39.0481, -77.4728
  • 01 e 02 de dezembro

    PARATY

    Paraty - RJ

    -23.212859, -44.711337 Inscreva-se Saiba Mais
  • 9 e 10 de Fevereiro

    Costa Verde 2019

    Mangaratiba - RJ

    -22.949793, -44.074256 Inscreva-se Saiba Mais
  • 08 e 09 de Junho

    Praia do Forte 2019

    Mata do São João – BA

    -12.574687, -38.004731 Inscreva-se Saiba Mais
  • 13 e 14 de Julho

    Agulhas Negras 2019

    Resende – RJ

    Inscreva-se Saiba Mais
  • 28 e 29 de setembro

    Estrada Real 2019

    Tiradentes – MG

    -21.110108, -44.173202 Inscreva-se Saiba Mais
  • 10 e 11 de novembro

    Camp Ilha do Mel

    Ilha do Mel – PR

    -25.517005, -48.334969 Inscreva-se Resultados Saiba Mais
  • 20 e 21 de outubro

    Camp Praia do Rosa

    Imbituba – SC

    -28.226547, -48.668486 Inscreva-se Resultados Saiba Mais
  • x
  • Descontos
  • Cadastro feito com sucesso!

    OK
    x

    Cadastre-se e fique
    por dentro do mundo XTERRA!

    Quais as suas modalidades de interesse?

    x

    Fale conosco!

    Sua mensagem foi enviada com sucesso!

    De olho em título do ranking e de equipe nova, Diogo Malagon faz estreia em 2017 no XTERRA Vale do Aço

    2016_xterra_Paraty_Triathlon_Sabado (188)
    A cidade de Ipatinga, no interior de Minas Gerais, está nos preparativos finais para receber o XTERRA Vale do Aço nos próximos dias 8 e 9 de abril. Maior festival de eventos off-road do planeta, o XTERRA Brazil Tour volta ao município após seis temporadas. Com cinco modalidades programadas, o evento contará com a presença de diversos atletas de destaque no cenário nacional e internacional. Além disso, amadores e crianças também terão a chance de testar seus limites na competição.
    Entre os atletas mais renomados que estarão presentes no XTERRA Vale do Aço, Diogo Malagon surge entre os favoritos para o XTERRA Duathlon. Ponto para o seu primeiro desafio em 2017, ele admite uma certa ansiedade, mas reforça que o fato de estar em uma nova equipe serve como combustível para fazer um grande ano.
    “Sempre rola uma dúvida para a primeira prova do ano. Não sabemos como o corpo vai reagir, nem como estão as condições físicas dos outros competidores. Apesar disso, as minhas expectativas são as melhores possíveis. Tenho treinado bastante e estou gostando muito da experiência de estar em uma nova equipe. Tem tudo para dar certo”, projetou.
    Sabedor de que não terá vida fácil em terras mineiras, Malagon destaca a grande quantidade de atletas de ponta disputando o XTERRA Duathlon (corrida + mountain bike). Segundo ele, o alto de grau de competitividade irá fazer com que a prova seja definida nos mínimos detalhes.
    “Para a etapa de Vale do Aço, a galera pode esperar uma prova muito disputada. Até mesmo por termos, mais uma vez, o XTERRA Duathlon. Tem alguns atletas que vão muito bem no Duathlon e não se destacam tanto no XTERRA Triathlon por conta da natação. Vai ter muita emoção e acho que as primeiras colocações serão decididas por segundos”.
    Cheio de metas para o ano de 2017, o paulista quer, mais uma vez, estar brigando pelos primeiros lugares do ranking anual. Para isso, conta com muita força de vontade e treinamentos de grande intensidade.
    “Meu plano para a temporada é sempre estar brigando entre os três primeiros no ranking anual. Além disso, o mais importante é a evolução como atleta. O resultado é muito importante, mas é necessário fazer uma análise sobre o todo. Cada prova tem uma característica e tudo pode acontecer. Nesse ano, estou treinando com a Specialized Racing BR e gostando muito da minha evolução. O treino de alto nível com outros atletas tem me motivado ainda mais”, comentou.
    Mesmo sem saber o que a temporada irá lhe reservar, Diogo Malagon afirma que vai brigar novamente na parte de cima da tabela, mesmo sem saber quem serão os adversários na luta pelo título. “Acredito em uma briga saudável como em todos os anos anteriores. Não tem como saber como vai ser, pois tem muitas variáveis e atletas de ótimo nível chegando. Como vai ser essa disputa eu não sei, só posso dizer que estou nela (risos)”, complementou.
    O XTERRA Vale do Aço, que tem patrocínio do Sesi Fiemg e apoio institucional da Prefeitura de Ipatinga, promete empolgar o público mineiro com muita adrenalina e aventura. Para efetuar as inscrições, os interessados devem acessar o site http://xterrabrasil.com.br/

