39.0481, -77.4728
  • 20 e 21 de outubro

    Camp Praia do Rosa

    Imbituba – SC

    -28.226547, -48.668486 Inscreva-se Saiba Mais
  • 10 e 11 de novembro

    Camp Ilha do Mel

    Ilha do Mel – PR

    -25.517005, -48.334969 Inscreva-se Saiba Mais
  • 01 e 02 de dezembro

    PARATY

    Paraty - RJ

    -23.212859, -44.711337 Inscreva-se Saiba Mais
  • 9 e 10 de Fevereiro

    Costa Verde 2019

    Mangaratiba - RJ

    -22.949793, -44.074256 Inscreva-se Saiba Mais
  • x
  • Descontos
  • Cadastro feito com sucesso!

    OK
    x

    Cadastre-se e fique
    por dentro do mundo XTERRA!

    Quais as suas modalidades de interesse?

    x

    Fale conosco!

    Sua mensagem foi enviada com sucesso!

    Regras para Endurance 60K – etapa Brazil/Ilhabela

    No dia 7 de maio teremos a primeira prova de Endurance do XTERRA em 2016. Ilhabela receberá os guerreiros das trilhas para uma jornada pela ilha até a praia de Castelhanos. Desbravando matas, subidas e descidas com muita emoção e beleza.

    Seguindo o que há de mais frequente em provas de ultradistância no mundo, a organização do XTERRA mantém o padrão de autosuficiência para os atletas, exigindo que eles levem consigo uma série de itens que garantem a segurança e diversão durante os 60K da prova.

    Importante planejar a sua jornada contando com os pontos de apoio – 3 no total – que contarão com itens como água, isotônico, refrigerante, amendoim e passas.

    São indispensáveis para participação no Endurance 60K de Ilhabela, dia 7 de maio:

    • Comprovação de conclusão de uma prova Trail Run de no mínimo 30k ou Maratona de 42k de asfalto, com prazo de validade até 2 anos antes da prova.

    • Certificado médico que declare que o atleta se encontra com condições de saúde aptas para a realização de atividades esportivas.

    ITENS OBRIGATÓRIOS:

    • 01 apito

    • 01 squeeze ou mochila de hidratação (não é permitido o uso de garrafa normal)

    • 01 Cobertor de emergência (lençol de alumínio)

    • 01 Lanterna

    • Kit de primeiros socorros com:

    • Compressas de gaze esterilizadas (mínimo de 1 pacote com

    • 10 unid. cada)

    • Atadura de crepe (mínimo de 1 pacote com 1,80m x 10cm)

    • Esparadrapo (mínimo de 3m x 2cm)

    • Bactericida ex.: Mertiolate (mínimo de 5g)

    Será feita uma conferência dos ítens na entrega de kits para que o atleta tenha autorização para receber seu chip e número de peito estando assim apto para competir.
    Ao cruzar a linha de chegada, os 5 primeiros colocados masculino e feminino deverão passar para a conferência dos ítens obrigatórios. Somente será declarado vencedor o atleta que portar todos os itens previamente divulgados e conferidos na entrega de kits. A partir daí serão escolhidos atletas aleatoriamente.

    Para consultar o regulamento completo da prova, clique aqui.

    ENDURO no XTERRA Brazil Tour 2016

    Viajar no final de semana para um lugar incrível, curtir com os amigos, descobrir novas paisagens. Tudo com muita emoção e esporte. A descrição poderia ser do XTERRA, mas se encaixa perfeitamente na galera do Enduro.
    A modalidade que une lifestyle, emoção e muita bike estreia no circuito em 2016 e mostra que veio para ficar. Roupa larga, alguns tombos e emoção de sobra, o esporte que para muitos é o futuro do MTB, terá etapas em Paraty (4 e 5 de junho), Ilhabela (27 e 28 de agosto) e Estrada Real, em Tiradentes (24 e 25 de setembro).
    Para viabilizar e trazer todo certificado técnico para a prova e entregar uma modalidade 100% Enduro, o XTERRA trouxe Felipe Pimpão para supervisionar percurso e regras a serem seguidas.
    Dentre as regras tradicionais e que fazem parte do universo Enduro estão as 3 especiais com tempo cronometrado de descida em alta velocidade.
    “Enduro é uma modalidade do mtb que comecei ano passado e é bem recente no Brasil, estou adorando, pois as provas são bem divertidas e exige do ´biker´ técnica e um bom preparo físico. Fazer uma prova desta no cenário de Paraty e com a organização do XTERRA vai ser show”, conta Isabella Ribeiro, atleta da modalidade e Embaixadora XTERRA.
     
