39.0481, -77.4728
  • 20 e 21 de outubro

    Camp Praia do Rosa

    Imbituba – SC

    -28.226547, -48.668486 Inscreva-se Saiba Mais
  • 10 e 11 de novembro

    Camp Ilha do Mel

    Ilha do Mel – PR

    -25.517005, -48.334969 Inscreva-se Saiba Mais
  • 01 e 02 de dezembro

    PARATY

    Paraty - RJ

    -23.212859, -44.711337 Inscreva-se Saiba Mais
  • 9 e 10 de Fevereiro

    Costa Verde 2019

    Mangaratiba - RJ

    -22.949793, -44.074256 Inscreva-se Saiba Mais
  • 08 e 09 de Junho

    Praia do Forte 2019

    Mata do São João – BA

    -12.574687, -38.004731 Inscreva-se Saiba Mais
  • 13 e 14 de Julho

    Agulhas Negras 2019

    Resende – RJ

    Inscreva-se Saiba Mais
  • 28 e 29 de setembro

    Estrada Real 2019

    Tiradentes – MG

    -21.110108, -44.173202 Inscreva-se Saiba Mais
  • x
  • Descontos
  • Cadastro feito com sucesso!

    OK
    x

    Cadastre-se e fique
    por dentro do mundo XTERRA!

    Quais as suas modalidades de interesse?

    x

    Fale conosco!

    Sua mensagem foi enviada com sucesso!

    Ilhabela volta a receber o melhor do esporte off-road

    Segunda edição no município praiano de São Paulo em 2017 traz seis provas diferentes para toda a família

    XTERRA em Ilhabela é sempre certeza de lindas paisagens e muitos desafios. Foto: Thiago Lemos

    No último mês de maio, o XTERRA Brazil Tour realizou a etapa mundial no município de Ilhabela, em São Paulo. Chamada de XTERRA Brazil, a edição definiu os 50 melhores triatletas por faixa etária que irão representar o país na final mundial, a ser realizada na Ilha de Maui, no Havaí, no próximo dia 29 de outubro. No mesmo dia, porém, acontece o segundo capítulo do maior festival de esportes off-road do planeta na região praiana paulista em 2017. Agora chamado de XTERRA Ilhabela, o evento começa no dia 28 de outubro e terá uma versão diferente, com seis modalidades ideais para reunir amigos e familiares. As inscrições estão abertas e podem ser feitas através do link https://goo.gl/2yBkes.
    Sempre uma ótima opção de viagem, Ilhabela é perfeita para sediar um evento deste porte e oferece um leque de praias ao público. A Praia do Pereque foi a escolhida para comportar as atividades do XTERRA, como a Short Trail Run (8,5 km), a Half Trail Run (21,5 km), o Swim Challenge 1,5 e 3 km, o Short XTERRA (versão reduzida do Triathlon) e o XTERRA Kids, que faz a alegria da criançada e enche de orgulho os pais presentes.

    O Short XTERRA terá o trecho de 17,5 km de bike. Foto: Thiago Lemos

    Desfalcado de grandes nomes do Triathlon como Isabella Ribeiro, Paulo Cabrera e Guilherme Vilas Boas, por exemplo, porque estarão competindo no Havaí representando o time brasileiro, o XTERRA Ilhabela deve receber cerca de 1.700 atletas amadores e profissionais. Um deles será o carioca Artur Pedroza, de 43 anos e inúmeros títulos às costas, incluindo o tricampeonato (2015, 2016 e 2017 onde não pode mais ser alcançado) do ranking anual de Swim Challenge do XTERRA. Especialista em mar aberto e ex-atleta da seleção brasileira de natação, Pedroza garante que cada prova é uma diversão à parte e não sente pressionado pelo currículo vitorioso.

    Artur Pedroza , ao centro, posa com um de seus inúmeros troféus do XTERRA ao lado de outros atletas

    “Pressão eu não sinto, entro em toda competição buscando o pódio, principalmente o primeiro lugar, claro. Dou o meu melhor e adoro o XTERRA, já garanti o título de 2017, mas não entro para perder e é uma forma de mostrar meu respeito pelo evento, que está sempre procurando inovar e surpreender os nadadores. Nadar em Ilhabela é especial porque é um dos lugares mais lindos que já vi e tem aquela rota do píer, que acho sensacional e nos aproxima do público”, explica Artur Pedroza, fundador da equipe Resende Águas Abertas.
    Depois do XTERRA Ilhabela, que é apresentado pelo SESI e patrocinado pela Prefeitura de Ilhabela, faltará apenas uma edição para encerrar a temporada no Brasil. A próxima cidade a receber o festival será Paraty, RJ (02 e 03 de dezembro).
     
