se Saiba Mais
  • x
  • Descontos
  • Cadastro feito com sucesso!

    OK
    x

    Cadastre-se e fique
    por dentro do mundo XTERRA!

    Quais as suas modalidades de interesse?

    x

    Fale conosco!

    Sua mensagem foi enviada com sucesso!

    Henrique Avancini prestigia clínica de MTB organizada pelo XTERRA e pela OCE em Itaipava

     

     

    Principal ícone do ciclismo brasileiro, o carioca campeão mundial Henrique Avancini, de 30 anos, marcou presença na clínica de MTB organizada pelo XTERRA e pela assessoria de ciclismo OCE (Overthetop Consultoria Esportiva), de Hugo Prado Neto, um dos maiores coachs de treinamento por potência do Brasil.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Avancini aproveitou para convocar os amantes do esporte e elogiou o formato da prova. Veja o vídeo:

     

    A clínica está sendo realizada nos dias 19, 20 e 21 de abril, no Vale do Cuiabá, em Petrópolis, mesmo local da inédita prova MTB Cup X6, que estará presente no cronograma do XTERRA Itaipava, a ser realizado em 24 e 25 de agosto, na região serrana do Rio de Janeiro, e tem o objetivo de preparar ciclistas amadores para a competição e ensinar segredos do verdadeiro mountain bike. Com treino técnico na pista de XCO, na pista de Pump Track, dois pedais com diferentes tipos de terreno e as palestras de coachs, o encontro já recebeu cerca de 30 mountain bikers em seu primeiro dia. A expectativa é que 50 atletas estejam presentes no sábado (20).

     

    O MTB Cup X6 será disputado em 24 de agosto, com largada às 8h. O desafio consiste em uma experiência de seis horas pedalando em um circuito de XCO nos padrões mundiais, podendo ser realizado individualmente, em duplas ou em quartetos. Convoque os amigos e inscreva-se para a prova com seu grupo clicando em http://xterrabrasil.com.br/tour/xterra-itaipava-2019-mtb-cup-x6/.

    CEO do XTERRA Brazil cita lifestyle off-road e turismo como pilares

    Em entrevista exclusiva para o programa HEAT, do canal Woohoo, o CEO do XTERRA Brazil, Bernardo Fonseca, fez uma análise concisa sobre o seu produto e citou o lifestyle off-road das pessoas, além do turismo como grandes pilares para a construção da marca. Bernardo também lamentou a ausência de provas semelhantes ao XTERRA e ofereceu apoio a possíveis empreendedores que desejam criar novas provas esportivas na natureza.

     

    “Queremos influenciar que tenham mais provas parecidas com a nossa. A gente quer aumentar o número de praticantes e até faço um apelo: galera, eu ajudo vocês! Quem precisar da ajuda da organização do XTERRA para fazer seu evento acontecer, fala com a gente. Só assim vamos crescer ainda mais com o esporte off-road no nosso país. Isso aqui é para todo mundo, por isso temos distâncias diferentes, provas diferentes…se você pedala, nada, corre muito, corre pouco, não importa, você está no XTERRA. Esse é nosso princípio e sabemos que é um lifestyle“, analisa Bernardo.

     

    Confira a entrevista completa:

    Preparando-se para as corridas do início da temporada – por Josiah Middaugh

    Algumas dicas para ajudar a garantir que você esteja pronto para o primeiro XTERRA da temporada (se for o seu primeiro)

     

    Realize exercícios específicos de corrida

    Para ter um bom desempenho na intensidade da corrida, você deve fazer exercícios que imitam a intensidade que será exigida no dia da corrida. Os treinos não precisam ser iguais à duração do evento, mas devem incluir intervalos iguais ou acima do ritmo da passada e devem ser longos o suficiente para dar a você a confiança de que pode completar a distância desejada na intensidade certa. Para o XTERRA, um exercício físico que gosto de realizar é 6 x 6 minutos com 3 minutos de pedalada fácil, seguido por 2 x 1 milha, com 3-4 minutos de corrida fácil. Este treino de mountain bike é ótimo de fazer em uma subida sustentada.