    enduro_xterra2
    Entre os atletas participantes, além da Isabella Ribeiro que também compete no triathlon XTERRA, outra presença confirmada é Guilherme Renke, forte divulgador da modalidade no Brasil, também embaixador Shimano do Enduro no Brasil, e que recentemente conquistou o 5º lugar categoria Master no mundial de Enduro, realizado na cidade de Bariloche, Argentina.
    No XTERRA é assim, sempre cabe mais uma aventura! Vem pro nosso mundo:
    XTERRA Paraty – 4 e 5 de junho – http://www.xterrabrasil.com.br/tour-2016/xterra-paraty/enduro/
    XTERRA Ilhabela – 27 e 28 de agosto – http://www.xterrabrasil.com.br/tour-2016/xterra-ilhabela/enduro/
    XTERRA Estrada Real/Tiradentes – 24 e 25 de setembro – http://www.xterrabrasil.com.br/tour-2016/xterra-estrada-real/enduro/

    Dicas EXCEED: A escolha certa dos carboidratos

    Os carboidratos são, sem dúvida, um dos mais importantes macronutrientes para a produção de energia no organismo, principalmente do cérebro e a ausência deles na alimentação pode trazer diversos malefícios como dores de cabeça, fraqueza e dificuldade de concentração.
    Porém o controle na ingestão, principalmente daqueles que são refinados e jogam para o alto o açúcar no sangue de maneira brusca, ou seja, os de alto índice glicêmico podem ajudar no melhor funcionamento do organismo e no emagrecimento.
    Adequar bem os horários de ingerir os carboidratos de alto índice glicêmico, como por exemplo, durante um treino para dar um gás ou após a atividade física, para recuperação muscular é a melhor estratégia.
    Já nos momentos de repouso é a hora de investir de baixo índice glicêmico para não dar uma chuva de açúcares no sangue que não serão totalmente utilizadas naquele período e acumular gorduras extras.
    Dentre os de alto índice glicêmico, podemos incluir as frutas como melancia, abacaxi e banana, as massas e pães brancos, as raízes e os suplementos a base de Maltodextrina e Dextrose, como o Carboplex da Advanced Nutrition.
    Nos de baixo índice glicêmico estão as hortaliças, as maçãs, pêras e melões, os cereais integrais ricos em fibras como o biscoito Fibrocrac Diet e também aqueles alimentos são ricos em proteína e sem açúcar como a Exceed Proteinbar LowGi.
    Isabela Pinheiro é nutricionista da Advanced Nutrition. Graduada em Nutrição pela Universidade Federal do Fluminense (UFF), Pós Graduada em Nutrição Funcional pelo Instituto Valéria Paschoal de Ensino (VP Consultoria)