    É possível praticar esportes após um AVC? Veja os cuidados e as restrições

    gettyimages-86059703_9CkIJfh
    Por Nabil Ghorayeb/Eu Atleta
    Uma preocupação comum àqueles que passaram por um problema cardiovascular, seja o AVC (acidente vascular cerebral – isquêmico ou hemorrágico) -, o IM (infarto do miocárdio), ou após um tratamento por intervenção como a angioplastia ou cirurgia de ponte de safena, é saber se é possível e quando poderá iniciar as atividades físicas e esportivas.
    Vamos abordar desta vez o acompanhamento de um tratamento clínico sem intervenções. Para um paciente após um AVC e posterior alta hospitalar, será necessária uma reavaliação da circulação cerebral desde as carótidas (artérias que passam no pescoço) e vertebrais (que passam na nuca) como de todo o cérebro. Se não tiver mais nenhuma obstrução ou dilatação (aneurisma) de importância, deve-se avaliar as sequelas motoras e outras existentes como a perda da fala, que necessitará de fonoaudiologia.
    Neste momento, o tratamento fisioterápico será fundamental para recuperar o que é possível, mas só após o devido encaminhamento médico. Esse procedimento será realizado por um profissional de fisioterapia por período de 90 a 180 dias, depois do qual se fará a reavaliação clínica do paciente para confirmar se está controlada a doença causadora do evento, como as obstruções arteriais cerebrais e cardíacas, a hipertensão arterial, o diabete, a fibrilação atrial e outras doenças.
    Não se deve apressar essa sequência do tratamento de reabilitação cardiovascular e motora, visto que só assim se poderá liberar o paciente para alguma atividade esportiva.
    Em relação aos esportes competitivos, eles devem ter sua escolha individualizada e com total anuência de um médico que conheça o assunto profundamente. Certas medicações obrigatórias podem ter efeitos colaterais durante a prática esportiva. Algumas modalidades não têm sua prática autorizada para determinados pacientes, pelo risco de acidentes esportivos, de complicações hematológicas (como grandes sangramentos) e outros problemas cardiovasculares.
    O ciclismo (risco de quedas e traumas), a natação (risco de afogamento e dificuldade para atendimento de emergências na água) e esportes de contato físico e traumas (futebol, basquete e até o vôlei) têm restrições claras e conhecidas para pessoas portadoras de determinadas doenças, como também para usuários de certos e (necessários) medicamentos.
    As orientações e restrições após um infarto do miocárdio seguem linha de tratamento semelhante, porém temos ferramentas mais eficientes para dar limites, como o teste ergométrico ou teste ergoespirométrico, cuja indicação e realização só podem ser feitas por médico e na presença física do mesmo no local do exame.
    Os melhores exercícios para todos são sem dúvida os aeróbicos como a caminhada, o trote e corrida de média distância, associados aos exercícios de fortalecimento muscular e de equilíbrio para se evitar quedas.
    Fonte: (http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/2017/03/e-possivel-praticar-esportes-apos-um-avc-veja-os-cuidados-e-restricoes.html)