     

    Sua primeira prova do ano não pode ser a grande prova da temporada

    Exercícios específicos ajudam, mas essa primeira corrida da temporada é sempre um tapa na cara. É preciso algumas provas para lembrar completamente o que é necessário para competir e sofrer no dia da competição. Se você tem uma corrida “A” no início da temporada, não faça dela o seu grande objetivo. Pode não haver um XTERRA antes dessa corrida, mas você pode encontrar algo para ajudar a preparar sua mente e corpo. Geralmente recomendamos uma prova de mountain bike no início da temporada ou duas. Aumente a distância de seu treino, se possível, atenção à nutrição e não tenha medo de fazer uma transição depois. Isso ajudará com suas habilidades técnicas e o acostumará a competir novamente. Além disso, os ciclistas de montanha olham para você como se você fosse louco, o que é sempre um pouco divertido.

     

    A primeira corrida da temporada sempre dói

    Só porque você treinou durante todo o inverno não significa que sua primeira competição do ano será mais fácil do que qualquer outra anterior. Saiba lidar com isso! Saiba o que você vai fazer quando a dor chegar e espere que ela aconteça. Saiba que a dor passará. Não existe prova fácil. Se você acha que uma corrida foi fácil, provavelmente você não foi duro o suficiente.

     

    Bole um plano de corrida

    Melhor ainda, reveja o planejamento do ano anterior e revisite o que funcionou para corridas similares. Traçar um plano de corrida ajuda você a visualizar sua próxima prova.

     

    Teste seu equipamento com antecedência

    Eu odeio admitir isso, mas fiz meu primeiro XTERRA do ano tendo acabado de receber todo o equipamento novo. Retire seu equipamento das caixas e teste-o pelo menos um mês antes de sua primeira corrida, para não atrapalhar a performance. Será menos estressante e você terá um melhor desempenho.

     

    Ame o ambiente em que você está

    Adore a região em que você vive para se ajudar a se preparar da melhor maneira possível. É fácil para mim reclamar da falta de pedalar devido ao solo da Flórida, mas não há desculpa para eu não estar na minha mountain bike toda semana. Eu também posso nadar em águas abertas a maior parte do ano se eu quiser e, no verão, eu posso simular o calor sufocante de Maui. Eu tenho muita sorte. Encontre os recursos que sua área oferece e utilize-os. Provavelmente há mais disponível do que você pensa.

     

    Sobre o autor:

    Josiah Middaugh é o campeão panamericano XTERRA, 13 vezes campeão nacional do XTERRA, e campeão mundial do XTERRA em 2015. Ele tem mestrado em cinesiologia e é personal trainer certificado há 18 anos (NSCA-CSCS). Veja a matéria original em https://www.xterraplanet.com/2019/04/middaugh-coaching-corner-prepping-early-season-races

    XTERRA Training Day no Rio de Janeiro reuniu mais de 70 corredores

    A iniciativa de organizar um treino coletivo de trail run às 7h30 do último dia 14 de abril, no Parque da Floresta da Tijuca, na Zona Norte do Rio de Janeiro, foi um sucesso. Com parceria das assessorias esportivas 100 Mimimi Running, MP Run e Ponto Corrido, o XTERRA reuniu mais de 70 corredores, que além da experiência, ainda contaram com isotônicos fornecidos pela D-Vitaminas, água e frutas variadas.

     

    Todos os participantes se inscreveram para o treinão de 11K através do site Event Brite. Para Victor Medeiros, responsável pelas relações públicas do XTERRA no Brasil, a ação é importante para unir o público amante da natureza e dos esportes off-road e para aproximar a empresa de seu público.

