Do asfalto para o XTERRA: Luisa Saft vence no Uruguai

Saia do asfalto! Esse é um dos lemas do XTERRA. Quem vem pra trilha entende que é inesquecível.
A história da Luisa Saft se mistura um pouco com os dois terrenos. Criada no Mountain Bike, se aventurou por um bom tempo pelo triathlon de rua e este ano reuniu forças, mudou o treinamento e partiu em busca do seu primeiro desafio: XTERRA Uruguai. Vivendo em Porto Alegre, a distância e o clima facilitaram a aventura que logo de cara resultou em vitória!
Batemos um papo com Luisa sobre a conquista e as expectativas para a etapa mundial Brazil, em Ilhabela, confira:
1) Você veio do Triathlon de asfalto mas a sua origem é na trilha, mais precisamente no MTB. Como é treinar e competir em esportes complementares mas ao mesmo tempo diferentes? Comecei a pedalar MTB. As primeiras competições que fiz, foram no Enduro de Regularidade, Corrida de aventura, MTB Maratona e Cross Country, depois no ciclismo e atualmente no triatlo. Quanto ao triatlo, os treinos demandam muita energia e disciplina. Aproveito cada momento do dia, alternando as modalidades ao longo da semana.
2) Você já conhecia o XTERRA? Como foi competir pela primeira vez e sair com a vitória lá no Uruguai? Sim. Já tinha ouvido falar no XTERRA. Há uns 2 anos, um amigo me incentivou a fazê-lo, estava começando no triatlo e não me sentia preparada. Este ano decidi que iria, para experimentar. Elegi o XTERRA do Uruguai e tive a felicidade de sair vencedora, na minha primeira prova e com isso ganhei a inscrição para a Etapa do Mundial em Ilhabela. Foi uma experiência incrível, que me remeteu a lembranças da corrida de aventura..
 
luisa_saft3) Qual foi a parte mais difícil da prova para você? Especificamente essa prova no Uruguai, a parte mais difícil foi a de MTB, onde tínhamos que subir e descer dunas, as vezes 400 metros, carregando a bicicleta.
4) Expectativa de correr a etapa mundial em Ilhabela, eleita a prova mais desafiadora de Cross Triathlon em 2015?  A expectativa é grande, mas estou em busca de novos desafios. Sei que vai ser difícil estar disputando com as melhores atletas a nível nacional e talvez internacional, num circuito extremamente técnico. Será uma experiência totalmente nova para mim.
5) Temos visto vários atletas do asfalto virem para o Cross. Essa tendência existe?  Como você enxerga essa conversa entre as duas modalidades do Triathlon? Não creio que exista essa tendência, porque são esportes muito diferentes, exceto pela natação. Acredito mais que seja uma diversificação, pois os circuitos de asfalto sempre se repetem. Para aqueles que já tem afinidade com as trilhas, ou querem novos desafios,  sim, é muito atrativo. O triatlo off road é muito mais dinâmico,  tem mais adrenalina e requer muito mais técnica.