    XTERRA Ilhabela – SP
    Data: 28 e 29 de outubro – Temporada 2017
    Local: Praia do Pereque – Ilhabela, SP
    Inscrições:  https://goo.gl/2yBkes
    Cronograma: http://xterrabrasil.com.br/tour-2017/wp-content/uploads/2017/10/17_09_XTERRA_CRONOGRAMA_ILHABELA2_09_10.pdf

    XTERRA Camp Juiz de Fora – Etapa Cancelada

    Atletas XTERRA, por motivos burocráticos e de legalização do local no qual aconteceria o evento, informamos que a etapa XTERRA CAMP Juiz de Fora, a ser realizada nos dias 11 e 12 de novembro, em Juiz de Fora/ MG, com co-organização da VidAtiva Consultoria Esportiva, foi cancelada.
    Todos os atletas que realizaram sua inscrição via cartão de crédito terão o seu reembolso de 100% do valor de maneira automática, e no prazo de 15 dias virá descrito em sua fatura. Os atletas que se inscreveram via boleto bancário receberão contato da nossa equipe de SAC para prosseguirem com o reembolso total.
    Qualquer dúvida, podem entrar em contato com nosso SAC, especialmente pelo email cancelamentos@xterrabrasil.com.br .
    Atenção aos atletas que estão na batalha pelo Ranking XTERRA 2017: em razão do cancelamento desta etapa o regulamento sofrerá alterações. Confira aqui, a partir de 23 de outubro, http://xterrabrasil.com.br/tour-2017/ranking
    Pedimos desculpas a todos os atletas, amigos, familiares e patrocinadores que estavam se planejando para o XTERRA CAMP Juiz de Fora, agradecemos a compreensão e esperamos encontrá-los em breve em nossas etapas.
    Atenciosamente,
    Equipe XTERRA Brazil Tour.

    Respondendo ao Fracasso / por Josiah Middaugh, campeão Panamericano do XTERRA

    “O fracasso não é o oposto do sucesso, porém é um componente vital”

     
     
     

    Josiah Middaugh é o atual campeão Panamericano do XTERRA

    Como você responde quando não atinge o seu objetivo? Falhar pode ser um motivador incrível, um choque de realidade, uma sacudida. Correr indica o seu nível de aptidão, nitidez, foco e determinação nesse dia. Deve ser um reflexo da sua formação e preparação, mas existem vários fatores a serem levados em conta. Concentre-se no que você pode controlar. Toda corrida deve ser uma experiência de aprendizagem, e eu aprendo mais com as corridas que não ganho.
    “A maneira de aproveitar melhor a vida é encerrar um objetivo e começar logo um próximo. Não demore muito na mesa do sucesso, a única maneira de desfrutar outra refeição é ficar com fome”. – Jim Rohn.
    Tenha a coragem de falhar 
    Tenho um exemplo próprio que gosto de mostrar às crianças do ensino médio e do ensino fundamental, porque passa uma mensagem. Dependendo de como se olha para isso, você pode até considerar minha carreira atlética como uma série de falhas com algum sucesso intermitente. Nosso time de basquete perdeu todos os jogos na 8° série. No décimo ano, fui desclassificado na corrida de 2 milhas em regiões e tive que sair da pista. No meu primeiro XTERRA em Keystone eu tive um ataque de pânico na água e mal consegui terminar a prova de nado.
    Acredite, a mesma equipe de basquete, com as mesmas crianças, ganhou 20 dos 22 jogos no último ano do ensino médio. Na mesma prova em regiões, dois anos depois eu venci as 1.600 e as 3.200 milhas e o salto com vara. No meu segundo XTERRA Keystone, eu já havia melhorado meu tempo em 45 minutos. No mesmo percurso, dois anos depois, tive a minha primeira vitória profissional. Eu participei 14 vezes consecutivas do XTERRA World Championship e ganhei o campeonato na minha 15ª tentativa.
    Quando as expectativas excedem a realidade 
    O sucesso ocorre quando a realidade atende ou excede as expectativas. Não há nada de errado em ter expectativas elevadas, mas elas precisam ser fundamentadas na realidade. Se você se sente decepcionado após cada corrida, então talvez seja necessário reavaliar suas expectativas. Mesmo em uma competição com desempenho decepcionante, pode haver pequenas vitórias. Muitas vezes somos o nosso pior crítico, mas muito dessa auto fala negativa pode levar a uma profecia auto satisfatória. Será mais construtivo e muito mais divertido ser honesto consigo mesmo.