     

    “Tivemos quase 80 pessoas presentes no nosso primeiro treino do ano e, certamente, vamos pensar em novas ações deste tipo, visando outras cidades também. É o tipo de ação que nosso público deseja e esse engajamento é importante para nós. Ajuda a expandir a marca, ganhamos confiança dos corredores e nos preparamos em conjunto para a etapa seguinte do XTERRA”, comentou Victor.

     

     

     

     

     

    XTERRA Brazil terá novas boias Speedo para as provas aquáticas

    O XTERRA brasileiro acabou de receber uma nova leva de boias para suas provas de natação em 2019. Os itens flutuantes são da parceira Speedo, que apoia o maior festival de esportes off-road do planeta há mais de cinco temporadas e é uma das principais marcas de acessórios aquáticos do mundo. A estreia do objeto será já na Praia do Perequê, em Ilhabela, nos próximos dias 11 e 12 de maio, para a principal etapa do circuito, a chamada XTERRA Brazil.

     

    A nova boia tem é uma simpática cabeça humana usando uma touca vermelha da Speedo e óculos de natação. Devido à originalidade e ao carisma do item, o XTERRA Brazil, através de seu Instagram oficial, lançou uma enquete para que o público escolha um nome para o “cabeção”. Acesse https://www.instagram.com/p/BwK-UuZl0s0/  e dê sua opinião. Vale homenagear um amigo, mas lembre-se que se ele não gostar da brincadeira você deve respeitá-lo e parar imediatamente.

     

    O XTERRA Brazil é contra qualquer tipo de bullying.

    XTERRA promove Training Day de trail run no Rio de Janeiro

    Com apoio de três assessorias esportivas cariocas, ação promete reunir cerca de 60 corredores no Alto da Boa Vista no próximo domingo (14)

     

    Visando oferecer mais oportunidades e vivência off-road aos atletas amadores, o XTERRA irá criar mais um Training Day oficial. A ação ocorrerá na Praça Afonso Viseu, no Alto da Boa Vista, no Rio de Janeiro, a partir das 7h30, no próximo domingo, 14 de abril. Cerca de 60 atletas são esperados e o treinamento, que é totalmente gratuito, é proibido para menores de 18 anos.

     

    Liderado por Victor Medeiros, responsável pelas relações públicas do XTERRA, em conjunto com as assessorias esportivas Ponto Corrido, MP Run e 100 Mimimi Running, o encontro terá 11km de treino em trilha no Parque da Floresta da Tijuca, na Zona Norte do Rio e terá distribuição de águas e isotônicos. Haverá sorteio de inscrições para o XTERRA Itaipava, em 24 e 25 de agosto, porém é necessário fazer a inscrição no site da Event Brite. Clique em https://www.eventbrite.com.br/e/training-day-xterra-trail-run-100mimimi-tickets-57826705232?aff=ebdssbdestsearch e confirme sua presença.

    Do sofá às trilhas: Noções básicas sobre equipamentos de natação

    Como triatleta você provavelmente gosta de colecionar equipamentos. De mountain bikes a relógios GPS, a lista pode ser longa e cara. Felizmente, quando se trata de equipamentos de natação, existem apenas alguns itens que são realmente necessários. Há mais alguns que são bons de se ter, e alguns podem até levar seu treinamento para o próximo nível. Mas quais você realmente precisa?

     

    A verdade é que a natação é toda sobre técnica. Isso significa que quaisquer ferramentas que você adicione ao seu treinamento devem solidificar bons hábitos técnicos. Então, vamos dividir no que é necessário, o que é bom ter e algumas ferramentas de luxo que você pode adicionar à sua lista de desejos.

     

    EQUIPAMENTO NECESSÁRIO

    Há realmente apenas três coisas que você precisa para uma sessão de natação, e a primeira é uma boa roupa de banho.

     

    Roupa de natação – Rapazes, deixem as bermudas de praia em casa. Você quer uma roupa que te deixe para simplificado e leve, não uma que o arraste para baixo. Sungas sempre. Meninas, para vocês recomendo qualquer coisa de uma ou duas peças, mas o biquíni que vocês usam na praia não vai servir para nadar, então é melhor optar por uma boa roupa de borracha que tenha a parte de cima e a de baixo.