    Medalha ou amor ao próximo? XTERRA Camp Ibitipoca tem história de solidariedade

    erich (1)
    Em um mundo cada vez mais virtual e menos físico, pequenos gestos de altruísmo nos mostram que ainda é possível acreditar em uma sociedade mais solidária. No esporte, essas atitudes aparecem com frequência e servem como motivação para atos ainda mais nobres. Na estreia da temporada 2017 do XTERRA Brazil Tour, Erich Cavaleiro mostrou que ainda é adepto dos costumes à moda antiga. Deixou para trás a chance de marcar um bom tempo na etapa Camp Ibitipoca, realizado neste fim de semana, para auxiliar um companheiro de prova que se lesionou no meio do percurso da XTERRA Trail Run.
    Conhecido por sua generosidade e bom humor em todas as competições que disputa, Erich conta o motivo de preocupar-se tanto com o próximo. Segundo ele, é muito importante que as pessoas façam o bem sem esperar nada em troca.
    “Esse senso de solidariedade vem muito da minha mãe. Sempre a tive como exemplo e percebi a necessidade de ajudar ao próximo. Faço isso não só em relação ao esporte, mas também na vida. É sempre importante darmos palavras de incentivo e apoio para quem está necessitando. Quero fazer pelos outros o que eu gostaria que fizessem comigo. No XTERRA Camp Ibitipoca fiz apenas o que fui ensinado. Vi um atleta com dificuldades e fiz questão de auxiliá-lo até a chegada de ajuda”, confidenciou.
    Muito consciente, ele afirma que ter ajudado um competidor que necessitava de auxílio valeu muito mais do que qualquer honraria esportiva. E, além disso, deixou claro que voltaria a repetir o gesto quando vezes fossem necessárias.
    “As provas sempre possuem esse fator surpresa. Você pode estar muito preparado e sentir algo. É ruim quando acontece conosco, mas também é péssimo quando vemos acontecer com uma outra pessoa. Ter passado por essa experiência me fez mais feliz e tornou essa prova única. Acho que isso, para mim, é muito mais importante do que uma medalha. Terei outras oportunidades para conquistar meus objetivos esportivos. No entanto, estarei sempre disposto a ajudar meus companheiros de corridas sempre que for preciso”.
    Embaixador do XTERRA Brazil, Erich Cavaleiro já começou a temporada com uma experiência incrível. A respeito dos aspectos esportivos, ele diz planejar disputar o máximo possível de etapas e planeja se aventurar no XTERRA Endurance 60k, ultramaratona do maior festival de evento off-road do planeta.
    “Eu planejo fazer o máximo de provas possíveis no XTERRA Trail Run. Quero ter uma boa performance e melhorar meus tempos. Não penso em colocação, porque tudo é consequência do meu treinamento. Vou me esforçar para fazer um ano ótimo, independentemente da posição final. Além disso, pretendo fazer pelo menos uma ultramaratona no evento nesta temporada”, finalizou.
     
     

    Atleta internacional, Sabrina Gobbo confirma presença para o XTERRA Vale do Aço, em abril

    Resultado de imagem para sabrina gobbo
    Marcado para os próximos dias 8 e 9 de abril, em Ipatinga, interior de Minas Gerais, a etapa Vale do Aço do XTERRA Brazil Tour chega para animar e movimentar as atividades do município. Há seis anos sem realizar uma edição na cidade, o XTERRA Brazil volta para resgatar uma antiga tradição e atender aos atletas da região, que esperavam ansiosos por novas oportunidades de participar do maior festival de eventos off-road do planeta.
    Com cinco modalidades programadas – XTERRA Duathlon, XTERRA Half Night Run, XTERRA Short Night Run, XTERRA MTB Cup Pro e Sport, além do XTERRA Kids – a edição Vale do Aço, que tem patrocínio do Sesi Fiemg e apoio institucional da Prefeitura de Ipatinga, vai receber diversos destaques do circuito profissional e amador. Para efetuar as inscrições, os interessados devem acessar o site http://xterrabrasil.com.br/

    Um dos nomes mais conhecidos do circuito, Sabrina Gobbo está confirmada para o XTERRA Duathlon. Exemplo de força de vontade e superação para muitas pessoas, ela deixa um recado para os mineiros que querem dar seu primeiro passo no esporte durante o XTERRA Vale do Aço.
    “O maior segredo para manter-se sempre nas primeiras colocações é a determinação. Quando você coloca empenho e motivação, tudo funciona. Essa prova tem um formato diferente e é ideal para quem está começando no esporte. Muitas pessoas estão indo por esse caminho e se apaixonando pela prática esportiva”, incentivou.
    Atual campeã do ranking do XTERRA Triathlon, Sabrina conta que tem feito uma preparação especial para a temporada 2017. Com uma agenda lotada de compromissos, ela conta que pretende ir bem nas provas disputadas no Brasil, mas também está de olho nas competições internacionais.
    “Minha periodização está bem diferente esse ano, por conta de uma série de fatores. Quero ter boa performance em todas etapas que disputar, mas meu foco maior é na principal prova do XTERRA Brazil Tour, em Ilhabela (SP), algumas do circuito Pan-Americano e o mundial”, explicou.
    Participante do XTERRA Pan-American Tour em 2016, Gobbo pretende ir bem no circuito outra vez. Além disso, tem como meta disputar pela primeira vez o XTERRA World Championship, no Havaí.
    “Meus planos são: correr o XTERRA Pan-American novamente e ir para o XTERRA World Championship, em Maui, prova que nunca fiz. Se tudo der certo, e eu tiver dinheiro, vou correr seis provas do Brasil e, com certeza, o mundial, pois já comprei passagem (risos)”, completou.
    XTERRA Vale do Aço