    Do asfalto para o XTERRA: Luisa Saft vence no Uruguai

    Saia do asfalto! Esse é um dos lemas do XTERRA. Quem vem pra trilha entende que é inesquecível.
    A história da Luisa Saft se mistura um pouco com os dois terrenos. Criada no Mountain Bike, se aventurou por um bom tempo pelo triathlon de rua e este ano reuniu forças, mudou o treinamento e partiu em busca do seu primeiro desafio: XTERRA Uruguai. Vivendo em Porto Alegre, a distância e o clima facilitaram a aventura que logo de cara resultou em vitória!
    Batemos um papo com Luisa sobre a conquista e as expectativas para a etapa mundial Brazil, em Ilhabela, confira:
    1) Você veio do Triathlon de asfalto mas a sua origem é na trilha, mais precisamente no MTB. Como é treinar e competir em esportes complementares mas ao mesmo tempo diferentes? Comecei a pedalar MTB. As primeiras competições que fiz, foram no Enduro de Regularidade, Corrida de aventura, MTB Maratona e Cross Country, depois no ciclismo e atualmente no triatlo. Quanto ao triatlo, os treinos demandam muita energia e disciplina. Aproveito cada momento do dia, alternando as modalidades ao longo da semana.
    2) Você já conhecia o XTERRA? Como foi competir pela primeira vez e sair com a vitória lá no Uruguai? Sim. Já tinha ouvido falar no XTERRA. Há uns 2 anos, um amigo me incentivou a fazê-lo, estava começando no triatlo e não me sentia preparada. Este ano decidi que iria, para experimentar. Elegi o XTERRA do Uruguai e tive a felicidade de sair vencedora, na minha primeira prova e com isso ganhei a inscrição para a Etapa do Mundial em Ilhabela. Foi uma experiência incrível, que me remeteu a lembranças da corrida de aventura..
     
    luisa_saft3) Qual foi a parte mais difícil da prova para você? Especificamente essa prova no Uruguai, a parte mais difícil foi a de MTB, onde tínhamos que subir e descer dunas, as vezes 400 metros, carregando a bicicleta.
    4) Expectativa de correr a etapa mundial em Ilhabela, eleita a prova mais desafiadora de Cross Triathlon em 2015?  A expectativa é grande, mas estou em busca de novos desafios. Sei que vai ser difícil estar disputando com as melhores atletas a nível nacional e talvez internacional, num circuito extremamente técnico. Será uma experiência totalmente nova para mim.
    5) Temos visto vários atletas do asfalto virem para o Cross. Essa tendência existe?  Como você enxerga essa conversa entre as duas modalidades do Triathlon? Não creio que exista essa tendência, porque são esportes muito diferentes, exceto pela natação. Acredito mais que seja uma diversificação, pois os circuitos de asfalto sempre se repetem. Para aqueles que já tem afinidade com as trilhas, ou querem novos desafios,  sim, é muito atrativo. O triatlo off road é muito mais dinâmico,  tem mais adrenalina e requer muito mais técnica.

    Dicas EXCEED: alimentação paleolítica no Endurance

    Os príncípios da dieta paleolítica podem ser usados por atletas de endurance?
    Muito se fala ultimamente sobre a dieta paleolítica que é extremamente amada e odiada ao mesmo tempo. A premissa básica da dieta é o retorno à origem alimentar dos homens das cavernas que eram praticamente caçadores e coletores (eles não conheciam a agricultura). Sua composição química baseia-se em uma dieta de baixo carboidrato e alto teor de gordura ou LCHFD (low carbohydrate high-fat diet). Por isso a dieta propões basicamente o uso de frutas, hortaliças, carnes e gorduras em geral (animal e vegetal), excluindo itens como leite e derivados, alimentos processados, refinados e industrializados, tendo variações que permitem ou não cereais, leguminosas e raízes.
    Estudos sugerem que essa dieta auxilia na perda de peso e redução da diabetes tipo 2.
    Para atletas de Endurance ela pode ser vista de forma negativa pelo baixo teor de carboidratos, principalmente daqueles de rápida absorção, mas, dependendo da organização, o investimento em água de coco, frutas e hortaliças com mais carboidrato como banana e abóbora, principalmente na forma de sucos, smoothies, cozidas ou assadas podem oferecer carboidratos de forma rápida e eficaz. Outra fonte de energia podem ser os óleos vegetais prensados à frio como o de coco, as frutas gordurosas como abacate e açaí, que podem complementar a composição calórica da dieta. As proteínas de fácil digestão podem vir de ovos, peixes ou carnes bem fracionadas e cozidas como frango desfiado e carne moída.
    O importante é procurar um nutricionista que ajude a administar os nutrientes durante o dia para evitar perdas de performance.
     
