Suelen Couto supera tentativa de roubo e consegue benefício do governo graças ao XTERRA Brazil Tour

Suelen Couto durante uma etapa do XTERRA em 2018

A paulista Suelen Couto é auxiliar de pista da Dersa (empresa que cuida da travessia de balsas no litoral norte de São Paulo), segurança e ciclista profissional. Natural de São Sebastião, “Su”, como é conhecida, está acostumada à rotina pesada de treinamentos, trabalho e a participar do XTERRA desde 2015, sobretudo nas etapas em Ilhabela, seu “quintal de casa”, devido à proximidade da Ilha com sua cidade natal.

 

Com uma planilha que engloba quatro períodos de treino por dia, Su detalha o bom preparo físico, mas revela que difícil de encarar mesmo foi um fato ocorrido no último dia 25 de janeiro, um crime. “Pedalo 50K de manhã, faço dois treinos funcionais à tarde e dou uma corrida mais leve à noite. Meus horários no trabalho são bem flexíveis, mas complicado mesmo não é isso, e sim o que me aconteceu no início do ano. Passei por uma situação chata, onde um elemento invadiu minha casa e tentou roubar minha bike. Eu estava no banho e meu cachorrinho não parava de latir. Terminei de me lavar e olhei lá para baixo pela janela do meu quarto, foi quando vi o portão de fora aberto, então estranhei, mas não vi ninguém. Aí olhei também o segundo portão de casa, mais interno, e ele também estava aberto. Então me arrumei de qualquer jeito e desci. Vi um homem com as duas mãos no guidão da minha bicicleta, de costas para mim. Pensei: ‘vou chamá-lo porque até ele virar e pegar uma arma eu o acerto’. Quando ele virou de frente eu dei um murro e a bike caiu para um lado e ele para o outro. Fiquei tão fora de mim que não soltei ele e fui batendo durante uns 25 minutos, até chegar a polícia. Espero que ele ainda esteja preso, mas deve estar solto já infelizmente. Foi uma situação muito chata, revoltante mesmo, pois a gente trabalha duro para termos nossas coisas e aí chega um vagabundo e nos rouba até dentro de casa? Absurdo! Poderia ter morrido se ele estivesse armado, mas na hora nem pensei. Só pensei em proteger meu patrimônio. Tive que bancar de heroína ali, mas graças a Deus que deu tudo certo”, relatou Su.

 

Por conta de tudo isso, não é difícil afirmarmos que Suelen Couto é uma guerreira, uma campeã na vida. E todo campeão precisa de um prêmio. O de Su foi conquistado neste mês de março e foi graças ao XTERRA Brazil Tour 2018, o benefício da Bolsa Atleta, que é fornecido pelo Governo Federal. O auxílio financeiro já vinha sendo solicitado, mas só entrou em vigor no atual mês vigente. Além do maior evento de esportes off-road do mundo, a ciclista também teve o apoio fundamental da treinadora Laura Agenor, do Espaço Surya (onde realiza os treinamentos funcionais), do nutricionista Rodrigo Vitasovic e de vários parceiros locais em São Sebastião e Caraguatatuba, como empresários e lojas diversas.

 

“Para ter direito ao Bolsa Atleta eu teria que estar ranqueando no ciclismo, meu esporte. Com isso, comecei a disputar na categoria elite do mountain bike em 2018. A primeira exigência é o ranking nacional, então apresentei as provas do XTERRA, a pontuação, o regulamento, etc. Tive também que mandar fotos, documentos, minha situação passou por uma análise da comissão de esportes.  Mas no fim viram que eu me enquadrava em tudo e tinha faltado apenas a duas edições no ano passado. Consegui assim o benefício do Bolsa Atleta, então sou muito grata ao XTERRA”, frisou.

Em Paraty 2018 Suelen comemorou erguendo a bike com muita energia

 

Suelen Couto estreou no XTERRA em 2015, em Ilha Comprida, onde disputou o MTB Cup Sport ainda como amadora. Em 2018, a atleta ficou com a 4° colocação em sua primeira disputa de ranking como profissional. Em 2019, ela garante que brigará pelo título inédito. “Vou brigar pelo ranking sim, igual ano passado”, afirmou Suelen Couto, que completará 36 anos no próximo dia 15 de abril e, apesar de ter usado a força bruta contra o ladrão, ela se declara totalmente contra a violência.