    Data: 8 e 9 de abril – Temporada 2017
    Local: Parque Ipanema – Ipatinga, Minas Gerais
    Inscrições: https://www.x3mbrasil.com/inscricoes/inscricoes/xterra-vale-do-aco-2017

     

    Com novos objetivos, Fernanda Prieto terá temporada 2017 de muitos desafios no XTERRA Brazil Tour

    519 - 513 - 512 - 508

       (De azul à esquerda, Fernando, número 519, se prepara para largar no XTERRA Camp Ibitipoca)

    Campeã do ranking feminino do XTERRA MTB Cup Pro em 2016, Fernanda Prieto confirmou as expectativas e conseguiu uma colocação no pódio durante o XTERRA Camp Ibitipoca, primeira edição do XTERRA Brazil Tour 2017, disputado no último fim de semana. Focada em conseguir o bicampeonato da competição, a paulista promete muito empenho e novidades para as próximas 12 etapas do ano.
    Confira abaixo a entrevista concedida por Fernanda Prieto ao site do XTERRA Brazil Tour:
    XTERRA Brazil: Você foi campeã do ranking no ano passado. Como projeta a temporada 2017 do XTERRA Brazil Tour? Quais serão seus maiores desafios?
    Fernanda Prieto: Para o XTerra Brasil Tour 2017, estou com um projeto mais desafiador. Além de disputar o campeonato no XTERRA MTB Cup Pro, também vou disputar o XTERRA Triatlhon. Este já era o plano para o ano passado, mas acabei me lesionando na etapa da IlhaBela e precisei me afastar da corrida, Isso acabou me favorecendo muito para os treinos apenas de mountain bike e acabei vencendo o ranking anual da minha modalidade.
    Meu maior desafio para este ano será superar meus próprios limites para competir nas duas modalidades em dias consecutivos. Serão provas duras, já senti isso na primeira etapa em Conceição do Ibitipoca (Mg).  Fiz uma ótima prova no XTERRA Duathlon e no domingo minhas pernas ficaram um pouco travadas para o XTERRA MTB Cup Pro. Mas isso eu vou administrando e melhorando durante o campeonato.
    XB: Qual a maior dificuldade encontrada para vencer as provas no XTERRA Brazil?
    FP: Este ano, as etapas estão bem distantes e a dificuldade começa por aí. Conseguir patrocínio para poder viajar e participar de todas elas é um grande desafio. A segunda dificuldade vem no trajeto sempre desafiador que o XTERRA promove, deixando ainda mais emocionante e competitiva as provas, isso sem contar no nível de adversárias que estão cada vez mais aderindo ao mundo XTERRA..
    XB: Houve alguma alteração no seu treinamento para este ano?
    FP: Sim. Como vou participar das duas modalidades, meus treinamentos mudaram muito para esta temporada. Nunca treinei tanto na minha vida, como venho treinando nos últimos seis meses. Diria que a preparação é a fase mais difícil que um atleta passa para conseguir atingir as suas metas.
    XB: Explique como funciona sua preparação física e alimentação.
    FP: Treino natação quatro vezes na semana, mountain bike quatro vezes e corrida de quatro a cinco vezes. Fora isso, faço treinamento funcional e musculação.
    Faço acompanhando nutricional com a Fuca Arauja,. Ela me acompanha há seis anos. Minha dieta varia de acordo com a minha carga de treino. Posso comer de tudo, mas claro com muito bom senso. Por opção própria não tomo mais nenhum refrigerante, exceto algumas oportunidades durante uma prova longa, por exemplo. Aí eu costumo dizer que é o combustível extra (risos). E tem também os suplementos alimentares, que são de fundamental importância para recuperação de qualquer atleta.

