Com 100% de aproveitamento em 2016, Geisla dos Santos quer bater recordes no XTERRA Brazil Tour 2017

XTerraTripZoneNightRun21
A poucos dias da estreia oficial do XTERRA Brazil Tour 2017, os atletas já estão aquecendo suas turbinas para mais uma jornada de muita adrenalina. Recordista de vitórias em 2016, Geisla dos Santos é uma dessas competidoras ávidas por voltar às trilhas e superar seus próprios limites. A paulista é nome certo para o XTERRA Half Trail Run.
Com 100% de aproveitamento durante o XTERRA Brazil Tour 2016, ela ainda colhe os frutos de sua incrível performance. Apesar dos estupendos resultados obtidos ao longo da última temporada, Geisla não se dá por satisfeita e quer alçar voos ainda maiores.
“É a sensação de dever cumprido (o título do ranking no ano passado). Treinei pensando em dar o melhor de mim em cada etapa, e foi isso que aconteceu. Considero o ano de 2016 o melhor de todos para mim. Consegui ter 100% de aproveitamento e ver todo o meu esforço reconhecido. Quero trabalhar para conquistar ainda mais vitórias”, vislumbra.
Para se manter no topo, a atleta tem como receita o treinamento pesado. Mais focada no fortalecimento muscular e velocidade, ela conta sobre o árduo processo de preparação.
“Para 2017 venho treinando de cinco a seis vezes por semana. Estou com treinamentos específicos para correr XTERRA Brazil Tour desta temporada. Tiveram algumas alterações no treino e desde o início do ano venho trabalhando bastante a parte de velocidade, além da musculação. Está sendo um período bem intenso, mas que vai valer a pena.”.
A afinidade com o XTERRA Brazil Tour confunde-se com o prazer de Geisla dos Santos pelas provas off-road. Corredora desde 2009, a paulista encontrou no evento uma fonte de inspiração e, desde então, vem melhorando suas atuações ano pós ano.
“Participo do XTERRA Brazil Tour há oito anos. Iniciei minha vida nas corridas em 2009 e já fui para o XTERRA Estrada Real. Tinha pouca experiência na época, mas fui em frente. Apesar de não ter um grande lastro de treinamentos, consegui ficar na quarta colocação e não parei mais. Ali começou minha paixão pelas corridas. Por isso, me esforço muito para superar meus limites dentro das provas do XTERRA Brazil”, concluiu.