Vice-campeã do XTERRA MTB Cup Pro em 2016, Roberta Stopa rasga elogios ao XTERRA Brazil e fala sobre início no esporte

1X-Terra Ibitipoca - MTB cup - Foto - Thiago Lemos (22)
Um dos principais nomes do ciclismo feminino nacional, Roberta Stopa é figurinha carimbada em edições do XTERRA Brazil. Atleta completa e de alta performance, a mineira, de 36 anos, possui diversos títulos em provas off-road. Com mais de 20 anos de experiência no mountain bike, ela promete vir forte para a temporada 2017 XTERRA MTB Cup Pro.
A caminho da quarta temporada no XTERRA Brazil, Roberta comentou quando conheceu o evento e de que forma tornou-se mais uma atleta importante a participar do circuito. Segundo ela, as características do festival facilitam o surgimento de cada vez mais pessoas interessadas em competir e se divertir.
“Conheci o XTERRA Brazil em 2013, na cidade de Tiradentes (MG). Fui em busca de pontos para o ranking mineiro e acabei me interessando muito pela competição. A interação com o público, a organização e o contato com atletas de outras modalidades, num mesmo evento, propiciam muitas histórias interessantes e ajudam no surgimento de novas amizades”, contou.
Dona de uma vasta rodagem em provas internacionais, Stopa explica como iniciou sua trajetória no mountain bike. “Comecei a pedalar em 1994. Em 1995, eu resolvi trocar minha festa de 15 anos por uma bicicleta profissional. Aos 17, fui convocada para correr o Mundial na Suíça e, em 1999, conquistei meu primeiro título nacional”, detalhou.
Entusiasta do esporte feminino ao redor do país, a ciclista, natural de Juiz de Fora (MG), dá algumas dicas para quem está engatinhando no XTERRA MTB Cup. Para ela, o passo primordial é encontrar o auxílio de um bom profissional.
“Em primeiro lugar, é necessário procurar um bom profissional para que ele possa auxiliar nos treinos, na escolha da bike, no posicionamento, dentre outras coisas. Esse acompanhamento é primeiro passo, depois é só se preocupar em se divertir e competir, com muita saúde e sem lesões”.
Apesar de ter sua vida bastante atribulada, por conta de competições e compromissos profissionais relacionados ao esporte, ela garante ter uma vida pessoal bastante tranquila e regrada.
“Sou bem caseira. Adoro ficar em casa com as pessoas que eu amo. Hoje, divido minha vida de atleta e pessoal dá seguinte forma: Na minha vida particular, sou sócia da Jamile Lamha no Food Jam – o melhor pastel do Brasil, segundo ela -. Aprendi a fazer o pastel e tenho ajudado na produção. Na minha vida esportiva, dou aulas de personal bike e treino seis vezes por semana, de duas a quatro horas por dia”, finalizou.