    Por menos sódio: veja a relação entre os hábitos alimentares e longevidade

    EuAtleta - batata frita hambúrguer sódio na alimentação (Foto: Getty Images)

    Por Guilherme Renke/ Eu Atleta

    Nesta semana foi publicado na revista “JAMA” um estudo que mostra quais fatores alimentares estão associados ao maior índice de mortalidade por doenças cardiovasculares e metabólicas nos Estados Unidos, incluindo diabetes tipo 2, acidente vascular cerebral e doença cardíaca. O estudo aponta dados impressionantes: 45,4% de todas as mortes por doenças cardiometabólicas em adultos no ano de 2012 estiveram associadas a um consumo deficiente de fatores alimentares específicos.

    A maioria desses óbitos foi causada por doença cardiovascular (506.100 óbitos), seguida por acidente vascular cerebral (128.294) e diabetes tipo 2 (67.914), relatou a pesquisadora Renata Micha, que é PhD da Tufts Friedman School of Nutrition Science and Policy, em Boston (EUA).

    O problema do excesso do sódio escondido nos alimentos

    Sabemos que o uso do sódio pela indústria alimentar é prática comum, em especial, para conservar alimentos congelados. Um consumo excessivo desses produtos alimentares ultrapassa facilmente os valores nutricionais máximos recomendados pelas sociedades médicas. De fato, a ingestão elevada de sódio foi o maior contribuinte dietético para a mortalidade cardiometabólica em 2012, representando cerca de 9,5% das mortes (n=66.508), como mostra o “Journal of the American Medical Association”.
    O baixo consumo de castanhas e sementes

    Houve uma relação importante entre o baixo consumo de castanhas, nozes e sementes, ocupando o segundo lugar na lista. Esses alimentos ricos em gorduras mono e poli-insaturadas fazem parte de muitas dietas saudáveis como, por exemplo, a dieta do mediterrâneo. Nesse estudo o baixo consumo de castanhas e sementes foi associado a 8,5% das mortes (n=59.374 mortes).
    Outros fatores dietéticos que contribuem para a mortalidade cardiometabólica
    1. Consumo de carnes altamente processadas: 8,2% das mortes (57,766)
    2. Baixa ingestão de Ômega 3 dos frutos do mar: 7,8% (54,626)
    3. Baixa ingestão de legumes: 7,6% (53,410)
    4. Baixa ingestão de frutos: 7,5% (52,547)
    5. Consumo de bebidas com elevado teor de açúcar: 7,4% (51 694)

    Qual impacto de uma modificação alimentar em um período de 10 anos?
    Outra avaliação curiosa dos pesquisadores foi o significativo aumento, entre os anos de 2002 e 2012 da ingestão de gorduras poli-insaturadas, o que diminuiu a taxa de mortalidade em até 20,8%. Além disso, segundo o estudo, o aumento da ingestão de castanhas, nozes e sementes em 10 anos diminuiu a taxa de mortalidade em 18%, e a queda na ingestão de bebidas açucaradas se relacionou com uma diminuição da mortalidade em 14,5%.

    Vale ressaltar que identificar a relação dos alimentos com as doenças cardiometabólicas é essencial para identificar prioridades, orientar no planejamento nutricional do indivíduo e criar estratégias para alterar esses hábitos alimentares buscando a melhora da saúde. Por isso, tenha sempre acompanhamento do médico e do nutricionista para realizar seu planejamento alimentar de forma saudável e com segurança.
    Referências:
    1 – Micha R, et al "Association between dietary factors and mortality from heart disease,
    stroke, and type 2 diabetes in the United States" JAMA 2017; DOI:10.1001/jama.2017.0947.