     

    Óculos de mergulho – é importante escolher um óculos que se adapte confortavelmente ao seu rosto e não deixe vazar água. Uma vez que você encontre o óculos que naturalmente se encaixa na forma do seu rosto, estoque e compre dois ou três, de preferência com diferentes matizes de lente. Você sempre precisa de um par de backup no caso de uma quebra e você quer opções diferentes no dia da prova. Não há nada pior do que ter o sol brilhando diretamente em seus olhos e as únicas lentes que você tem são claras.

     

    Touca de natação – Nadar em uma piscina ou em água salgada pode ser difícil para o seu cabelo. Uma touca de natação é uma maneira fácil de manter o frizz à distância. Se você é desafiado de forma folicular, provavelmente não precisa disso na piscina, mas é importante usar uma touca em águas abertas para que você fique visível. Como todas as corridas XTERRA exigem uma touca de natação para identificar você por sua faixa etária, é inteligente se acostumar a nadar com uma touca.

     

    EQUIPAMENTO QUE É BOM TER

    Além do básico, existem várias ferramentas que podem melhorar sua técnica. As ferramentas a seguir são relativamente baratas e podem ajudá-lo a se concentrar nas áreas do seu curso que você gostaria de melhorar.

     

     

    Palmar – O palmar é uma ótima ferramenta para ganhar força de natação e melhorar a “fase de captura” do seu traço. Ele pode realmente ajudá-lo a sentir a água e como efetivamente se impulsionar para frente. Se usado corretamente e sobre a distância adequada, o palmar pode melhorar substancialmente a potência e a sensação. No entanto, se for usado ​​incorretamente, ou por muitos metros, você pode estar se dirigindo para dor no ombro ou uma lesão no ombro em potencial. Uma boa regra a ser seguida é que qualquer tipo de ferramenta de natação deve ser usada apenas por cerca de 30% de seu treino total.

     

     

     

    Flutuador – Este brinquedo é usado para aumentar a resistência ao puxar dos braços, mantendo o corpo em uma posição aerodinâmica na água. Nadar com um desses também imita uma roupa de mergulho, onde suas pernas estão flutuando e há uma maior confiança em seus braços. Quando usada corretamente e com intenção, a bóia de tração pode ser uma ferramenta poderosa para uma melhor natação. Uma bóia pull pode ensinar-lhe a posição corporal adequada, mantendo os quadris altos e agradáveis, visando exclusivamente a parte superior do corpo.

     

     

    Pés de pato – Estes podem ajudar a fortalecer as pernas e melhorar a flexibilidade do tornozelo enquanto o eleva na água. A flexibilidade do tornozelo é um elemento-chave na capacidade de gerar propulsão a partir do seu chute e geralmente é uma área muito importante para se trabalhar em novos nadadores, especialmente aqueles que preferem correr e pedalar. Nadar com pés de pato torna o corpo mais horizontal na água, permitindo que você faça refinamentos no seu traço sem medo de afundar também.

     

     

    EQUIPAMENTO DE LUXO – EXTRA

    Dependendo de onde você está com seu treinamento e suas finanças, existem alguns itens que podem tornar seu treinamento muito divertido e aumentar sua eficiência e confiança.

     

     

    Formadores de Tempo – O treinador de tempo é um dos meus brinquedos favoritos. É um dispositivo redondo, parecido com um relógio, pequeno o suficiente para caber debaixo da touca de natação ou na alça de óculos de proteção. É basicamente um metrônomo que ajuda a melhorar sua taxa de braçada, o que pode fazer você nadar com mais eficiência e torná-lo mais rápido. Funciona apitando para uma frequência que você determina. Seu trabalho é garantir que sua mão entre na água a tempo com o bipe.