    O triatleta Josiah Middaugh cruzando a linha de chegada em uma de suas vitórias no XTERRA

    O sucesso é uma jornada, não um destino
    Você treina toda a temporada para uma corrida, então algo acontece para interromper seus dias de treinamento a semanas antes do evento. Seu desempenho será subjacente. Você pensa nas horas, milhas e no compromisso financeiro que investiu para chegar até a largada, mas o seu primeiro pensamento é que foi tudo por nada, uma perda de tempo. No entanto, isso pode não ser uma perda total. Lembro-me de ouvir um treinador falar sobre as Olimpíadas em 1980, que a equipe se dedicou todos os esforços para aquele momento, milhares de horas de treinamento e, em seguida, os EUA boicotaram as Olimpíadas.
    Esses quatro anos foram uma completa perda de tempo para esses atletas? Absolutamente não. Tudo o que você fez neste ponto da sua vida tornou você o atleta e a pessoa que você é hoje.
    Responda adequadamente
    A tendência depois de uma corrida ruim é duplicar tudo, pensando que a única resposta é mais volume e mais intensidade. É aí que um registro de treinos e um treinador podem ser muito valiosos. Os exercícios críticos podem ser realizados incorretamente. É possível que você tenha sabotado sua corrida com sobrecarga de treinamento muito perto do evento? Você estava 20% menos treinado ou 2% superado? A resposta não é sempre mais volume e intensidade, mas pode ser simplesmente aderindo a um planejamento, executando as sessões corretas, polarizando seu treinamento, superando os obstáculos de vida que atrapalham seus treinos.
    Não espere estar pronto
    Os triatletas são planejadores e gostam de olhar para frente, mas não pensam muito adiante. Os pontos chave foram avaliados e o ano que vem será seu ano. Você aprende com seus erros e os corrige ano a ano. Enquanto isso, não adianta continuar com maus hábitos, inconsistência e falta de foco. É como uma pessoa que inicia um programa para perder peso e continua com os maus hábitos alimentares e inatividade durante os feriados. Planeje o futuro, mas viva no presente. Você é o que você faz consistentemente.
    Josiah Middaugh é o atual campeão Panamericano do XTERRA e foi o campeão mundial do XTERRA 2015. Possui mestrado em cinesiologia e tem certificado de personal trainer há 15 anos (NSCA-CSCS).

    Atleta faz viagem surreal para competir no XTERRA Rota Imperial 2017

    Arthur Henrique Reis recebe ajuda de desconhecidos, pedala em plena Marginal Tietê e carrega 14kg para participar da prova de Duathlon

    Arthur Henrique Reis posa para foto ao chegar em Pedra Azul. Foto: Thiago Lemos

    Ao conhecer a história do paulista Arthur Henrique, de 25 anos, você irá repensar quando falar que não participará de alguma edição do XTERRA devido à distância ou a falta de verba para a logística da viagem. Natural do pequeno município de Cajamar, na grande São Paulo, Arthur, que é técnico de sistemas, possui os esportes off-road como hobby. E não é apenas um, o jovem pedala, nada e corre, é um tri atleta completo e disposto a confirmar sua meta em 2017: ser o líder do ranking da categoria 25 a 29 anos do XTERRA Triathlon.