    Isabela Pinheiro é nutricionista da Advanced Nutrition. Graduada em Nutrição pela Universidade Federal do Fluminense (UFF), Pós Graduada em Nutrição Funcional pelo Instituto Valéria Paschoal de Ensino (VP Consultoria)

    XTERRA Ilha Comprida: calor, vento e algumas surpresas!

    Sol rachando, praias extensas e muita adrenalina em mais de dois de evento. XTERRA Ilha Comprida levou atletas com perfis diversos para um final de semana no qual o esporte, amizade e alegria deram o tom. A pequena e pacata ilha no sul de São Paulo recebeu mais de 1700 atletas dispostos a entrarem de vez no mundo off-road. A viagem longa não afetou a disposição e alegria dos participantes, que fizeram de cada segundo do evento um momento único.
    IMG_1905
    No sábado logo cedo os atletas do XTERRA Triathlon se alinharam para encarar o mar de Ilha Comprida. A experiência de 2015 fazia com que todos se concentrassem para encarar um mar revolto, mas dessa vez as condições não estavam tão adversas. Mesmo assim a batalha foi dura e suficiente para gerar um desgaste extra em alguns participantes. Surpresa boa: as atletas Vanessa Cabrini e Flávia Fernandes saindo primeiro da água, inclusive em relação aos homens. Apertando o passo, Raul Furtado liderava pelos homens, aproveitando a experiência do asfalto para abrir uma boa margem durante o trecho da bike. Pouco a pouco a elite XTERRA Triathlon foi tirando a diferença, destaque para Diogo Malagon que conseguiu vencer Raul mesmo com uma diferença de 1min na saída do T2, conquistando a etapa. Entre as mulheres, Sabrina Gobbo protagonizou uma disputa acirrada com Cabrini nos metros finais, a campeã do circuito 2015 conseguiu virar o jogo e levar a 2ª colocação. Destaque para Flavia Fernandes, atleta do clube Pinheiros, que liderou de ponta a ponta a prova, utilizando toda sua experiência e juventude para logo no seu primeiro XTERRA, sair campeã.
    Os pódios da categoria elite ficaram da seguinte maneira: no masculino, Malagon em 1º com o tempo de 2h05min29seg, Raul Furtado em 2º com 2h06min35seg e Felipe Moletta logo atrás com 2h08min04seg. No feminino, Flavia Fernandes em 1º com 2h22min01seg, Sabrina Gobbo em 2º com 2h27min27seg e Vanessa Cabrini em 3º com 2h27min52seg.
    Na parte da tarde foi hora de novidade no circuito XTERRA: MTB Time Trial (Contrarrelógio)! Embaixo de um sol escaldante de 30ºC, os atletas se alinharam para uma largada individual. Edivando Souza, embaixador XTERRA e campeão do circuito 2015 do MTB Cup, foi um dos últimos a largar… e o primeiro a chegar! O atleta natural de Ilhabela faturou o primeiro Contrarrelógio da história do XTERRA com o pé nas costas, literalmente. No feminino, Suelen Couto lutou muito contra o vento e adversários e levou o primeiro lugar, com o tempo de 1h00min33seg, dando um relato emocionante na chegada. “Não tinha mais perna, vento estava castigando, e no final consegui levar no coração”, falou a atleta visivelmente emocionada.
    O sol se pôs e foi hora da galera das corridas irem chegando. Arena lotada, atletas de todos os perfis prontos para encararem toda a escuridão de Ilha Comprida. Caminhada Noturna de 4,5km, Short Night Run de 8,5km e Half Night Run de 23,5km.
    “Vim de São Bernardo do Campo e trouxe meu filho Felipe de 4 anos para realizar a caminhada noturna comigo, confesso que estava com um pouco de receio, mas assim que cheguei e também durante todo o percurso senti a segurança necessária. Voltarei mais vezes”, contou Guilherme Bueno após a prova de 4,5km.