     

     

    Shorts de Neoprene – Nadadores rápidos andam na superfície da água. Eles deslizam pela piscina, seus quadris altos, dando a eles um perfil esguio na água. Isso não acontece se você estiver arrastando as pernas como uma âncora atrás de você. Quadris flácidos são a razão mais comum pela qual os triatletas acham difícil nadar. Você pode imitar a posição correta do quadril com uma bóia de puxar, mas na minha opinião, os shorts de neoprene são melhores. Eu coloco esses bebês de vez em quando. Sim, eles fazem você mais rápido, mas a verdadeira razão para usá-los durante os treinamentos é porque a flutuação dos shorts levanta seus quadris, colocando seu corpo na posição adequada que libera você para se concentrar no curso.

     

    Prancha – Eu sei que alguns de vocês provavelmente estão pensando: “Mimi esqueceu a prancha!” Eu não esqueci. Na minha opinião (humilde), eu não acho que a prancha seja necessária e eu desencorajo meus alunos a usá-la. As pranchas colocam você em uma posição não natural, mano-a-mano e não alongada, e enfatizam a parte menos eficaz do toque – o chute – e impedem que você gire. Elas também fazem com que os quadris afundem e aclimam seu corpo a chutar para cima.

     

    Existem outras ferramentas de natação e variações que não mencionei.  Elas têm seu tempo e lugar. Antes de usar esses aparelhos considere ingressar em uma aula de natação e ter sua performance analisada por um treinador. Então você poderá saber melhor quais ferramentas são mais importantes para você e o que você quer melhorar.

     

    As matérias de treinamento da série “Do sofá às trilhas é apresentada por Sheri Anne Little e pela cinco vezes campeã mundial (faixa etária) de triathlon XTERRA, Mimi Stockton, do Next Level Endurance. O objetivo é levar os atletas aspirantes para fora do sofá, rumando ao treinamento e à linha de largada de um XTERRA.

    XTERRA realiza principal etapa do circuito 2019 nos dias 11 e 12 de maio, em Ilhabela

    Valendo classificação para o mundial de triathlon e trail run 21K, evento deve reunir mais de 3.000 atletas no litoral paulista e premiará triatletas em dólar

     

    Em sua 15° temporada no Brasil, o XTERRA volta à casa original no país, a cidade de Ilhabela, em São Paulo. Nos próximos dias 11 e 12 de maio, pleno Dia das Mães, acontece o XTERRA Brazil, nome da etapa ilhabelense, por se tratar da edição nacional mais importante, a que classifica os praticantes de triathlon e trail run 21K para o XTERRA World Championship, no Havaí, no fim do ano. O evento, que já tem até atletas estrangeiros inscritos, promete receber mais de 3.000 esportistas no litoral e é uma ótima opção para comemorar a data com as mamães.

     

    O XTERRA é um festival multiesportivo off-road que engloba dois dias de competições em um local turístico que possibilite o contato com a natureza, além de proporcionar outras opções de lazer à família (shows, food trucks e stands comerciais, por exemplo, dependendo da etapa).  Com dez edições anuais, o circuito XTERRA preza pela diversão, mas também elege os campeões nacionais em cada especialidade ao fim do ano. Em Ilhabela, 2° etapa de 2019, as modalidades de disputa, além do triathlon (1,5km natação + 24,5km bike + 8,5km corrida) e da trail run 21K já citadas, haverá o aquathlon (1km natação + 5km corrida), o swim challenge (1,5km ou 3km), a corrida kids e outras três trail runs (5K, 10K e 10K noturna).

     

    O trecho de bike do triathlon XTERRA é sempre uma aventura

     

    Na modalidade que deu vida ao XTERRA, o triathlon, a premiação será em dólar para os sete primeiros colocados masculinos e femininos profissionais. Ao todo, 50 vagas serão distribuídas para triatletas competirem no Mundial do dia 27 de outubro, na Ilha de Maui, no Havaí e é necessário que todos obedeçam os critérios prescritos no regulamento da prova.