    Fonte: (http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/2017/03/por-menos-sodio-veja-relacao-entre-os-habitos-alimentares-e-longevidade.html)

    Stopa supera lesão sofrida na semana do evento, e é mulher mais rápida no XTERRA MTB Cup Pro, em Ibitipoca

    17_XTERRA_Ibitipoca_ThiagoLemos_ (76)
    Rosto mais do que conhecido em edições do XTERRA Brazil Tour, Roberta Stopa começou mais uma temporada com o pé direito. A mineira, que há anos vem se destacando no mountain bike nacional e internacional, não deu chance para as outras atletas e conquistou a vitória no XTERRA MTB Cup Pro, na categoria XTERRA Elite Feminino, em Conceição do Ibitipoca (MG).
    Engana-se quem pensa que a vitória veio de forma tranquila. Muito pelo contrário. Disputando com atletas de altíssimo nível, Roberta teve superar as oponentes e também uma séria lesão, sofrida na semana que antecedeu o evento.
    “ O maior desafio foi ter ficado sem poder treinar na semana da prova. Levei um tombo em casa e acabei lesionando o sacro. Tive que largar com muitas dores, mas vontade de vencer era muito grande e fiz bastante força até a linha de chegada”, explicou
    Empolgada com a conquista, que veio após mais episódio de superação pessoal, Stopa se diz ainda mais motivada para lutar pelo título anual de sua modalidade no XTERRA Brazil Tour.
    “Vencer é sempre o foco. Começar com essa vitória foi um incentivo a mais para a busca pelo título geral nessa temporada. Vou para o XTERRA Vale do Aço para buscar, mais uma vez, o lugar mais alto do pódio”.
    Os anos passam e ela continua em uma posição bastante destacada nos esportes off-road. Para ela, o único segredo para o sucesso é amar o que faz: “Não tem segredo. Quando fazemos o que amamos, tudo flui. Estou há 25 anos nesse meio esportivo e espero continuar por muito tempo. Faça com amor, desejo e vontade. As coisas só ocorrem quando estamos em sintonia do fazer força com prazer”, declarou a atleta que também passou por uma situação chata pós-prova quando bandidos invadiram sua casa e levaram sua bicicleta de competição.

    Pela primeira vez no XTERRA Camp Ibitipoca, Daniel Grossi se supera e conquista título do XTERRA MTB Cup Pro

    17_XTERRA_Ibitipoca_ThiagoLemos_ (1)
    Marca registrada em Minas Gerais, o mountain bike também teve muito destaque durante o XTERRA Camp Ibitipoca, edição de estreia do XTERRA Brazil Tour 2017 disputada no último fim de semana. Cercado de muita expectativa, a prova do XTERRA MTB Cup Pro teve a presença de centenas de atletas. Entre os homens, o maior destaque ficou para Daniel Grossi que ficou à frente do experiente Edivando Cruz, na categoria Elite XTERRA, e conquistou seu primeiro troféu no ano.
    Mineiro de Juiz de Fora, Daniel nunca havia disputado uma prova em Conceição do Ibitipoca (MG). Com espaço na agenda, conseguiu realizar um sonho antigo e, de quebra, levou para casa o título do XTERRA Camp Ibitipoca.
    “Foi uma sensação muito boa. Fiquei feliz com a vitória em Ibitipoca, pois treino naquela região desde de novo. Por ser próxima de Juiz de Fora (MG), minha terra natal, sempre quis competir por lá. Nunca conseguia encaixar no calendário, mas dessa vez consegui. Foi minha primeira corrida na serra, já com vitória. Estou muito feliz. A principal dificuldade foi a chuva que caiu no dia que antecedeu a prova, deixou o terreno muito pesado e as subidas ficaram mais difíceis”, relatou.
    Focado em fazer um bom ano de 2017 no XTERRA MTB Cup Pro Elite, ele promete chegar forte na disputa pelo troféu do ranking anual. Além disso, ele garante estar atento para que haja falhar em seu processo preparatório.
    “A preparação sempre varia, geralmente entre as fases pesadas de competição e as mais tranquilas. Nas semanas de sobrecarga, eu chego a treinar duas vezes por dia. Pretendo disputar o ranking da minha modalidade no XTERRA Brazil Tour 2017. Vou buscar fazer meu melhor a cada etapa e lutar para ganhar um espaço entre os três primeiros ao final da temporada”.
    Acostumado a disputar competições de mountain bike desde muito cedo, Daniel Grossi diz que se apaixonou pela modalidade à primeira vista. “Minha primeira competição foi aos 12 anos de idade. A partir daí, não parei mais”, relembrou.