    A Caminhada Noturna foi de confraternização e uma aventura para todos os tipos de pessoas. Na Short Night Run, uma prova super-rápida na qual o vencedor no masculino fechou com 32min03seg. Eleeu Teixeira voou baixo e conquistou o 1º lugar. No feminino, quem levou foi Maria Celia com tempo de 39min43seg! Na Half Night Run de 23km, Gilberto da Silva foi campeão geral com o tempo de 1h39min11seg. “Prova duríssima, vento contra na praia forçando bastante a resistência e a cabeça, mas deu tudo certo”, contou o campeão.
    Valdeci Costa, de 52 anos, saiu de Curitiba para vir ao seu primeiro XTERRA “Uma outra dinâmica, um outro desafio encarar esta difícil prova noturna, tinha horas que apagávamos as lanternas e apreciávamos as estrelas”
    Na categoria feminina, sem surpresa. Campeã do circuito em 2015, Geisla Moraes confirmou o favoritismo e fechou em 1ª com o tempo de 2h00min06seg, praticamente 10 minutos na frente da 2ª colocada, Isabel Cristina que conquistou a segunda colocação com o tempo de 2h09min16seg.
    “Começando o ano bem, agora o foco é para ganhar em casa!”, afirmou Geisla, já pensando na etapa Brazil, em Ilhabela, dias 7 e 8 de maio.
    Sábado se foi e cresceu a expectativa para as provas de MTB. Com as condições já conhecidas e que fizeram os atletas do Triathlon se superarem, o calor e sol de Ilha Comprida reservavam fortes emoções.
    Galera do pedal chegou cedo na arena no domingo. Provas de 32,2km e 71,2km aguardavam os guerreiros das duas rodas. “Felicidade imensa juntar toda a galera para correr mais um XTERRA, excelente para movimentar a região e os atletas da cidade, carentes deste tipo de evento, ano que vem certamente estaremos presentes!”, contou Taicoh Richard, do grupo Go!Bike, que venceu uma promoção do XTERRA e levou mais de 20 atletas para a prova.
    Enquanto os atletas penavam para vencer o calor e o percurso, uma outra festa agitava a arena do XTERRA. A Kids Mini Corrida atraiu famílias e crianças para uma brincadeira emocionante: todos tiveram a chance de dar os primeiros passsos no esporte, em turmas dividas por idade. “Vim para Ilha Comprida competir no MTB e aproveitei para trazer meu filho Isaac de 3 anos, sem dúvidas é ótimo para as crianças essa iniciação no esporte”, conta Leo Santos que saiu de Ilhabela para vir ao litoral sul.
    Na prova de MTB Sport quem faturou foi Fabio Tetsuo, com o tempo de 1h03min24seg. No feminino a vitória ficou com Brisa Melcop. A triatleta que fechou o pódio com a 5ª colocação no sábado, faturou a prova de 32,2km no domingo, com o tempo de 1h16min58seg.
    Para a duríssima prova de 71,2km a pergunta era uma só: quem irá desbancar o campeão Edivando Souza? Ninguém. O atleta de Ilhabela levou mais uma vez com o tempo de 2h20min44seg, praticamente 10 minutos na frente do segundo. “Minha tática seria fazer uma prova no grupo e me poupar para o final, no entanto no trecho de areia fofa abri uma distância e resolvi segurá-la até o final. Testei minha resistência e foi uma experiência diferente devido ao perfil da prova, mas muito feliz por mais uma vitória”, afirmou o Embaixador XTERRA.
    Na categoria feminina uma disputa superinteressante se confirmou: Fernanda Prieto, triatleta de estrada, Roberta Stopa campeã do ranking 2015 e com uma vitória em Ibitipoca no circuito 2016 e Sabrina Gobbo, campeã do ranking de triathlon 2015 botaram a resistência à prova. Quem levou a melhor foi Fernanda, com o tempo de 2h44min12seg, seguida por Roberta e Sabrina que pedalaram duro nos últimos quilômetros, tempos de 2h56min07seg e 3h04min17seg, respectivamente. “Aceitei o desafio de vir participar desta prova diferente, com giro a todo momento, muito plano mas com muita força. Uma conquista importante para seguir na batalha pelo Ranking 2016”, conta Roberta Stopa.
    Um final de semana inesquecível. Muito esporte e conquistas para todos os lados. Este foi o XTERRA Ilha Comprida. Próxima parada: Ilhabela, dias 7 e 8 de maio para a etapa mundial.
     