     

    Vagas para o Mundial de Triathlon – 27/10/2019 em Kapalua, na Ilha de Maui, no Havaí

    Faixa Etária Vagas Masculinas Vagas Femininas
    15 a 19 anos 1 1
    20 a 24 anos 2 2
    25 a 29 anos 2 2
    30 a 34 anos 3 2
    35 a 39 anos 3 2
    40 a 44 anos 3 2
    45 a 49 anos 3 2
    50 a 54 anos 3 2
    55 a 59 anos 2 2
    60 a 64 anos 2 2
    65 a 69 anos 2 2
    70 a 74 anos 1 1
    + de 75 anos 1 0
    TOTAL 28 22

     

     

    Premiação do triathlon:

    • 1º lugar: $ 2.300,00 + troféu
    • 2º lugar: $ 1.700,00 + troféu
    • 3º lugar: $ 1.200,00+ troféu
    • 4º lugar: $800,00 + troféu
    • 5ºlugar: $650,00+troféu
    • 6ºlugar: $450,00
    • 7ºlugar: $400,00

     

    Já na trail run 21K, as chances de ir ao Havaí são menores, pois no máximo 24 corredores irão poder representar o Brasil no torneio internacional. Cada atleta, dentro de sua categoria, deverá utilizar a etapa qualificatória em Ilhabela para obter vaga e também é obrigatório cumprir as exigências prescritas no regulamento.

     

    Vagas para o Mundial de Trail Run (21K) – 24/11/2019 em Oahu, no Havaí

    Faixa Etária Vagas Masculinas Vagas Femininas
    Geral 5 5
    15 a 19 anos 1 1
    20 a 29 anos 1 1
    30 a 39 anos 1 1
    40 a 49 anos 1 1
    50 a 59 anos 1 1
    60 a 69 anos 1 1
    + de 70 anos 1 1
    TOTAL 12 12

     

    O famoso pulo do píer de Ilhabela só será dado na prova de triathlon em 2019

     

    Uma diferença do XTERRA Brazil 2019 para anos anteriores é o pulo do píer (3 metros), famoso nas provas aquáticas, mas que desta vez só estará incluso no primeiro trecho da modalidade triathlon. O XTERRA Brazil Tour 2019 é apresentado pelo SESI e tem apoio da Maçãs Turma da Mônica, da Speedo e dos canais OFF e Woohoo. Consulte o calendário completo em www.xterrabrasil.com.br.

     

     

     

     

     

    XTERRA Brazil – Ilhabela, SP
    Data: 11 e 12 de maio – Temporada 2019
    Local: Praia do Perequê – Ilhabela, SP

    Modalidades: triathlon, aquathlon, trail run (5K, 10K, 10K noturno e 21K), swim challenge (1,5K e 3K) e corrida kids
    Inscrições e cronograma: https://bit.ly/2HsIkKG

    Mais de 250km de pedal, melhor churrasco, banho em apê desconhecido…a trip de Arthur Reis pela Argentina e Chile

    Triatleta brasileiro viveu bons, difíceis e engraçados momentos viajando para o XTERRA Argentina e XTERRA Chile

     

    Atual vice-campeão da faixa etária 25 a 29 anos do triathlon do XTERRA Brazil, Arthur Henrique Reis é presença constante nas etapas off-road brasileiras desde 2016. Com experiência no circuito brasileiro, o triatleta, que é natural de Cajamar, na grande São Paulo, resolveu se arriscar em edições internacionais neste ano de 2019. De cara, o desafio já foi duplo, o XTERRA Argentina em 23 e 24 de março e o XTERRA Chile em 30 e 31 de março.

     

    Acompanhado apenas de sua bike, a “18 quilos”, apelido dado pelo amigo e também triatleta Daniel Pierre, Arthur Reis resolveu viajar pedalando, mas não todo o caminho. Primeiramente ele foi de avião até Mendoza e de lá, já em solo argentino, pegou uma carona com um carro de entregas até a rodoviária da cidade, onde pegou o ônibus para San Juan após desmontar a “18 kg” e guardá-la com carinho. “Quando cheguei em San Juan eu montei a bike e pedalei 30km – com uma mochila bem pesada nas costas – até o local da prova. Fiz uma prova legal, mas não foi o meu melhor, pois eu estava bem cansado fisicamente. Fiquei na sexta colocação na minha categoria”, relatou Arthur.