    Isabella Ribeiro comemora vitória no XTERRA Duathlon Elite Feminino, em Conceição do Ibitipoca (MG)

    12 (2)
    O ano de 2017 começou a todo vapor no XTERRA Brazil Tour. A primeira edição do ano, disputada em Conceição do Ibitipoca, Minas Gerais, no último fim de semana, reservou fortes emoções para todos que estiveram envolvidos no evento. Ao todo, atletas de cinco modalidade disputaram segundo a segundo para ver quem chegaria na frente. No XTERRA Duathlon Elite Feminino quem levou a melhor foi Isabella Ribeiro.
    Acostumada a brigar pelas primeiras colocações, Isabella já havia tido bastante sucesso na última temporada. Feliz com a vitória obtida no XTERRA Camp Ibitipoca, ela fez questão de agradecer ao seu treinador.
    “Esta primeira vitória (no XTERRA Camp Ibitipoca) foi resultado de muita dedicação e disciplina com os treinos passados pelo meu técnico Henrique Furtado. A prova do XTERRA Duathlon foi muito disputada, mas tudo valeu a pena e estou feliz pela colocação”, disse.
    Para conquistar a primeira colocação em Conceição do Ibitipoca (MG), a atleta teve que superar Sabrina Gobbo, campeã do ranking no ano passado. Apesar da vitória, a mineiro elogia a companheira de provas e diz que vai seguir lutando por voos ainda mais altos.
    “Sim, a Sabrina é uma superatleta, muito forte e experiente. Tenho um respeito enorme por ela e sei que não vai ser fácil, mas vou continuar muito focada para seguir buscando o lugar mais alto do pódio nas próximas etapas”.
    Conhecida por ser uma ótima atleta nas corridas e no mountain bike, Isabella Ribeiro quer usar a temporada de 2017 para realizar feitos em várias modalidades: “Vou ranquear no XTERRA Brazil Tour 2017 fazendo o máximo de provas que o meu calendário permitir. Estou trabalhando para estar afiada em todas as modalidades para este ano”, concluiu.

    Com dobradinha no XTERRA Camp Ibitipoca, Antônio Gonçalves se destaca na primeira prova de 2017

    19032017-IMG_8992
    O município de Conceição do Ibitipoca, interior de Minas Gerais, recebeu neste fim de semana a edição inaugural do XTERRA Brazil Tour 2017. Com muita alegria e força de vontade, competidores de diversos cantos do Brasil estiveram presentes no XTERRA Camp Ibitipoca, primeiras das 13 etapas programadas para esta temporada. Entre outros destaques, Antônio Gonçalves brilhou e fez a dobradinha no XTERRA Half Trail Run e XTERRA Short Trail Run.
    Empolgado pela excelente performance em Ibitipoca (MG), Antônio revela que não conseguiu se preparar adequadamente para o evento por conta dos problemas de saúde. No entanto, com um espírito guerreiro, superou seus limites e venceu duas provas.
    “Tive algumas dificuldades até o dia do evento. A maior delas foi ficar duas semanas sem poder treinar. Peguei uma gripe e tive uma reação à vacina contra a febre amarela, tanto que até a última sexta-feira ainda não estava nas minhas melhores condições. Fui para prova achando que não conseguiria completar a XTERRA Half Trail Run, mas me surpreendi comigo mesmo. Aí, quando ganhei, pensei: ‘Posso vencer mais uma’. E foi justamente o que ocorreu. Foram duas provas intensas e as condições climáticas deixaram tudo ainda mais interessante”, contou.
    Natural de Piau (MG), ele não escondeu sua satisfação por levar mais dois troféus do XTERRA Brazil para sua vasta coleção: “É uma grande emoção conquistar títulos tão importantes. O XERRA Brazil Tour é um evento fantástico. Não tenho como descrever meu sentimento, mas é bom demais”, declarou.
    Com planos ambiciosos para a temporada 2017, Antônio Gonçalves já pensa no futuro. O competidor fala em disputar o maior número possível de etapas, lutar por vaga no XTERRA Trail Run World Championship e conquistar mais vitórias.
    “Pretendo participar de quase todas as provas, principalmente na etapa Brazil. Quero brigar pela vaga dos 21k no Havaí. Além disso, desejo participar mais vezes do XTERRA Half Trail Run e XTERRA Short Trail Run numa mesma edição. Quanto mais dobradinhas vierem, melhor (risos)”, complementou.

    MENU