Após conquistar o pentacampeonato, Sabrina Gobbo não descarta aposentadoria do XTERRA

Paulista se tornou a mulher mais vitoriosa do triathlon; Cansaço e desmotivação podem fazê-la encerrar carreira no XTERRA

 

Tida como uma das maiores atletas da história do triathlon off-road brasileiro, Sabrina Gobbo agora é soberana nos títulos do XTERRA Brazil Tour. Natural de Campinas, ela passa a ser a primeira mulher pentacampeã do triathlon XTERRA e receberá o troféu + R$ 5.940,00 na festa de premiação no Empório Mercante, na Vila Colonial, em Paraty, amanhã, dia 1° de dezembro, às 22h.

 

“Estou muito feliz por ter alcançado o meu principal objetivo. No fim de 2017 eu pensei em parar por cima, mas acabei ficando com aquela vontade de tentar quebrar o recorde da Luzia e resolvi encarar um novo ano”, admite Gobbo.

 

Com os canecos seguidos (2014, 2015, 2016, 2017 e 2018), a campineira patrocinada pela Shimano e pela Trek bateu o recorde de títulos de Luzia Bello de forma antecipada, após chegar em primeiro lugar no XTERRA Ilhabela, disputado no último mês de agosto. Luzia é tetracampeã (2010, 2011, 2012 e 2013) e confirmou presença na primeira etapa da próxima temporada, em Costa Verde, mas talvez faça a prova de aquathlon. Será que teremos um 2019 com a disputa entre as duas estrelas do esporte off-road?

 

É muito claro que os fãs desejam ver as performances de Sabrina e Luzia juntas no XTERRA, porém, pelo desânimo inesperado da atual campeã, este desejo poderá ser adiado novamente.

 

“Sinceramente não sei como vai ser ano que vem. Confesso que estou cansada e o calendário do XTERRA será de fevereiro a dezembro, isso vai ser dureza. Também ando desmotivada porque o número de triatletas mulheres diminuiu e me incomoda competir sem ter uma disputa boa, mas vamos ver. Não consigo dizer nada com certeza ainda”, explicou.

 

Uma possível pausa está sendo cogitada, mas os bons momentos serão sempre lembrados. Em 2018 mesmo, além do penta, houve outra conquista significativa para Sabrina, algo mais pessoal, a vitória sobre a algoz do passado.

 

“A prova top foi em Ilhabela (realizada em maio), foi um dos pontos altos de toda minha carreira por causa das gringas que estavam lá, principalmente a Kara LaPoint, que já havia me derrotado em outras competições internacionais. Naquele dia eu tive problemas com a bike, meu pneu rasgou e havia ficado sem CO2, mesmo assim consegui ajuda, consertei tudo, alcancei as meninas da ponta e terminei em primeiro. Foi lindo”. A campeã também aproveitou para falar sobre uma possível participação no XTERRA World Championship, que não aconteceu até hoje. “Nunca fui ao Havaí e já tenho 41 anos, então não sei se irei. Ano passado eu estava com passagem comprada, mas tive um imprevisto e não fui, enfim, não posso garantir nada, mas eu gostaria de ir muito bem treinada para fazer bonito”, revelou Sabrina Gobbo, que também é a atual campeã brasileira de cross triathlon.

 

Gobbo, exausta, ao cruzar a linha de chegada na citada prova de Ilhabela. Foto: Hércules Ralkauskas

 

A equipe XTERRA parabeniza Sabrina Gobbo pelo pentacampeonato e se orgulha em tê-la competindo em nossas provas. Torcemos para que a atleta não se aposente ainda e siga nos dando a honra de oferecer novos momentos únicos em lugares paradisíacos do Brasil.