    Apoiado pela Academia Boa Forma, pela Comet, pela Bárbaros Suplementos, pela AP Performance e Endurance e sob supervisão nutricional de Rodrigo Vale, Arthur Henrique treina seis vezes por semana. Como se não bastasse o treinamento intenso, as viagens para as competições do XTERRA parecem ajudá-lo no preparo físico. Para competir na etapa de Rota Imperial, na região de Pedra Azul, no Espírito Santo, no final de agosto, ele passou por uma saga digna de filme hollywoodiano e diz que todo o “perrengue” valeu a pena.
    “Saí de Jundiaí um dia antes do evento e eu não tinha passagem nem nada, só estava inscrito na prova de Duathlon mesmo. Estava sem grana, com apenas R$ 5,00 no bolso e pedi um apoio a um patrocinador para me ajudar comprando a passagem de ida para Vitória. Aí um amigo me deu carona até São Paulo e o ônibus sairia às 16h, mas estávamos presos no engarrafamento na rodovia Marginal Tietê e o GPS já informava que chegaríamos às 15h30, mas esse tempo previsto ia aumentando, então desci do carro e fui pedalando pela Marginal, driblando o perigo até a rodoviária e com uma mochila de 14 kg nas costas, mas era preciso. O XTERRA vale essas loucuras”, revela.
    Totalizando uma distância de 5km até a rodoviária, Arthur conseguiu embarcar para Vitória, mas ainda faltava chegar em Pedra Azul. E a compreensão de terceiros se fez presente para tal. “Expliquei a situação a um funcionário da rodoviária e ele se solidarizou me dando uma passagem até Domingos Martins, mas era um bilhete errado e quando cheguei ainda estava a 44 km do local da competição. Sorte que achei uma bicicletaria, a Montanhas Bike, e fui ‘chorar’ uma ajuda lá. O dono da loja, Ivan, entendeu meu drama e me deu um dinheiro de passagem e para comer alguma coisa. Ele foi muito gente boa, assim como o motorista do ônibus, que me deu um pacote de biscoito e depois de tudo isso, enfim, cheguei e ainda fiquei num quartinho de uma senhora lá. Sou grato a Deus por ter colocado essas pessoas em meu caminho, pois graças à elas eu sigo na liderança do ranking”, agradece.
    Em Rota Imperial, o paulista terminou em 6° lugar geral e foi o 2° colocado em sua categoria. Posteriormente disputou o Duathlon na etapa de Estrada real, em Tiradentes e, dessa vez, fez uma viagem planejada e tranquila. Porém a tranquilidade não esteve presente durante a prova, já que Arthur teve a gancheira de sua bicicleta quebrada durante o quilômetro 12 do circuito de bike e precisou concluir os outros 15 a pé, com a bicicleta nas costas. O resultado, obviamente, não foi o esperado e a sua vantagem para o segundo e para o terceiro colocados do ranking, Guilherme Villas Boas e Kaydson Rabello, respectivamente, foi encurtada. Agora ele sabe que não poderá faltar em nenhuma etapa até o fim do ano e que, provavelmente, o campeonato só será decidido na última edição de 2017, em Paraty.

    “Vou ter um custo consertando a bike agora, mas preciso acelerar isso para chegar forte em Ponta Grossa e Ilhabela. Com certeza a competição será decidida em Paraty, mas para isso acontecer eu não poderei perder nenhuma etapa até lá. Guilherme e Kaydson são meus amigos, a gente se dá muito bem e isso torna tudo ainda mais legal, mas ninguém quer perder”, afirma Arthur Henrique Reis, com muito bom humor e um riso espontâneo.
     
     
     

    Dica Exceed: Bolo de banana proteico

    Quem não gosta de bolo de banana, né?!
    Pena que é algo tão calórico! Mas com essa dica Exceed especial você vai aprender a fazer a mesma receita, porém mais saudável.
    Ingredientes:
    – 2 bananas
    – 3 ovos
    – 2 colheres de sopa de óleo de coco
    – ½ xícara de farinha de aveia
    – ½ xícara de farinha de amêndoas
    – 1 colher de sopa de canela
    – 1 scoop de whey protein
    – ½ xícara de água
    – 1 colher de sopa de fermento em pó
    Preparo: Bater todos os ingredientes no liquidificador e levar ao forno médio por 35min em forma untada.
     
     

    XTERRA Estrada Real 2017: dois dias de competições emocionantes

    Lotado, festival de esportes off-road voltou a ter Rosália Camargo e Isabella Ribeiro como campeãs e surpreendeu em modalidades masculinas

    As Night Runs iluminaram a bela cidade de Tiradentes com as milhares de lanternas dos competidores

    A principal etapa do XTERRA Brazil aconteceu neste fim de semana. O XTERRA Estrada Real, patrocinado pelo SESI FIEMG, na histórica cidade de Tiradentes, em Minas Gerais, foi marcado pela chuva e voltou a bater recordes de inscrições, com cerca de 4.500 atletas distribuídos nas oito modalidades. A Endurance (50 km), com 250 competidores, foi uma das maiores da história do evento em território nacional e contou, inclusive, com a oração do combatente da montanha, que foi comandada pelo cabo Laurent, do 11° Batalhão de Infantaria de Montanha. A tradicional buzina de largada foi substituída por tiros (ao céu) de fuzil do militar e ajudou a animar ainda mais o público e os competidores.
    No primeiro dia de competições, as sempre favoritas Rosália Camargo e Isabella Ribeiro voltaram a dominar suas respectivas provas, Endurance e Duathlon. Com mais esta conquista, a 13° no XTERRA, Rosália garantiu o título do ranking anual, enquanto a mineira Isabella ainda segue travando um duelo emocionante, prova a prova, com a paulista Sabrina Gobbo, que terminou em segundo lugar em Tiradentes.

