Último vencedor em 2017, Eduardo Lass fala sobre planos futuros

Em sua primeira participação, paranaense venceu no Triathlon em Paraty desbancando o campeão do ranking Felipe Moletta; Mundial XTERRA e Olimpíadas do Japão são os próximos objetivos

 

 

A etapa era Paraty, a modalidade era Triatlhon e a categoria era elite masculina. Para todos os competidores e fãs do XTERRA o favorito para tornar a vencer era o paranaense Felipe Moletta, campeão do ranking nos últimos seis anos e já participando com o novo caneco confirmado antecipadamente. Porém o conterrâneo de Moletta, Eduardo Lass, em sua primeira participação no XTERRA, surpreendeu a todos ao cruzar a linha de chegada antes do favorito. No entanto, uma pessoa já contava com o triunfo, ele mesmo.

 

“Já tinha uma ideia de como a disputa aconteceria e esperava que fosse sair na frente na natação, como foi, mas que seria ultrapassado rapidamente na bike, pois o MTB de terra é muito diferente do de asfalto, que é o que estou acostumado a praticar. Na terra requer muita técnica e coragem em certos momentos, porque tem certos riscos. O Moletta me ultrapassou na reta final e a decisão ficou na corrida mesmo, onde felizmente consegui ir muito bem e ser melhor que ele. Atingi o objetivo e eu esperava isso sim, pois treino muito”, revelou o curitibano de 26 anos.

 

A ambição do triatleta não se restringiu a Paraty. Lass ainda pretende competir no XTERRA em 2018, já se deslumbra com o mundial no Havaí e tem o grande sonho de participar de uma Olimpíada. “Gostei bastante do XTERRA, é uma vibe diferente, parabenizei a todos da organização e voltarei. Já vi o calendário novo e o planejamento é competir em casa (Ilha do Mel, PR), na Praia do Rosa e em Ilhabela para tentar a classificação para o mundial nos EUA, que é algo a ser estudado ainda, mas há grandes chances. O meu maior sonho profissional é representar o Brasil nos Jogos Olímpicos e terei dois anos para estar bem posicionado no ranking da corrida olímpica e conseguir a vaga”, prospecta.

 

A fórmula para alcançar os objetivos é a mesma há oito anos, quando se tornou profissional: o treinamento diário. “Treino todo dia com muita força, sem preguiça, mas existem alguns períodos de descanso que me possibilitam folgar em alguns domingos, mas não são muitos”, explica Eduardo Lass, que teve forte apoio familiar para seguir a carreira e hoje vive exclusivamente do esporte e da Força Aérea Brasileira, pela qual é 3° Sargento e está inserido no quadro de atletas de alto rendimento da entidade.

 

Eduardo Lass cruzando a linha de chegada em Paraty. Foto: Bruno Meneghitti

 

Graças ao patrocínio da Comercializadora de Energia Tradener, Lass recebe todo tipo de suporte necessário para manter o nível de suas performances. Fica a torcida de toda a família XTERRA para que o paranaense consiga realizar seu sonho de competir nas Olimpíadas de Tóquio em 2020, mas que também represente o Brasil no Mundial XTERRA em outubro.