     

    Passado o primeiro compromisso esportivo, Arthur precisava descansar e ficar em algum lugar. Então foi acolhido pelos atletas brasileiros Laura Mira, Daniel Pierre, Rafael Juriti, Luísa Saft e Alexandre Saft em uma casa alugada. Apesar de toda a boa experiência vivida até então, esta noite do dia 24 de março passaria a ser uma das mais marcantes na vida de Arthur, porém por um motivo gastronômico. “Passei a noite com meus amigos brasileiros que também competiram no XTERRA Argentina e já fui começando a preparação para a travessia para o Chile. Mas uma coisa que preciso dizer é que nesta noite eu comi o melhor churrasco da minha vida. Sério, estava muito bom! Foi um churrasco feito pelo Alê (Alexandre Saft), no estilo gaúcho, com carne argentina. Vou sempre contar isso. Rs”, relembrou aos risos.

     

    Em 25 de março Arthur saiu de Mendoza com destino a Uspallata. Ali começaria a verdadeira viagem puxada de bike. Percorrendo um trajeto de 94km, o jovem foi parado na estrada por um casal de argentinos, que gentilmente, ofereceu um par de frutas para que pudesse ter energia para seguir o rumo. Arthur explicou que o homem argentino já havia feito um “mochilão” no Brasil e se identificou com o ciclista brasileiro.

     

    Ao chegar em Uspallata, Arthur arranjou abrigo na casa de um senhor, porém essa estadia foi curta, já que ele ainda precisava chegar em Las Cuevas. Seriam mais 80km, mas desta vez, com uma dificuldade nunca encarada, a força do vento. “Fui pedalando por um trajeto muito bonito, com muitas montanhas, estradão limpo, mas quando faltavam mais ou menos uns 10km para chegar em Las Cuevas entrou um vento poderoso contra mim. Aquilo me judiou bastante e nunca havia pedalado com uma condição tão adversa. Foi bem complicado, mas consegui chegar com muito esforço e fiquei em um hostel, onde estavam meus amigos brasileiros de novo”, confessou.

     

    Em Uspallata Arthur parou para fazer diversas fotos

    Em seguida, o paulista percorreu 54km até Los Andes, local onde fica o Cristo Redentor, que marca exatamente a divisa entre Argentina e Chile. Todo o esforço valeu a pena ao chegar no topo do Cristo: “Foi uma das vistas mais lindas que já vi, dava para ver as montanhas cheias de neve, paisagem linda, com contraste de cor entre céu, montanha, neve…”. Dali em diante “só” faltavam cerca de 60km até chegar a Santiago, capital chilena, mas o frio era tanto que Arthur preferiu pegar uma carona de carro. Já em Santiago, Arthur montou na “18 kg” novamente e fez apenas 10km até o apê alugado por Daniel Pierre, onde ficaria até o fim do dia. Mas a sorte estava mesmo ao lado do brasileiro, que errou de porta.

     

    “Lembro que entrei, tomei banho e fiquei esperando deitado de boa até que o Pierre me ligou e perguntou onde eu estava, avisando que tinha chegado já. Eu disse que também tinha chegado e aí percebemos que eu estava num apê errado e sinceramente não sei como isso aconteceu. Guardei minhas coisas e saí para ir ao apartamento correto. Realmente não sei o que houve, mas o apê estava aberto, consegui ficar um tempo, tomar banho, desfazer a mochila, sem saber que era o errado. Rs”, relatou novamente aos risos.

