Fratura por estresse | Correr sem Lesão

Fratura por estresse corresponde a cerca de 10% das lesões esportivas. Maior parte em membro inferior. No corredor a mais comum é a da região posterior da tíbia, fíbula, metatarsos e cabeça do fêmur.
Os sintomas são dor e aumento da sensibilidade na região medial da tíbia ou osso acometido que piora com a pratica esportiva. Mas nem toda dor no ósso significa fratura por estresse. Lesões como a Canelíte, que é a inflamação dos tendões que se inserem ali também podem gerar sintomas parecidos na região da tibia, assim como outras lesões podem produzir dores nos ossos. A cintilografia óssea é o principal método diagnóstico, mas o interesse é que muitas vezes a cintilografia nos mostra a fratura porém sem sintomas, é a fratura silenciosa. Por isso o diagnóstico final deve ser a união do exame clínico e a imagem. Ao contrário da fratura convencional, a por estresse não está associada a trauma agudo direto e sim a microtraumas.
Gelo, repouso relativo, fortalecimento muscular, mudanças na técnica de corrida , bem como as modalidades fisioterapeuticas são formas de tratamento.
A variabilidade de prática esportiva, boa alimentação e repeitar os períodos de recuperação são as melhores formas de prevenção,

Sobre o Correr Sem Lesão

Esse artigo é um oferecimento do curso online Correr Sem Lesão. Através do seu porta voz, Alexandre Rosa, a plataforma online foi feita para quem quer aprofundar o conhecimento e conduzir melhor seu treinamento de acordo com seu objetivo pessoal, como por exemplo: otimizar o fortalecimento, recuperação, escolher a melhor técnica de corrida tendo em vista suas características individuais. Saiba mais no site www.corrersemlesao.com.br/online

Acompanhe também o conteúdo exclusivo no Instagram e no canal do Youtube (youtube.com/corrersemlesao).

https://www.instagram.com/corrersemlesao