    Lena Ribeiro fala sobre o circuito de SUP XTERRA 2016

    Lena Ribeiro, multicampeã de SUP no Brasil e no mundo, conta mais sobre a expectativa da modalidade no circuito XTERRA Brazil.

    Atleta que é casada com Américo Pinheiro, técnico da seleção brasileira de SUP, participou das primeiras provas da modalidade no XTERRA em 2015 e acredita que o evento tem tudo a ganhar com a turma dos pranchões.

    Confira mais sobre o bate papo que rolou com a campeã:

    Desde quando você pratica SUP? Como começou a sua relação com o esporte?
    Comecei a remar em 2011 por insistência do meu marido que já estava praticando há algum tempo. Iniciei passeando, curtindo Arraial do Cabo com a família, mas logo em 2012 Américo me colocou para competir e nunca mais parei.

    Quais tribos conversam com a galera do SUP?
    O SUP é um esporte super democrático, independente da idade, condicionamento físico, peso etc… todos podem praticar. O SUP atrai principalmente pessoas que curtem estar em contato com a natureza, fazendo atividades ao ar livre. O SUP permite que muitas pessoas sintam o prazer de deslizar na água, pois é muito mais fácil do que outros esportes de água como surf e kite e ainda pode ser praticado também longe do mar, como em rios, lagos etc.

    Você já conhecia o XTERRA? Como foi participar das primeiras provas de SUP em 2015?
    Sim, o XTERRA é um evento incrível e a entrada do SUP nele valoriza ainda mais nosso esporte. Foi uma honra participar das primeiras provas de SUP deste evento.

    Expectativa para o circuito 2016, novas provas e ineditas como a prova noturna em Costa Verde.
    Muito animada. Prova noturna
    é uma novidade e com certeza será extremamente divertida.

    O SUP é um esporte competitivo? Como você enxerga o crescimento da modalidade em todos os sentidos no Brasil e no mundo?

    Muito competitivo. O Brasil tem um dos maiores e mais organizados circuito nacional de SUP race do mundo. São diversas provas bem grandes em todo o mundo durante todo o ano. O SUP vem crescendo tanto como prática de lazer como esporte de alto rendimento no Brasil e no mundo.

    XTERRA Ilha Comprida – Guerreira fala sobre o seu primeiro XTERRA

    Ana Luiza foi convidada especial para completar o seu primeiro XTERRA na etapa de Ilha Comprida. A carioca enfrentou uma viagem de 10 horas para encarar o desafio que foi a etapa no litoral sul de São Paulo.
    Enviada especial, representou a galera do @30tododia e também do seu próprio perfil @caseicomatleta .
    Satisfação e emoção estão presentes no sorriso da garota, que quase alcançou o pódio, chegando em 6º lugar geral após os 23km da prova de Half Night Run. Expectativa agora é da participação da Ana na etapa mundial Brazil, em Ilhabela nos dias 7 e 8 de maio.
    A matéria completa com a Ana você encontra aqui.