    Isabella Ribeiro deu um sorriso aliviado em sua linha de chegada

    Entre os homens o inesperado aconteceu. Campeão do ranking de 2016 sem vencer nenhuma etapa, Gleiciomar dos Santos conquistou sua primeira vitória no XTERRA Endurance, superando favoritos. Após um período de inatividade, o atleta voltou bem, mas não conseguirá repetir o feito da última temporada, pois Márcio Souza chegou na quarta colocação da prova e confirmou o título do ranking 2017. Tales Camargo – o único com chances matemáticas de superar Marcinho – desistiu da prova por contusão.

    Gleiciomar e toda a sua emoção verdadeira ao saber que foi o vencedor

    “Tive um problema na panturrilha e fiquei muito tempo sem poder correr oficialmente. Vim para Tiradentes querendo vencer, claro, mas não esperava. Ano passado fui o líder do ranking, mas havia chegado sempre em segundo lugar. Venci pela primeira vez agora e por isso chorei demais na chegada, a emoção foi grande, lembrei das minhas filhas e as dedico essa vitória, inclusive. Ano que vem quero voltar mais forte e reconquistar o topo do ranking, livre de lesões. O XTERRA está de parabéns por tudo! ” Exclamou Gleiciomar dos Santos.
    No Duathlon masculino, o vencedor também foi inédito no XTERRA Brazil. Sérgio Henrique Pereira desbancou os “cascas-grossas” Marcello Sebastião e Diogo Malagon e mostrou-se surpreso com o resultado. “O Marcello Sebastião estava bem à frente, mas ele cometeu um erro no circuito da bike e abriu uma brecha para os outros. Eu aproveitei melhor, apesar da dificuldade com a chuva, e ganhei. Não esperava vencer e, principalmente, não esperava o equívoco do Marcello”, declarou o atleta de 29 anos de idade. 
     
    MTB Cup Sport, Cup Pro e Enduro
    No segundo dia do XTERRA Estrada Real foi a vez dos mountain bikers mostrarem suas habilidades. No MTB Cup Sport (36,2 km) os vencedores foram Erick Eduardo de Resende e Camila de Oliveira, mas o destaque foi na prova Cup Pro (42,4 km), que mais uma vez, teve os irmãos Carlos Alberto Olimpio e Karen Olimpio dominando do início ao fim. Residentes em Tiradentes, campeões admitem que conhecer o terreno faz a diferença, mas também lembram de todo o empenho.
    “Conheço bem o percurso, a estrada, o tipo de solo e isso me dá uma vantagem, claro. Mas os treinamentos são diários e muito duros, então é o que me deixa mais competitivo a cada dia”, garantiu Carlos Alberto, enquanto sua irmã Karen, fez referência ao momento família. “Foi especial, a mãe na Short Trail Run por diversão, a outra irmã (Kelly) em terceiro no Duathlon, o pai venceu na faixa etária dele no MTB e essa dobradinha dos irmãos para encerrar. Foi um evento sensacional para todos nós”, disse.
    A modalidade mais veloz e mais demorada do XTERRA, a Enduro, reservou grandes performances dos atletas. Durante os dois dias do festival, os ciclistas desta prova tiveram que superar limites para conseguirem realizar os deslocamentos nos tempos limites e abusarem da técnica para pedalar em dois climas e solos diferentes. No sábado a chuva, a temperatura mais baixa, os ventos “cortantes” e o solo enlameado, no domingo o sol escaldante, as bikes mais pesadas com a lama grudada nos pneus e o desgaste ainda maior. A “fera” Leonardo Mattioli venceu sua segunda etapa seguida e se consagrou na cidade em que havia perdido em 2016. Entre as mulheres, Patrícia Loureiro superou Lucy Onodera e Suelen Couto.

    A prova de Enduro reuniu atletas de várias idades e cidades

    Todos os resultados podem ser conferidos no link https://goo.gl/SgFejL.
    A próxima edição do XTERRA Brazil Tour 2017 será o Camp Paraná, nos dias 14 e 15 de outubro. Em seguida, nos dias 28 e 29 do mesmo mês é a vez de mais uma bela etapa XTERRA Ilhabela, em São Paulo.

    MENU