Corredora de obstáculos supera lesão e quedas para completar o seu primeiro Triathlon XTERRA

Vanessa Teixeira 2Vanessa passou por dificuldades em sua primeira prova de Triathlon, mas comemorou por ter se divertido tanto

O circuito XTERRA também chama a atenção de atletas que não são originalmente de modalidades off-road. Além dos triatletas de asfalto que disputaram a etapa Brazil, o evento recebeu a corredora de obstáculos Vanessa Teixeira, de 36 anos. A atleta se aventurou no Triathlon e disse que apenas uma palavra pode descrever a sua prova: superação.

Depois de romper os ligamentos do tornozelo, em dezembro de 2017, e passar por uma fisioterapia intensiva, a paulista de Alphaville chegou em Ilhabela sem saber o que esperar. E o percurso não foi bonzinho com ela. Durante a etapa da bike, a atleta caiu no mesmo tornozelo que estava machucado. “Achei que eu fosse  entregar a prova ali, que fosse ir embora de ambulância. Eu não tava acreditando!”

Mas a paulista não desistiu. “Fiquei lá um tempo, chorando. Eu tava com muita dor. Foi aí que eu decidi ir caminhando devagar com a bike. A cada passo a dor foi melhorando, aos poucos. Chegando na transição, eu encontrei uma força que não sei de onde eu tirei, e fui! Andei quase o percurso inteiro.”

Vanessa Teixeira

Mesmo terminando a prova com dor, a atleta garante que não se arrepende e que o XTERRA tem uma energia única. “Valeu muito a pena! Atravessar a linha de chegada foi uma emoção imensa. Eu estou muito feliz que eu consegui! E o cenário da montanha, do mar… o que foi aquilo? Uma das melhores sensações da minha vida.” E ela garante que não pára mais “Depois que eu me recuperar, eu não vou parar não! Quero fazer outras provas.”