     
     

    XTERRA Argentina – Guerreiros do Brasil falam mais sobre a prova

    Os triatletas Rodrigo Altafini e Luiz Escudero viajaram para a região de San Juan, norte da Argentina, para participarem da etapa Pan-Americana do XTERRA.
    Famosa pela baixa umidade, a região é desértica e conta com terrenos arenosos e de cascalho que fazem a paisagem parecer “um formigueiro gigante”, como definiu Altafini. O lago de águas gélidas, de cores azul e verde dá o tom de contraste ao local.
    Além da etapa Pan-Americana do XTERRA Triathlon, o evento teve as provas de MTB, Trail Run e Natação, reunindo diversos amantes de esportes off-road. Um clássico final de semana XTERRA.
    Sobre a prova em si, Escudero obteve um belo resultado, terminando em 1º lugar em sua categoria e com o 20º lugar geral. “Uma prova ao mesmo tempo muito divertida no MTB, porém com a necessidade de fazer força o tempo todo devido ao terreno, um verdadeiro sobe e desce que parece um labirinto. Nível técnico altíssimo ditou o ritmo da prova, finalizei a natação em 28min, no MTB perdi algum tempo pelo circuito ser fechado e na 2ª volta com vários retardatários, a corrida também foi puxada com muitas pedras soltas, e acabei finalizando com o tempo total de 3h23min”, definiu Luiz Escudero.
     
    4f1b4cc7-e95b-469d-b619-6993860ace25
     
    Altafini por sua vez encontrou problemas no percurso que resultaram em sua desclassificação: “Tive problemas com a sinalização do trajeto, sendo que alguns STAFFS estavam sinalizando o caminho errado. Os argentinos, por conhecerem melhor o percurso, se deram bem, voltando a tempo em determinados trechos. Mas valeu pela experiência de competir no deserto e encarar essa aventura com terrenos diferentes. O foco agora é o circuito brasileiro! ”.
    Com mais experiência na bagagem, os atletas agora concentram suas energias para as próximas etapas do XTERRA Brazil Tour, em especial para a mundial em Ilhabela, dias 7 e 8 de maio, que também soma pontos para o Pan Am Tour.
    Avante, guerreiros!

    Conheça a história da AIKA, a cadela que se amarra no XTERRA.

    Quem sai do asfalto e vem pra trilha se apaixona.  Correr em meio à natureza, por matas fechadas, morros, cachoeiras torna o prazer de correr algo inesquecível. Giovanni, personal trainer de São João del Rei não era tão adepto da corrida até conhecer e trabalhar no XTERRA Estrada Real, na cidade de Tiradentes.
    Desde então, Giovanni prometeu a si mesmo treinar para voltar no ano seguinte como atleta. No meio de sua preparação não esperava por uma surpresa para lá de agradável: pegou uma cadela a quem deu o nome de Aika.
    “Procurei saber mais sobre a raça dela, Blue Heller, e descobri que é um cão feito para pastoreio, conhecido como boiadeiro australiano, que precisa se exercitar todo dia”, conta Giovanni.
    Logo na primeira vez que a levou para correr, ele conta que a alegria e entusiasmo contagiava a todos os corredores. Latindo e pulando, Aika foi pegando o jeito pela corrida e a preparação para as primeiras provas eram incríveis. Se o cansaço batia, a cadela fazia questão de dar pequenas mordidas no calcanhar do seu companheiro, mostrando que é possível!

    12809639_992577557487932_4605405056835911044_n

    “Não tenho dúvidas que a corrida ajudou a todos, a mim e a cadela, que se tornou extremamente dócil e obediente”, afirma Giovanni.
    Aika correu recentemente o XTERRA Camp Ibitipoca, curtindo muito o visual da serra mineira e completando a Short Trail Run com o excelente tempo de 1h17min07seg! Ela também já correu a etapa XTERRA Estrada Real.
    A preparação continua para as outras etapas do circuito, com foco em Paraty. “Em 2015 iríamos correr o XTERRA Mineração, em Ouro Preto, no entanto esqueci de avisar a produção do evento com antecedência. Parecia que uma parte do meu treino foi embora mas consegui completar a prova”, brinca Giovanni, que sempre aparece com sorriso no rosto ao lado de Aika.
    XTERRA é um evento feito para todos os tipos de atletas, inclusive os não-convencionais. Vem pro nosso mundo: www.xterrabrasil.com.br

    Proudly powered by WordPress | Theme: xterra by Underscores.me.
    MENU