     

    Arthur comemora chegada ao local da prova em San Bernardo, no Chile

     

    Dia de competir no XTERRA Chile e a experiência da viagem, após mais de 250km pedalados, só aumentou o nível de Arthur Reis. Com um 4° lugar conquistado, o jovem revelou que não atingiu o objetivo de ficar entre os três primeiros, mas garantiu que faltou bem pouco e que irá ficar no pódio no XTERRA Brazil, em 11 de maio, em Ilhabela.

     

     

     

     

     

     

     

    O triatleta fez questão de terminar o bate-papo agradecendo quem o ajudou em toda a aventura sul-americana e cogitando marcar presença em mais duas etapas gringas. “Tudo isso só foi possível graças aos amigos Laura Mira, Daniel Pierre, José Soto, Hector Tito, à academia Boa Forma Jordanesia e à grande amiga Joyce Rodrigues, que me ajuda desde que comecei no XTERRA, em 2016. Agora não é certeza, mas estou querendo ir ao XTERRA República Dominicana e ao XTERRA Utah, nos EUA, assim vou conseguir pontuar no ranking pan-americano, pois o regulamento exige participação em pelo menos cinco edições nas Américas”, explicou Arthur.

    “Brazucas” brilharam no XTERRA Chile após experiência na Argentina

    Grupo de triatletas brasileiros se destacou em San Bernardo no último fim de semana; Felipe Moletta, Laura Mira e Rafael Juriti subiram ao pódio da elite

     

    É cada vez mais frequente a presença de triatletas brasileiros nas edições internacionais do XTERRA, sobretudo em território sul-americano. Após o XTERRA Argentina, disputado em San Juan, nos últimos dias 23 e 24 de março, foi a vez do XTERRA Chile receber oito “brazucas” em San Bernardo, Santiago, no último fim de semana (30 e 31).

     

    O heptacampeão brasileiro Felipe Moletta, que já havia ficado em terceiro na Argentina, voltou a repetir a posição, aliás, os três primeiros colocados no Chile foram os mesmos das terras “hermanas”. O costa-riquenho Rom Akerson foi o vencedor, chegando à frente do neozelandês Kieran McPherson. Completaram o pódio masculino o norte-americano Will Ross e o brasileiro Rafael Juriti, que conseguiu sua primeira premiação fora do país natal.

     

    Juriti com seu troféu de 5° lugar geral

     

    “Prova com um start list de altíssimo nível e muita disputa no trajeto. Agradeço ao meu time Sense Factory Racing, a todos os parceiros, a todos que torcem por mim e à minha linda família. Bora que o ano está só começando”, comemorou o confiante Juriti.

     

     

     

     

     

     

     

    Entre as mulheres profissionais, a paulista Laura Mira, que havia ficado com a 2° colocação na Argentina, foi a 3° colocada no Chile. O pódio das meninas teve a chilena Valentina Carvallo em primeiro, a sul-africana Johandri Leicester em segundo e outra triatleta local em quarto, Javiera Gainza.

     

    Homens e mulheres se uniram no pódio comemorar os resultados

     

    Os cinco amadores brasileiros que competiram no XTERRA Chile não decepcionaram. Allan Luiz Nogueira ficou com a 4° colocação em sua categoria (35 a 39 anos), enquanto Marcelo Crestani foi o vice-campeão em sua faixa etária (40 a 44 anos). Arthur Reis, o mais jovem do grupo, foi o 4° na categoria 25 a 29 anos e o casal Saft, que já tinha conquistado um título na Argentina, voltou a repetir o sucesso, com Luísa em primeiro nos 50 a 54 anos e Alexandre em terceiro na mesma faixa etária, só que masculina, obviamente.

     

    A equipe do XTERRA Brazil parabeniza nossos atletas por representarem tão bem as nossas cores mundo afora e por honrarem e incentivarem a prática do triathlon. A próxima edição do XTERRA no Brasil é a qualificatória para o mundial de Maui, no Havaí  e esperamos ter todos presentes em Ilhabela, entre os dias 10, 11 e 12 de maio.

    MENU